Arteterapia - 1

Reorganização do ciclo de vida através das Mandalas da Alma

Curso de Arteterapia e as Mandalas da Alma

Pesquisado por Wilma Antonia Nubiato

 

Conceitos básicos sobre Arte terapia e mandalas

Esse curso objetiva capacitar o aluno a utilizar as diferentes técnicas e linguagem expressivas, ampliando as possibilidades e o alcance de sua atuação profissional, além de desenvolver o seu potencial criativo (Pinna).

A  Arte terapia permeia os campos das ciências naturais e humanas e através do embasamento teórico vivencial fornecido, entre os meios de expressão artísticas, temos a linguagem do corpo, linguagem sonora, expressão tridimensional, expressão poética, na aplicação dos conhecimentos advindos de teorias e técnicas psicológicas e artísticas nas áreas da saúde, educação, instituições, empresas etc, no qual o individuo tem a possibilidade do seu crescimento pessoal contido em todas as formas que poderá entre outras formas a manifestações da psique ou alma humana, que são reconhecimento excelente instrumentos  que contribuem para o desenvolvimento analítico, critico, simbólico e abstrato do ser humano, promovendo o desenvolvimento global e saudável do ser humano.

Portanto capacitam o aprendizado e assim obter conhecimento de si próprio na compreensão e  liberação de emoções, Conflitos internos, Imagens perturbadoras do inconsciente. Contato com ansiedades. Conteúdos reprimidos Medos. Mais e melhores saídas no dia a dia. Equilíbrio físico/mental/espiritual. Vivências práticas de sensibilização Auto estima. 

 

As atividades expressivas realizadas no contexto Arte terapêutico propiciam a nossa participação consciente na criação de nossa mitologia pessoal, num trabalho de ecologia profunda. Essa é uma forma de tratamento e de desenvolvimento da criatividade que traz à tona e trabalha com a sabedoria da nossa psique, com fatores que auxiliam na auto cura e que ensinam às pessoas como harmonizar a natureza interna e planetária.

A Arte terapia integra os conhecimentos advindos da Psicologia âs atividades artísiticas, trabalhando com o potencial terapêutico, trabalhando com esses recursos tanto á natureza humana quanto a planetária, promovem uma ampliação da consciência de si do outro e do mundo, desenvolvendo a nossa capacidade de atuar de maneira responsável e criativa com relação ao nosso momento existencial e ao meio em que estamos inseridos.

Para Jung, a arte tem a finalidade criativa, e a energia psíquica, consegue transformar-se em imagens e através dos símbolos, colocar seus conteúdos mais internos e profundos.
Sua abordagem junguiana trás aspectos práticos de como podemos viver com maior índice de realização interior, isto é, com mais saúde, alegria, satisfação, motivação, paz e confiança no presente e no futuro
Criar é expressar nossa existência, as emoções humanas mais profundas e a Arte Terapia vai lidar com este processo criativo, juntamente com a construção da sua mandala da alma. Criar abrange a habilidade em usar o cérebro para alterar, renovar, recombinar os aspectos da vida, isso implica em sentir o mundo com vitalidade e fazer um novo uso do que se percebe no seu eu interior.

A mandala é a expressão visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço – o espaço dentro do círculo – símbolo do espaço sagrado, a sua função pode ser direcionada para o auto conhecimento, o desenvolvimento espiritual e sua individuação.
Mandala “significa centro, circunferência ou circulo mágico. É símbolo para Jung do processo de individuação: “expressão psicológica da totalidade do si-mesmo;  imagem do Self e, portanto, centro da personalidade”.

O mandala pulsa como o coração, mantendo o ritmo binário: quando o centro, seu interior, se fecha, a camada externa abre.

A palavra mandala (substantivo masculino) é originária do sânscrito e significa círculo. Segundo os estudiosos, os mandalas funcionam como canais de energia que ajudam a equilibrar o organismo.  O Mandala é uma representação geométrica da dinâmica entre o homem e o cosmos.
O Programa :
Arte e Psicologia: A dimensão simbólica
O Processo Criativo
Mitologia Criativa e Arteterapia
Recursos Expressivos
Expressão Corporal e Sonora Musical
Supervisão de atendimentos em Arte Terapia


FUNDAMENTOS E APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO

As aulas são vivenciais e teóricas
O que é arte-terapia?
Quando optar pela arte-terapia?
Quais os benefícios da arte-terapia?
Processo Criativo
Processo de Criação
Ajustamento Criativo
O que a Arte facilita.
O que a Arte facilita.
O acesso ao imaginário e ao simbólico,
Permite o crescimento de potencialidade latente
Promover o autoconhecimento  possibilidades de criar novas formas a partir de um original.
A percepção de tal estrutura entendida como um todo
Possibilita a elaboração mental das sensações dos elementos
levar o individuo a conscientização de suas limitações e de suas superação, em um processo de mudança de comportamentos que levam ao aumento da auto estima.
Criatividade –
a Complexidade Humana
Expressão Artística
As Oficinas Expressivas:
O que são Mandalas
Arte terapia a atividade da criação de mandalas
entender uma mandala.

OS FLUIDOS DE CURA
Preparação da mente para a cura pelas imagens e os fluidos
Como atuam os fluidos.
Mandalas  o lazer curativo como acabar com a preocupação.
Reunindo Força Magnética
Remove sua carga, alivia-a
Fluidos Divinos

A SAGRADA ARTE DE MEDITAR:
Estratégia de relaxamento
Significados dos números
Como elaborar sua mandala para sentir em si a energia do número 1

Crescimento pessoal e expressão criativa
Fundamentos teóricos e técnicos
A função do imaginário
Arte-Terapia Vivencial ou Expressão pelas Artes
Arte-Psicoterapia Integrativa
Arte-Psicoterapia Analítica-Expressiva

MANDALA
As cores e seus significados.
A importância das cores em nossas vidas

Como utilizar as cores

Atividades Expressivas
Significado das mandalas Rosáceas
O significados dos números
As cores nas Rosáceas
Outros simbolismos
Sugestões Terapêuticas com Rosáceas
Estudo dos Labirintos]
Sugestões terapêuticas com Labirintos
Técnicas Terapêuticas com base nas mandalas
Atividades Expressivas

Os chakras e as mandalas
Meditação sobre o SRI YANTRA.
Deusas e Deus e seus significados
Significados do triangulo , círculos e quadrados
As quatros fases da lua
Significado do sete
Atividades Expressivas

Como montar: Fichas, relatórios e levantamentos
Padrões e significados na  investigação de vidas passadas
Projetos de atendimento
Supervisão e entrega do Book
Supervisão dos atendimentos
Atividades Expressivas

Para Jung, a arte tem a finalidade criativa, e a energia psíquica, consegue transformar-se em imagens e através dos símbolos, colocar seus conteúdos mais internos e profundos.
Inédito  trará técnicas e vivências para compreendermos novos conceitos de espiritualidade e sensibilidade energética.

Sua abordagem junguiana trás aspectos práticos de como podemos viver com maior índice de realização interior, isto é, com mais saúde, alegria, satisfação, motivação, paz e confiança no presente e no futuro.
Neste sensacional curso ocorrerão vivências e práticas de sensibilização, visando aprendermos a lidar com os diversos ambientes energéticos que desfrutamos hoje, bem como elevação de nosso nível psíquico consciente e inconsciente.

Vamos conhecer mais claramente os assuntos relacionados com a nossa auto estima, que é um fator fundamental do nosso equilíbrio como um todo.

Se lhe vier uma enorme vontade de inteirar-se de conceitos e ensinamentos diferentes daqueles contido no que você considera ser o seu caminho para sua individuação, não se assuste, pois será apenas a manifestação da sua sintonia com os tempos atuais, onde verdades necessitam de outras verdades para se completarem
Você estará apenas sendo um canal de si mesmo, canalizando a sua abertura para mundo do seu eu interior. Você precisa apenas dar o melhor de si para a construção do seu caminho é único, inconfundível e intransferível e só a você cabe trilhá-lo.

E é justamente aqui que nós da Ponte do Arco Íris entramos, para orientá-lo na melhor utilização de seu potencial através da arte terapia na construção de sua mandala da alma para descobrir o seu auto conhecimento.

Assim poderá trilhar um caminho de paz, harmonia interior, você precisa ser umas pessoas conscientes, aptas a enfrentar e superar todos e quaisquer obstáculos, para que você se torne esse sermos humanos plenos e realizados, nós temos o curso básico de mandalas que é o início do seu desenvolvimento que vão ajudar você a se transformar nesse ser completo.

“O homem se torna humano por sua vontade, por seu compromisso com a escolha”

Criar é expressar nossa existência, as emoções humanas mais profundas e a Arte Terapia vai lidar com este processo criativo, juntamente com a construção da sua mandala da alma. Criar abrange a habilidade em usar o cérebro para alterar, renovar, recombinar os aspectos da vida, isso implica em sentir o mundo com vitalidade e fazer um novo uso do que se percebe no seu eu interior.

É expressar nossas vivências, sonhos, conforme os sentidos e descobrir novas formas segundo as quais uma nova visão de si pode ser construída. Esta catarse é muito sadia e faz com que o individuo se reorganize internamente. A arte é por si só uma atividade regeneradora.

No processo criativo, a energia do inconsciente se liga a um arquétipo e o expressa numa linguagem simbólica.
A arte é um canal para um nível não verbal de percepção que leva ao processo de individuação. Neste processo somos forçados a nos confrontar com diversas facetas de nosso íntimo que estão geralmente em conflitos com nossas idéias e comportamento consciente.

A mandala é a expressão visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço – o espaço dentro do círculo – símbolo do espaço sagrado, a sua função pode ser direcionada para o auto conhecimento, o desenvolvimento espiritual e sua individuação.

Nesse curso introdutório serão abordados:
Conceitos básicos sobre Arte terapia e mandalas.
A liberação de emoções,
Conflitos internos
Imagens perturbadoras do inconsciente.
Contato com ansiedades
Conteúdos reprimidos
Medos
Mais e melhores saídas no dia a dia.
Equilíbrio físico/mental/espiritual.
Vivências práticas de sensibilização
Auto estima. 

Mandala “significa centro, circunferência ou circulo mágico. É símbolo para Jung do processo de individuação: “expressão psicológica da totalidade do si-mesmo;  imagem do Self e, portanto, centro da personalidade.

O mandala pulsa como o coração, mantendo o ritmo binário: quando o centro, seu interior, se fecha, a camada externa abre-se e vice.

A palavra mandala (substantivo masculino) é originária do sânscrito e significa círculo. Segundo os estudiosos, os mandalas funcionam como canais de energia que ajudam a equilibrar o organismo.  O Mandala é uma representação geométrica da dinâmica entre o homem e o cosmos.

Sua estrutura de combinações variadas de círculos, desenhos, figuras, quadrados e triângulos em torno de um centro simbolizam a união do plano espiritual com o material, servindo para organizar visões religiosas do mundo, sistemas cósmicos e simbólicos. 

Observar um mandala é uma forma de trabalhar o nosso universo interior de um modo criativo, que nos ajuda também a reunir energias dispersas e a melhorar a nossa concentração, induzindo ao estado de relaxamento.
Eles  prestam-se muitíssimo bem para ajudar a desbloquear ou despertar sentimentos e sensações que encontram dificuldade em manifestar-se exteriormente. Ajudam a deixar mágoas para trás, conseguir mais ânimo, acalmar a mente, etc.

Trabalhar com mandalas é uma forma carinhosa de abrir o coração para a criatividade, a intuição e o amor.

Elas não representam uma estranha realidade, e sim, um mundo iluminado que sempre existiu que é revelado quando as manchas da raiva, apego e ignorância são transformados. Paradoxalmente estes mundos iluminados são construídos das mesmas energias que nós, em nossa visão dualística, percebemos como raiva, apego e ignorância, mas no estado iluminado, inabalável, são vistos como força, compaixão e sabedoria. Portanto, mandalas são projetos arquitetônicos ou vistas aéreas de palácios celestiais construídos de conceitos iluminados.

Elas representam um espaço circular onde o divino se faz presente. Uma Mandala é um campo de energia que emana qualidades superiores, capazes de ajustar a energia, facilitar a ligação com as divindades supremas e curar alma e corpo.

A função da MANDALA pode ser direcionada para o autoconhecimento e desenvolvimento espiritual , prosperidade pessoal, para saúde para atrair relacionamentos harmoniosos, para harmonização entre elementos humanos.

O Caminho da Mandala a cura, a autodescoberta e a evolução pessoal.
Mandalas é uma forma carinhosa de abrir o coração para a criatividade, a intuição e o amor. Mandala é círculo mágico;  é ponte para dimensões superiores;
é caminho a percorrer;  nos revela nosso Eu;  nos leva ao nosso centro;nos leva a nossa Essência;  nos leva a Fonte Divina;  é energia e movimento;
é totalidade, integração e harmonia. Criar uma mandala é trazer para o consciente o que está no seu eu mais profundo, no entanto muito há que se explorar, ainda, nesse sentido.

A criação das mandalas e o seu poder estão contidos no que não podemos atingir com palavras,  exercem um fascínio pela magia dos seus movimentos. Observamos que a resposta é muito positiva, já que a mente humana quando se dispõe à "entrega" da criação é infinitamente próspera e mostra coisas incríveis.

Por revelar muito do nosso inconsciente, a mandala pode ser um modelo para a construção e a organização de nós mesmos. Na confecção de uma mandala há diversas gradações entre o círculo vazio e a imagem obtida.

O círculo inicialmente delimita uma superfície, uma área de abrangência, demarcando um microcosmo análogo ao macrocosmo. Como forma, representa um princípio estruturador de nosso mundo interno.

Com a fixação de um centro, transportamo-nos para a dimensão representada pelo círculo. Condensamos num único ponto todas as nossas experiências, expectativas e necessidades.

Com a focalização, mergulhamos numa espécie de caos (onde fervilham as possibilidades, as nossas sementes criativas) e estabelecemos um ponto de partida, uma origem para a criação de uma imagem. O grau de estruturação e complexidade da imagem formada a partir daí relaciona-se com um movimento de diferenciada.

O Centro da Mandala simboliza a totalidade, a divindade, a consciência superior,cósmica.
As formas ao redor do Centro representam as inúmeras facetas da personalidade humana.

O Centro é a quietude, o Redor é o movimento. Tudo se move ao redor de um ponto, quase como uma “dança” ritual. Estamos sempre nos movimentando, não só corpo mas também a mente (e a alma). Estamos em busca de um Centro, do nosso Centro.Não é à toa que a dança pode ser usada para alcançar experiências místicas.
Segundo a Psicologia, a Mandala faz com que o indivíduo amenize a limitação do campo visual psíquico através da contemplação e concentração, dirigindo a atenção para conteúdos espirituais e intuição, o que possibilita enraizá-los à Psique.

Jung considera a Mandala como um “arquétipo” inato que pode surgir espontaneamente, mesmo entre pessoas com deficiência de cultura pois está no curso de um processo de maturação da alma. Pode surgir em sonhos ou visões, por exemplo.

É um símbolo de imersão, de introversão numa fase caótica pela qual passa o ser humano que possibilita expressar a essência da alma e formas de “conciliação” com a totalidade.

O caminho que percorremos durante o processo de criação de um trabalho expressivo leva à criação de um mundo que contém mundos. O que estava latente torna-se manifesto e contextualizado. O claro (consciente) e o escuro (inconsciente), o cheio (a potência) e o vazio (a carência), as definições e as sugestões, as presenças e as ausências participam da construção de uma totalidade que favorece a equilibração psíquica, aproximando esses pólos e abrigando em si novos pontos de partida.

Sempre buscando ultrapassar o dualismo mente-matéria, desde o início de seu trabalho Jung se baseou fundamentalmente nas polaridades consciente-inconsciente e natureza-espírito, concebendo a psique como um sistema constituído de pares de opostos que podem intercambiar-se, um pólo é capaz de transformar-se no outro e vice-versa. Assim, enfocando a consciência e o inconsciente com o mesmo valor, Jung visualizou a importância de uma troca entre os dois sistemas. Segundo ele, a pedra fundamental para a construção da realidade objetiva seria essa capacidade de diálogo interior (Grinberg, 1987, p.192).

Para Jung o inconsciente se expressa primariamente através de símbolos. Jung, de acordo com Fadman e Frager-Harbra (1980) chamou o self de arquétipo central, arquétipo da ordem e totalidade da personalidade. O self é com freqüência figurado em sonhos ou imagens: a) de forma impessoal: um círculo, uma mandala, um cristal ou uma pedra; b) de forma pessoal como um casal real, uma criança divina ou na forma de outro símbolo de divindade.

A psiquê humana é definida por Jung, de acordo com Grinberg (2003), como a totalidade dos processos psíquicos (inconsciente coletivo que norteia as experiências humanas e que é evidenciado através da linguagem simbólica dos mitos, contos e das diversas formas de expressão artística) conscientes (conhecimento individual, proveniente das experiências de vida, preferências e tendências da personalidade não afloradas) e inconscientes.

Jung segundo Bieites Araújo (2006) sempre viu o inconsciente em constante trabalho, revolvendo conteúdos, agrupando-os e reagrupando-os, sofrendo e provocando mudanças, influenciando e sendo influenciado pelo Ego. Os seus conteúdos são suscetíveis de transformação.

No processo de individuação, segundo Grinberg (2003), Jung colocava como importante para o processo de autoconhecimento, a identificação e integração dos arquétipos da persona e da sombra. “A persona é um arquétipo que traduz o que é esperado socialmente de uma pessoa, o papel desempenhado e o que possa parecer ser trata-se de um compromisso entre o indivíduo e a sociedade”.

A sombra, conforme explica Silveira (1997), é formada de pequenas fraquezas, aspectos imaturos e complexos reprimidos e compõe-se também de “qualidades valiosas que não se desenvolvem devido a condições externas desfavoráveis ou porque o indivíduo não dispõe de energia suficiente para levá-las à diante”.

Fadman e Frager-Harbra (1980) afirmam que o primeiro passo no processo de individuação é a desmistificação da persona, visto que é uma máscara que esconde o self e o inconsciente. Ao dissolver-se a máscara o indivíduo percebe que ela não é individual, mas uma máscara da psiquê coletiva.

 O segundo passo é o confronto com a sombra com a finalidade de se aceitar a realidade e tornar-se capaz de assimilar o material do inconsciente pessoal que está organizado ao redor da sombra.

O terceiro passo é o confronto com a anima, este arquétipo deve ser encarado como uma pessoa real, pois tem uma autonomia e há a probabilidade dela influenciar ou de dominar aqueles que a ignoram ou os que aceitam suas projeções como se fossem deles mesmos.

O passo final é o desenvolvimento do self, fazendo com que se torne o novo ponto central da psiquê, trazendo a unidade e integrando o material consciente e inconsciente, fazendo com que o ego seja o centro da consciência e não mais o núcleo da personalidade.

Os arquétipos dos deuses para Jung, segundo Fadman e Frager-Harbra (1980), são fontes derradeiras dos padrões emocionais de nossos pensamentos, sentimentos, instintos e comportamentos. Jung, segundo Bernardo (2004), ensinou que na visão simbólica os personagens e os mitos podem ser vistos como forças que atuam na psiquê coletiva.

Para Jung, segundo Urrutigaray (2001), a arte se vincula aos credos da Psicologia Analítica porque suas configurações possuem conteúdos simbólicos originários do inconsciente, “que podem ser submetidos à investigação psicológica e ao questionamento acerca do sentido dado á obra”.

Expressar-se criativamente é a capacidade que o indivíduo tem de poder dar formas visuais e significados através de palavras aos personagens internos que cada elemento tem dentro de si. De acordo com Bernardo (2004), é através de recursos expressivos que os indivíduos desenvolvem a intuição, o potencial e a expansão da consciência.

Mandala para Jung, é a premonição de um centro da personalidade, uma espécie de ponto central dentro da psique com o qual tudo está relacionado, pelo qual tudo é organizado e que é em si mesmo uma fonte de energia.

A energia do ponto central manifesta-se na quase irresistível compulsão e ímpeto de tornar-se aquilo que de fato se é, assim como todo organismo é levado a assumir a forma característica da sua natureza, não importam as circunstâncias. Esse centro não é sentido ou pensado como o ego, mas, se assim se pode dizer, como o self ( 1973. p. 73)

Seg. Jung quando o self encontra expressão nesses desenhos, o inconsciente reage reforçando uma atitude de devoção à vida (1983, 24)

Ao trabalhar com mandala, podemos vivenciar momentos de clareza em que os opostos se equilibram na consciência, e experimentar uma realidade de harmonia, paz e significado.

O processo de criação traz novas formas de significação que segundo Urrutigaray (2001), fornecem um canal expressivo de identificação pelo processo de elaboração de imagens e de construção das representações.
Segundo Urrutigaray (2001), no processo de expressão criativa o arquétipo “é um modelo conceitual criado para explicar padrões de organização de pensamento presentes em todos os indivíduos, por possuir a característica de generalidade e universalidade”. A atividade artística promove a imagética trazendo à consciência um novo procedimento cognitivo que envolve os níveis sensório-motor, emocional e intuitivo.

A arte facilita o acesso ao imaginário e ao simbólico, permitindo o crescimento de potencialidades latentes além, de promover o autoconhecimento. Ao trabalhar com materiais plásticos, de acordo com Urrutigaray (2001), o indivíduo tem a possibilidade de criar novas formas a partir de um original. O indivíduo ao realizar uma obra artística percebe o produto de sua criação como um todo.

A Arteterapia segundo (Bernardo, 2001), distingue-se como método de tratamento psicológico visto que integra ao contexto psicoterapêutico o fazer artístico. Ocorre a interação entre o sujeito, o objeto de arte e o terapeuta, os usos da imaginação, do simbolismo e da metáfora enriquecem o processo. Estas características facilitam a comunicação, a expressão emocional, o aprofundamento do conhecimento interno, o pensar e a criatividade.

Na Arteterapia, segundo (Bernardo, 2001), o papel do processo criativo na mudança pessoal é o principal meio de resolução da problemática existencial. A função do imaginário é fundamental no relacionamento dos pensamentos, sentimentos, memórias, aspectos da personalidade e do self, facilitando uma intensa e profunda compreensão dos sentimentos e desenvolvendo a capacidade de ver e agir.

De acordo com Elieser (2006) a Arteterapia traz benefícios como: a melhora da comunicação intrapessoal e interpessoal, o tempo do tratamento é menor, pois a transferência é reduzida, favorece a harmonia e o equilíbrio da vida, facilita o diagnóstico através de imagens pictóricas, sonoras e táteis, além de aumentar a espontaneidade e a criatividade.

A prática da Arteterapia facilita o entendimento do mundo interno e a subjetividade, através do confronto que o sujeito gerador das imagens faz com suas configurações, possibilitando a consciência de seus conteúdos pela análise dos elementos que a constituem.

Segundo Urrutigaray (2001) quando um indivíduo confronta-se com um símbolo ele transforma a realidade simbólica e se transforma pelo desenvolvimento da criatividade.

A oficina se apresenta como possibilidade de recolhimento na medida em que se constitui como um espaço diferenciado, sem pressa, onde a atividade serve também como espaço para colocações pessoais profundas e intensas. A partir disso as lacunas se evidenciam e os sentidos se direcionam fazendo com que a terapia passe além de dar sentido aos dados obtidos.

Os mitos, assim como a criatividade, são oriundos de uma mesma fonte - o inconsciente coletivo.
Ao entrarmos em contato com os diversos tipos de imagens concretizadas e, tornando-nos cientes de suas mensagens, "automaticamente" somos religados com a origem de nossa própria consciência.

Aquilo a que chamamos, e reconhecemos como sendo "eu" é ampliado. Demos mais um passo no processo de individuação - meta do fazer analítico na ótica junguiana.

As manifestações artísticas estão sempre presentes, às vezes parecem bloqueadas, mas estão somente inibidas, no momento em que é oferecida a oportunidade de aflorarem, o processo artístico criativo, passa a responder prontamente às atividades.

As Oficinas de Arteterapia podem oferecer uma oportunidade de vivenciar novamente experiências, resignificando as vidas dos participantes, que refletem sobre o seu eu existencial e a partir desse conhecimento, por si mesmos, procuram modos de transformação.

De acordo com Jung, o inconsciente se expressa primariamente através de símbolos. Embora nenhum símbolo concreto possa representar de forma plena um Arquétipo (que é uma forma sem conteúdo específico), quanto mais um símbolo se harmonizar com o material inconsciente organizado ao redor de um Arquétipo, mais ele evocará uma resposta intensa e emocionalmente carregada.

Para Jung, os sonhos desempenham um importante papel complementar ou compensatório. Os sonhos ajudam a equilibrar as influências variadas a que estamos expostos em nossa vida consciente, sendo que tais influências tendem a moldar nosso pensamento de maneiras freqüentemente inadequadas à nossa personalidade e individualidade.

A função geral dos sonhos, para Jung, é tentar estabelecer a nossa balança psicológica pela produção de um material onírico que reconstitui equilíbrio psíquico total.

Arte é a expressão mais pura que há para a demonstração do inconsciente de cada um. “É a liberdade de expressão, é sensibilidade, criatividade, é vida.”
( Jung, 1920 )

Jung dizia que cada homem possui um potencial criativo que se ele conseguir colocar em uso para seu benefício, irá desenvolver um estilo único de ser e agir no mundo, buscando o bem estar de si mesmo e da comunidade. Um ser humano só é desenvolvido se interagir criativamente com seu próximo, em prol de um bem comum.

Os vínculos podem ser vistos também como leitos canalizadores de energia que atuam em nosso desenvolvimento, e podem facilitar ou dificultar o  crescimento, dependendo das circunstâncias favoráveis ou não ao processo de elaboração simbólica.”  (P. P. Bernardo, 2001 (tese), p. 167)

Segue Elieser (2006) classificando a utilização dos materiais, que apresentamos sucintamente:

  • As cores podem permitir as harmonizações efetivas, emocionais.

  • A modelagem permite a estimulação tátil, o trabalho muscular, a estruturação postural assim como a capacidade de concretizar e de planejar.

  • A técnica do desenho tem o papel de desenvolver a esfera cognitiva, o logus, além da capacidade de abstração.

  • Os fios utilizados no bordado, tricô, crochê, tecelagem permitem o fortalecimento e a reeducação do pensamento.

  • A imagem sonora faz entrar em contato com o eu mais profundo energizando os campos astrais e teóricos.

  • A dança permite a exploração e o uso adequado do espaço.

     

“Fazem parte do setting arteterapêutico as construções, modelos interativos ao homem com seu meio ambiente. Na terapia pela arte, assim como nas ciências humanas, cada pressuposto dever ser considerado apenas com uma hipótese, a ser confirmada ou não pelo sujeito“.(Elieser, 2006, p. 7)
Nise da Silveira, de acordo com Elieser (2006, p. 7) demonstrou que é possível ao técnico “a compreensão através do pensamento mítico das imagens internas de doentes que se expressam na atividade de livre expressão”. O imaginário torna-se concreto e passível de ser compreendido
Segundo Bernardo (2001), em Arteterapia pode se usar aos quatro elementos da Natureza: água, terra, fogo e ar.

“Da mesma forma que os alquimistas, colocavam que os quatro elementos, que formam dois pares de opostos, estão contidos na matéria prima que deu origem a toda a multiplicidade, à criação de tudo o que existe, pode-se dizer que, além de participarem da natureza à volta, também expressam forças psíquicas atuantes no desenvolvimento, podendo ser relacionados às quatro funções da consciência que intermediam, o contato com tudo o que existe dentro e fora de nós”. (Bernardo, 2001, p. 124).

O elemento terra, descreve Bernardo (2004), se associa à função sensação e sua simbologia relaciona-se ao corpo, aos processos vitais e reguladores, à percepção da realidade e ao crescimento. “Pode-se trabalhar arteterapeuticamente com essas questões através de expressões tridimensionais, como modelagem em argila, escultura, confecção de caixas, jardinagem e trabalhos corporais” (p. 124).

A água remete à função sentimento (Bernardo, 2004), à vida em seu fluxo e suas metamorfoses; ao feminino com sua capacidade de gerar e nutrir projetos. “A pintura e a utilização de cores vão então possibilitar que esses atributos e aspectos sejam cuidados, ativados e integrados à nossa consciência” (p. 125).

O fogo está ligado à capacidade de iluminar aspectos da realidade, intuição, criatividade, calor das paixões, desejos, agressividade e combatividade, atividade e dinamismo, capacidade de auto-afirmação, autoconfiança, coragem, heroísmo, energia psíquica e motivação. “O fogo interno pode ser canalizado e ativado através de atividades envolvendo velas (como por exemplo à criação de luminárias e castiçais) ou aquecimento corporal (danças, exercícios físicos que nos façam suar, etc.)” (Bernardo, 2004, p. 125).

Representa o potencial para criar imagens e atribuir significados para as experiências vividas podendo ser relacionado aos pensamentos, devaneios e fantasias, às histórias e aos relacionamentos.

“Contar histórias, dramatizá-las, bem como o trabalho com mandalas, com costura, tecelagem e fios em geral são formas de proporcionar a elaboração de questões referentes a esse elemento” (Bernardo, 2004, p. 125).

Os indivíduos, de acordo com Bernardo (2001), dispõe dos quatro elementos da Natureza na construção da personalidade, que se articula conforme as características pessoais, história de vida, crenças, cultura, vivências e potenciais.

A expressão artística pode despertar a consciência, “desta forma, o homem na cultura e na civilização, pode antever e concretizar sua compreensão da realidade” (Andrade, 2000, p. 34).
A Arte tem uma função importante e essencial para o desenvolvimento humano “podendo fazer a integração de elementos conflitantes: impulso-controle, amor-acolhimento, versus ódio-agressvidade, sentimento-pensamento, fantasia-realidade, consciente-inconsciente, verbal, pré-verbal e não verbal. (Andrade, 2000, p. 35)”.

Mais do que a densidade da folhagem, a robustez dos ramos, a beleza e o aroma das flores e até mesmo o sabor dos frutos, estão as raízes.
Na raiz encontramos o ser, a causa das coisas e o porquê às mais simples questões: De onde vens?… Para onde vais?…


O Ego
O Ego é o centro da consciência e um dos maiores Arquétipos da perso-nalidade. Ele fornece um sentido de consistência e direção em nossas vidas conscientes. Ele tende a contrapor-se a qualquer coisa que possa ameaçar esta frágil consistência da consciência e tenta convencer-nos de que sempre devemos planejar e analisar conscientemente nossa experiência. Somos levados a crer que o Ego é o elemento central de toda a psique e chegamos a ignorar sua outra metade, o inconsciente.

De acordo com Jung, a princípio a psique é apenas o inconsciente. O Ego emerge dele e reúne numerosas experiências e memórias, desenvolvendo a divisão entre o inconsciente e o consciente. Não há elementos inconscientes no Ego, só conteúdos conscientes derivados da experiência pessoal.

A Persona
Nossa Persona é a forma pela qual nos apresentamos ao mundo. É o caráter que assumimos; através dela nós nos relacionamos com os outros. A Persona inclui nossos papéis sociais, o tipo de roupa que escolhemos para usar e nosso estilo de expressão pessoal. O termo Persona é derivado da palavra latina equivalente a máscara, se refere às máscaras usadas pelos atores no drama grego para dar significado aos papéis que estavam representando. As palavras "pessoa" e "personalidade" também estão relacionadas a este termo.

A Persona tem aspectos tanto positivos quanto negativos. Uma Persona dominante pode abafar o indivíduo e aqueles que se identificam com sua Persona tendem a se ver apenas nos termos superficiais de seus papéis sociais e de sua fachada. Jung chamou também a Persona de Arquétipo da conformidade. Entretanto, a Persona não é totalmente negativa.
        
Ela serve para proteger o Ego e a psique das diversas forças e atitudes sociais que nos invadem.
A Persona é também um instrumento precioso para a comunicação. Nos dramas gregos, as máscaras dos atores, audaciosamente desenhadas, informavam a toda a platéia, ainda que de forma um pouco estereotipada, sobre o caractere as atitudes do papel que cada ator estava representando.

A Persona pode, com freqüência, desempenhar um papel importante em nosso desenvolvimento positivo. À medida que começamos a agir de determinada maneira, a desempenhar um papel, nosso Ego se altera gradualmente nessa direção.

Entre os símbolos comumente usados para a Persona, incluem-se os objetos que usamos para nos cobrir (roupas, véus), símbolos de um papel ocupacional (instrumentos, pasta de documentos) e símbolos de status (carro, casa, diploma). Esses símbolos foram todos encontrados em sonhos como representações da Persona.

Por exemplo, em sonhos, uma pessoa com Persona forte pode aparecer vestida de forma exagerada ou constrangida por um excesso de roupas. Uma pessoa com Persona fraca poderia aparecer despida e exposta. Uma expressão possível de uma Persona extremamente inadequada seria o fato de não ter pele.

A Sombra
Para Jung, a Sombra é o centro do Inconsciente Pessoal, o núcleo do material que foi reprimido da consciência. A Sombra inclui aquelas tendências, desejos, memórias e experiências que são rejeitadas pelo indivíduo como incompatíveis com a Persona e contrárias aos padrões e ideais sociais. Quanto mais forte for nossa Persona, e quanto mais nos identificarmos com ela, mais repudiaremos outras partes de nós mesmos.

A Sombra representa aquilo que consideramos inferior em nossa personalidade e também aquilo que negligenciamos e nunca desenvolvemos em nós mesmos. Em sonhos, a Sombra freqüentemente aparece como um animal, um anão, um vagabundo ou qualquer outra figura de categoria mais baixa.

Em seu trabalho sobre repressão e neurose, Freud concentrou-se, de inicio, naquilo que Jung chama de Sombra. Jung descobriu que o material reprimido se organiza e se estrutura ao redor da Sombra, que se torna, em certo sentido, um Self negativo, a Sombra do Ego.

A Sombra é, via de regra, vivida em sonhos como uma figura escura, primitiva, hostil ou repelente, porque seus conteúdos foram violentamente retirados da consciência e aparecem como antagônicos à perspectiva consciente. Se o material da Sombra for trazido à consciência, ele perde muito de sua natureza de medo, de desconhecido e de escuridão.

A Sombra é mais perigosa quando não é reconhecida pelo seu portador. Neste caso, o indivíduo tende a projetar suas qualidades indesejáveis em outros ou a deixar-se dominar pela Sombra sem o perceber.
Quanto mais o material da Sombra tornar-se consciente, menos ele pode dominar. Entretanto, a Sombra é uma parte integral de nossa natureza e nunca pode ser simplesmente eliminada. Uma pessoa sem Sombra não é uma pessoa completa, mas uma caricatura bidimensional que rejeita a mescla do bom e do mal e a ambivalência presentes em todos nós.

Cada porção reprimida da Sombra representa uma parte de nós mesmos. Nós nos limitamos na mesma proporção que mantemos este material inconsciente.

À medida que a Sombra se faz mais consciente, recuperamos partes previamente reprimidas de nós mesmos. Além disso, a Sombra não é apenas uma força negativa na psique.

Ela é um depósito de considerável energia instintiva, espontaneidade e vitalidade, e é a fonte principal de nossa criatividade. Assim como todos os Arquétipos, a Sombra se origina no Inconsciente Coletivo e pode permitir acesso individual a grande parte do valioso material inconsciente que é rejeitado pelo Ego e pela Persona.

No momento em que acharmos que a compreendemos, a Sombra aparecerá de outra forma. Lidar com a Sombra é um processo que dura a vida toda, consiste em olhar para dentro e refletir honestamente sobre aquilo que vemos lá.


O Self
Jung chamou o Self de Arquétipo central, Arquétipo da ordem e totalidade da personalidade. Segundo Jung, consciente e inconsciente não estão necessariamente em oposição um ao outro, mas complementam-se mutuamente para formar uma totalidade: o Self.

Jung descobriu o Arquétipo do Self apenas depois de estarem concluídas suas investigações sobre as outras estruturas da psique. O Self é com freqüência figurado em sonhos ou imagens de forma impessoal, como um círculo, mandala, cristal ou pedra, ou de forma pessoal como um casal real, uma criança divina, ou na forma de outro símbolo de divindade. Todos estes são símbolos da totalidade, unificação, reconciliação de polaridades, ou equilíbrio dinâmico, os objetivos do processo de Individuação.

O Self é um fator interno de orientação, muito diferente e até mesmo estranho ao Ego e à consciência. Para Jung, o Self não é apenas o centro, mas também toda a circunferência que abarca tanto o consciente quanto o inconsciente, ele é o centro desta totalidade, tal como o Ego é o centro da consciência. Ele pode, de início, aparecer em sonhos como uma imagem significante, um ponto ou uma sujeira de mosca, pelo fato do Self ser bem pouco familiar e pouco desenvolvido na maioria das pessoas.

O desenvolvimento do Self não significa que o Ego seja dissolvido. Este último continua sendo o centro da consciência, mas agora ele é vinculado ao Self como conseqüência de um longo e árduo processo de compreensão e aceitação de nossos processos inconscientes. O Ego já não parece mais o centro da personalidade, mas uma das inúmeras estruturas dentro da psique.

Crescimento Psicológico - Individuação
Segundo Jung, todo indivíduo possui uma tendência para a Individuação ou auto desenvolvimento. Individuação significa tornar-se um ser único, homogêneo. na medida em que por individualidade entendemos nossa singularidade mais íntima, última e incomparável, significando também que nos tornamos o nosso próprio si mesmo. Pode-se traduzir Individuação como tornar-se si mesmo, ou realização do si mesmo.

Individuação é um processo de desenvolvimento da totalidade e, portanto, de movimento em direção a uma maior liberdade. Isto inclui o desenvolvimento do eixo Ego-Self, além da integração de várias partes da psique: Ego, Persona, Sombra, Anima ou Animus e outros Arquétipos inconscientes. Quando tornam-se individuados, esses Arquétipos expressam-se de maneiras mais sutis e complexas.

Quanto mais conscientes nos tornamos de nós mesmos através do auto conhecimento, tanto mais se reduzirá a camada do inconsciente pessoal que recobre o inconsciente coletivo. Desta forma, sai emergindo uma consciência livre do mundo mesquinho, suscetível e pessoal do Eu, aberta para a livre participação de um mundo mais amplo de interesses objetivos. 

Essa consciência ampliada não é mais aquele novelo egoísta de desejos, temores, esperanças e ambições de caráter pessoal, que sempre deve ser compensado ou corrigido por contra-tendências inconscientes; tornar-se-á uma função de relação com o mundo de objetos, colocando o indivíduo numa comunhão incondicional, obrigatória e indissolúvel com o mundo.

Do ponto de vista do Ego, crescimento e desenvolvimento consistem na integração de material novo na consciência, o que inclui a aquisição de conhecimento a respeito do mundo e da própria pessoa.

O crescimento, para o Ego, é essencialmente a expansão do conhecimento consciente. Entretanto, Individuação é o desenvolvimento do Self e, do seu ponto de vista, o objetivo é a união da consciência com o inconsciente. 

Como analista, Jung descobriu que aqueles que vinham a ele na primeira metade da vida estavam relativamente desligados do processo interior de Individuação; seus interesses primários centravam-se em realizações externas, no "emergir" como indivíduos e na consecução dos objetivos do Ego. Analisandos mais velhos, que haviam alcançado tais objetivos, de forma razoável, tendiam a desenvolver propósitos diferentes, interesse maior pela integração do que pelas realizações, busca de harmonia com a totalidade da psique.

O primeiro passo no processo de Individuação é o desnudamento da Persona. Embora esta tenha funções protetoras importantes, ela é também uma máscara que esconde o Self e o inconsciente.
Ao analisarmos a Persona, dissolvemos a máscara e descobrimos que, aparentando ser individual, ela é de fato coletiva; em outras palavras, a Persona não passa de uma máscara da psique coletiva. No fundo, nada tem de real; ela representa um compromisso entre o indivíduo e a sociedade acerca daquilo que alguém parece ser: nome, título, ocupação, isto ou aquilo.

De certo modo, tais dados são reais mas, em relação à individualidade essencial da pessoa, representam algo de secundário, uma vez que resultam de um compromisso no qual outros podem ter uma quota maior do que a do indivíduo em questão.

O próximo passo é o confronto com a Sombra. Na medida em que nós aceitamos a realidade da Sombra e dela nos distinguimos, podemos ficar livres de sua influência. Além disso, nós nos tornamos capazes de assimilar o valioso material do inconsciente pessoal que é organizado ao redor da Sombra.

O terceiro passo é o confronto com a Anima ou Animus. Este Arquétipo deve ser encarado como uma pessoa real, uma entidade com quem se pode comunicar e de quem se pode aprender. Jung faria perguntas à sua Anima sobre a interpretação de símbolos oníricos, tal como um analisando a consultar um analista. O indivíduo também se conscientiza de que a Anima (ou o Animus) tem uma autonomia considerável e de que há probabilidade dela influenciar ou até dominar aqueles que a ignoram ou os que aceitam cegamente suas imagens e projeções como se fossem deles mesmos.

O estágio final do processo de Individuação é o desenvolvimento do Self. Jung dizia que o si mesmo é nossa meta de vida, pois é a mais completa expressão daquela combinação do destino a que nós damos o nome de indivíduo. O Self torna-se o novo ponto central da psique, trazendo unidade à psique e integrando o material consciente e o inconsciente. O Ego é ainda o centro da consciência, mas não é mais visto como o núcleo de toda a personalidade.

Jung escreve que devemos ser aquilo que somos e precisamos descobrir nossa própria individualidade, aquele centro da personalidade que é eqüidistante do consciente e do inconsciente. Dizia que precisamos visar este ponto ideal em direção ao qual a natureza parece estar nos dirigindo. Só a partir deste ponto podemos satisfazer nossas necessidades.

É necessário ter em mente que, embora seja possível descrever a Individuação em termos de estágios, o processo de Individuação é bem mais complexo do que a simples progressão aqui delineada. Todos os passos mencionados sobrepõem-se, e as pessoas voltam continuamente a problemas e temas antigos (espera-se que de uma perspectiva diferente). A Individuação poderia ser apresentada como uma espiral na qual os indivíduos permanecem se confrontando com as mesmas questões básicas, de forma cada vez mais refinada. Este conceito está muito relacionado com a concepção Zen-budista da iluminação, na qual um individuo nunca termina um Koan, ou problema espiritual, e a procura de si mesmo é vista como idêntica à finalidade.)

Cores e significados
Pintar mandalas é mais do que um exercício estético.
A escolha das cores fala de quem pinta.
Para compreender o que as cores dizem de você,
o melhor é deixar-se levar por elas e ao terminar a mandala ler seu significado você terá que optar entre vários e isso é parte do trabalho de afinar sua sensibilidade.
Assim, você terá um quadro de como está sua alma.
Algumas misturas de tons tem conotações psicológicas
precisas ou chamam atenção sobre temas que inquietam.
As crianças são mais espontâneas na escolha das cores,
porque não se sentem tão comprometidas com os critérios estéticos.
Quando estiver mais prática, poderá mudar de um estado para outro,
sabendo de antemão que efeito produzem em você
as diferentes cores e elegendo-as com um propósito específico.
Mas, ao pintar pela primeira vez,
faça-o sem olhar o significado de cada cor.
Amarelo -- Luz,  alegria, entendimento, liberação, crescimento, sabedoria, fantasia, anseio de liberdade. Inveja e superficialidade.
Azul -- Calma, paz, serenidade, segurança. Tédio, paralisação, ingenuidade e vazio.
Branco -- Pureza, perfeição, virtude, liberação, instinto para os negócios, amor pela verdade. Perfeccionismo, tendência à abstração e frieza.
Laranja -- Energia, otimismo, ambição, atividade, valor, confiança em si mesmo. Necessidade de prestígio e frivolidade.
Preto e cinza -- Renovação, dignidade, mudança, retorno. Responsabilidade, desamparo, morte, desespero, tristeza, perda, medo, ameaça e obscuridade.
Vermelho -- Amor, paixão, sensualidade, força, resistência, independência, conquista. Impulsividade, raiva e ódio.
Rosa -- Busca do prazer, elegância, abnegação, domínio da agressividade, carinho, suavidade, discrição. Inibição, ignorância da realidade e sentimentalismo.
Turquesa -- Amizade, sociabilidade, comunicação, imaginação, humor, encantamento. Egoísmo e necessidade de reconhecimento.
Verde -- Equilíbrio, crescimento, esperança, perseverança, força de vontade, cura, integridade, bem-estar, tenacidade, prestígio. Falta de sinceridade, ambição e poder.
Violeta -- Misticismo, magia, espiritualidade, transformação, inspiração. Pena, renúncia e melancolia.

SIGNIFICADO DOS NÚMEROS


NUMERO 1

Síntese
A pessoa 1 é líder, e pioneira, é autoconfiante e individualista em pensamentos e ações, não gosta de receber ordens, deve dirigir seu próprio negócio. Tem capacidade executiva, força de vontade e visão ampla, quer ser melhor entre os melhores e está determinada a ter sucesso.

No amor é dinâmica e determinada embora por vezes seja insistente pois não gosta de esperar pelo que deseja tomando a iniciativa de tudo, preferindo um parceiro que seja submisso ou que aparente o ser.

 

Gostam de viver perigosamente não se importando em correr riscos para aprender o que for necessário ao seu progresso constante e para atingir seus objetivos.

Se essas características não estiverem se manifestando, deve examinar qual o problema de ordem emocional ou cármica que a está impedindo de assumir a sua verdadeira identidade.
Quando os outros números do estudo numerológico não estão em equilíbrio, a pessoa pode cair no extremo oposto às suas qualidades que seriam o egoísmo, falta de tato, intransigência, prepotência.

Personalidade
Se o número da personalidade é um, a pessoa tem aparência imponente e correta, principalmente nos pormenores. É absolutamente original e diferente na sua forma de vestir, não gostando de nada que seja padronizado tendo a tendência a ter a sua marca registrada. É dominador, poderoso, criativo e gosta de independência em todas as áreas de sua vida.
Entretanto, deve aprender a desenvolver mais a paciência , o tato e a diplomacia.
Se os outros números estiverem em equilíbrio e estiver predisposto a tomar consciência e superar as suas limitações pode ser um líder confiante, empreendedor e criativo.

Eu Interior
Se o resultado foi 1, você é inovador, pioneiro, criativo, original, quer dirigir pois tem qualidade de liderança, é sempre auto-suficiente e quer ser o melhor entre os melhores.
O número 1 não tem muita paciência, diplomacia e tato, qualidades essas que deve cultivar, sendo inclinado a ser egoísta, crítico e arrogante se os outros números não estiverem equilibrados, mas, é uma pessoa honesta, leal e deseja ser independente para escolher as suas próprias ações.


NÚMERO 2
Síntese
A pessoa 2 é um excelente diplomata, tem paciência, tato e por natureza, dualista, vê com clareza ambos os lados de uma situação, podendo, com isso, ser uma ótima pacificadora. É modesto, pacífico de aparência simples e agradável.
É tímida, sensível e muitas vezes sem confiança em si própria, não sabe dizer não, sofrendo com isso e dando margem ao abuso de outras pessoas, preferindo sempre seguir do que liderar.
A mulher 2 no amor é sensível, delicada, atenciosa, extremamente graciosa, feminina e meiga. O homem 2 é um romântico, apaixonado, um gentleman.
A pessoa que tem o número 2 como Síntese, precisa aprender a cultivar um propósito definido na vida.
As limitações e dificuldades a serem vencidas são: a excessiva passividade, tendência a adiar e protelar as coisas, insegurança, a falta de persistência e uma dificuldade muito grande em dizer NÂO, o que poderá fazer com que freqüentemente prometa algo que não possa cumprir.

Personalidade
Se o número da personalidade é 2, a pessoa tem aparência simples e agradável, tem um jeito modesto, calmo e pacífico. Embora tenha muito bom gosto e senso artístico desenvolvido, não se sente bem com roupas muito suntuosas e elaboradas, preferindo apresentar-se de forma despretensiosa, jovial e informal, apesar de ser uma pessoa refinada e culta, tem tato e diplomacia em qualquer ambiente, preferindo seguir do que liderar.
Deve aprender a cultivar um propósito na vida e ter persistência para levá-lo ao fim.

Eu Interior
A pessoa que tem o eu interior 2 é sensível e emotiva, magoando-se com muita facilidade, preferindo seguir do que liderar, é culta e refinada, tem tato e diplomacia.
Precisa aprender a cultivar um propósito definido na vida. Costuma fazer muitas promessas para agradar as pessoas, mas dificilmente consegue cumpri-las, por isso está sempre se desculpando.
Procura a paz e harmonia, não gosta de dizer não, é amável e delicada por natureza.


NÚMERO 3
Síntese

A pessoa 3 é jovial, alegre e expansiva, tem talento para expressar-se escrevendo, falando ou em áreas artísticas pois é dotada de grande imaginação e criatividade, atraindo com isso grandes oportunidades na vida, tornando-se muito popular nos lugares onde freqüenta. É dotada de ótimo senso de humor e leva sempre consigo a alegria onde quer que vá. Gosta de estar sempre bem informada a respeito de tudo que acontece em todas as áreas.
No amor, é criativa e companheira, adora ser admirada e bem recebida, não gosta de críticas e é muito sensível.
Se encontrar um parceiro ou parceira que a agrade e eleve o seu ego, poderá viver permanentemente em lua-de-mel, gostando muito de criança e animais.
Quando os outros números do estudo numerológico não estão equilibrados tem a tendência a dispersar seus talentos, começando várias coisas e não terminando nada, tornando-se crítica e exigente, sofrendo freqüentemente de dúvidas além de atormentar-se internamente pelas críticas sofridas, e se a pressão for muito grande, foge para as drogas ou álcool, sendo neste caso necessário a ajuda especializada pois é muito sensível e insegura para sair sozinha das dificuldades.

Personalidade
Se o número da personalidade for 3, a pessoa tem a aparência jovem e atualizada, está sempre bem informada a respeito da moda e dos comportamentos de vanguarda, gostando de festas, sociedade e amigos, possuindo ótimo senso de humor e leva sempre a alegria consigo. Gosta de crianças e animais de estimação, tem talento não só para a arte, como para qualquer forma de expressão.
Precisa desenvolver a concentração e aprender a não dispersar seus talentos.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 3 é alegre e expansiva de natureza intuitiva e artística, sempre disposta a ajudar os outros,tem caráter franco e leal, honesta e justa em pensamentos e ações.
Precisa aprender a terminar suas tarefas antes de começar outras, devendo evitar ser tão crítica e exigente, não devendo esquecer que sua imaginação fértil e criativa atrai muitas pessoas à sua volta e muitas oportunidades na vida.


NÚMERO 4
Síntese

A pessoa 4 é uma disciplinadora, tem determinação e tenacidade de propósitos, é prática, analítica e excelente em trabalhos de pormenores e organização sendo mais feliz nos trabalhos que exigem esforço regular e metódico, tem habilidade mecânica e trabalha bem com as mãos, é pontual e responsável sendo a pessoal ideal para ocupar cargos públicos de alta responsabilidade, pois cumpre rigorosamente suas obrigações e é excelente no manejo de assuntos burocráticos, tendo paciência para insistir em uma tarefa até conseguir bons resultados.
No amor é fiel e tranqüila, precisa de afeto,mas muitas vezes deixa de atrair por sua seriedade, procurando cumprir as obrigações no amor como se estivesse no trabalho.
As dificuldades e limitações que deve superar são: a tendência a apegar-se a valores muito limitados e conceitos rígidos, levando muitas vezes à pobreza e ao insucesso, pois tem muita resistência a mudanças, perdendo com isso, ótimas oportunidades, deve também cuidar-se para não tornar-se avarenta pois é muito econômica.
Se essas tendências não forem muito evidentes pode ser pelo predomínio de algum outro número no estudo numerológico.


Personalidade
Se o número da personalidade for 4 a pessoa tem aparência simples e clássica e as vezes excêntrica, gostando de roupas práticas e resistentes, é conservadora, inspira confiança, tem paciência e perseverante para insistir em uma tarefa até conseguir bons resultados, disciplinada, gostas das coisas sistemáticas e metódicas.
Deve aprender a aceitar melhor as mudanças, pode fazer trabalho de rotina e até mesmo trabalho pesado sem desanimar apesar de ter habilidade para trabalhos manuais.

Eu Interior
A pessoa que tem o eu interior 4 é metódica, econômica e organizada, tem habilidade mecânica natural e trabalha bem com as mãos, é pontual, responsável, é a pessoa ideal para ocupar cargos públicos de responsabilidade, pois cumpre rigorosamente suas obrigações e é excelente no manejo de assuntos burocráticos.
Entretanto, muitas vezes comete erro de apreciação dos valores da vida, o que faz com que não consiga êxito financeiro, tem resistência a mudanças, o que faz perder, muitas vezes, ótimas oportunidades.


NÚMERO 5
Síntese

A pessoa 5 é versátil e magnética, tem mente rápida e relaciona-se muito bem, mas, no fundo do coração é uma aventureira, inquieta, nervosa e deseja a liberdade, o que contribui para que a instabilidade faça parte de sua caminhada em todas as áreas, devendo aprender a conviver bem com as mudanças.
No amor é provocante, sensual, apaixonada, adora viagens e novas experiências, detestando a rotina e tudo aquilo que é convencional. De personalidade interessante desperta o interesse do sexo oposto, e dificilmente ficará numa relação durante toda vida, a não ser por uma forte influência cultural ou com a predominância de outros números.
No trabalho não gosta de seguir planos definidos, tem facilidade para assimilar e gosta de serviço externo. Com fortes inclinações filosóficas e culturais ver-se-á constantemente envolvida com tais grupos.
As dificuldades e limitações que precisa vencer são: a ansiedade e a angústia mascaradas pela alegria, tendência à dependência química ou jogos. Sendo muito impulsiva deverá procurar aprofundar-se mais, pelo menos nos assuntos de seu interesse, pois a tendência é ficar sempre na superfície.

Personalidade
A pessoa com o número 5 na personalidade tem aparência atraente e atualizada, acompanhando a moda com interesse e gosta das novidades, tem personalidade interessante e magnética e embora nem sempre perceba, desperta a atenção do sexo oposto pelo charme e magnetismo.
Como têm grande atração pós assuntos filosóficos e intelectuais, verse-a constantemente envolvida com tais grupos.
Não é uma pessoa que goste de envolver-se com trabalhos burocráticos e rotineiros, por isso dará sempre preferência a trabalhos versáteis e com movimento.
Adora viagens, gosta de aventura e novas experiências, devendo ter cuidado com dependências químicas e jogos de azar.
Precisa desenvolver mais a paciência e a concentração.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 5 é atuante e dinâmica, adapta-se facilmente a qualquer ambiente porque é muito versátil, ama as mudanças, viagens e atividades novas, tem inclinações filosóficas e intelectuais, gostando de investigar e promover eventos, portanto, detesta a rotina e pormenores, estando sempre em busca de aventura.
Deve desenvolver mais a paciência e a concentração.
Se os outros números do mapa não estiverem em equilíbrio, poderá ser uma presa fácil do álcool, drogas ou envolver-se freqüentemente em problemas numa tentativa inconsciente de viver perigosamente.



NÚMERO 6
Síntese

A pessoa 6 é honesta, equilibrada, harmônica, ama o lar e a família. Gosta de ambiente confortável e acolhedor, querendo sempre melhorar o seu padrão de vida para dar mais conforto e harmonia a sua família. É emotiva, bondosa, gosta de ajudar os outros e dar conselhos. Amante das artes, da harmonia e da beleza.
No amor é extremamente carinhosa, doce, devotada, calorosa, aconchegante, incansável com o ser amado, geralmente fiel ao casamento e quer uma relação que dure para sempre, pois a família é primordial em sua vida.
O número 6 tem influência do planeta Vênus que rege o amor a beleza e a harmonia.
As dificuldades e limitações a serem vencidas são: teimosia, rigidez em opiniões e idéias, o mau hábito de discutir veementemente, a dificuldade de superar preconceitos, hábitos conservadores e a excessiva preocupação com as pessoas da família.

Personalidade
Se o número da personalidade é 6, a pessoa tem aparência elegante e encantadora, veste-se bem mas prefere as roupas confortáveis, soltas e folgadas. Tem um jeito bondoso e amigável, inspira confiança e acolhimento, adora um lar aconchegante, é extremamente familiar e uma excelente anfitriã.
Tem tendência ao excesso de peso, devendo evitar a teimosia e intrometer-se na vida dos outros.

Eu Interior
A pessoa que tem seu Eu Interior 6 é responsável, honesta, bondosa e digna de confiança, gosta de artes, da harmonia e da beleza. Necessita um ambiente no lar que seja confortável e acolhedor, tem a família como primordial em sua vida.
Como seu foco principal é a família, esforça-se para melhorar seu padrão de vida para dar mais conforto e alegria para sua família.
Gosta de ajudar os outros e dar conselhos, mas deve evitar as discussões, a teimosia e a interferência na vida das pessoas, mesmo que sejam familiares.


NÚMERO 7
Síntese

A pessoa 7 é intuitiva, estudiosa e teórica, busca conhecimento, sabedoria e a perfeição, sendo mais exigente consigo mesmo do que com os outros. Não gosta de trabalhos manuais, da rotina e muito menos do trabalho braçal, gosta de paz e quietude para meditar de preferência em contato com a natureza.
Ama o mistério e procura compreender as leis espirituais porque tem espírito cético e analítico, querendo explicações científicas para tudo.
No amor é introspectiva e misteriosa, mas apesar da aparente frieza, esconde paixões profundas, mas dificilmente é feliz nas relações afetivas.
Não é popular em sociedade porque raras vezes é compreendida, sentindo-se mais a vontade com os bichinhos de estimação do que com as pessoas.
Recebe influência do planeta Netuno, deus do mar e do reino psíquico.
As dificuldades e limitações que devem ser superadas são: a dificuldade de estar com os pés no chão, a dificuldade de encarar a realidade como ela se apresenta e não preferindo enxergar tudo com lentes cor-de-rosa, a tendência à ironia, frieza e depressão.

Personalidade
Se o número da personalidade é o 7 a pessoa tem aparência distinta e refinada, que se vestem com muita sobriedade, são reservadas, intuitivas, observadoras, são atraídas para os mistérios e procuram por isso compreender as leis espirituais pois são de natureza cética e analítica.
Gostam do contato com a natureza e a quietude para meditar.
Devem evitar serem frias e irônicas com as pessoas.
Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 7 é inteligente, intelectual, científica, filosófica e espiritual, gosta de paz e quietude para meditar preferindo para isso o contato com a natureza.
Não gosta de trabalhos manuais nem tampouco de rotinas. São intuitivas e perfeccionistas, buscam o conhecimento e a sabedoria, mas tem a tendência a mostrarem-se frias, irônicas, satíricas com pessoas e situações.


NÚMERO 8
Síntese

A pessoa 8 é uma administradora nata, com excelente tino comercial, capacidade executiva e é eficiente em tudo que faz, perfeccionista, critica, analítica, sempre interessada na expansão em larga escala, quer dinheiro e poder material.
No amor também é empreendedora, deliberada, não aceita respostas negativas, vai a luta até atingir os seus objetivos.
Por outro lado não deve confiar muito na sorte, pois precisará trabalhar muito para progredir na vida.
É uma pessoa intelectual, equilibrada, tem um jeito próspero, eficiente e refinado, não gosta de objetos baratos, tem tendências materialistas, esquecendo muitas vezes de cuidar do lado espiritual e afetivo de sua existência, a não ser que existam outros números que equilibrem esta tendência.
O ideal desta vibração, o ideal é procurar o equilíbrio entre o espírito e a matéria.
Se essas características não são evidentes na vida da pessoa 8, com certeza houve algum problema emocional ou cármico na infância que está interferindo na expressão da sua verdadeira identidade.
As limitações e dificuldades que precisa vencer quando existe um desequilíbrio entre outros números são: a ambição exagerada, mente negativa e materialista, inveja, ciúme e desconfiança.
Personalidade
Se o número da personalidade é 8, a pessoa tem aparência influente e cheia de sucesso mesmo quando está sem dinheiro, gosta de roupas de alta qualidade e dá especial atenção aos acessórios. Tem um jeito próspero, eficiente, refinado, é intelectual, bem equilibrada e perfeccionista.
Sua vida melhora cada vez mais quando começa a buscar equilíbrio entre o espírito e a matéria, e, como é muito perfeccionista e eficiente em tudo que faz deve procurar ser mais condescendente e tolerante com as limitações das pessoas que a rodeiam.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 8 é eficiente, perfeccionista, analítica em tudo que faz, dotada de tato, visão, imaginação para grandes negócios, tem força, coragem e energia para dirigir e não gosta de ser dirigida.
Não deve confiar muito na sorte pois precisa trabalhar muito para progredir na vida, mas o retorno do seu trabalho geralmente é compensador.
Deve buscar o equilíbrio entre o espírito e a matéria pois assim como é muito eficiente em tudo o que faz, tem muitas responsabilidades afetivas e familiares que deve cumprir sem esperar retorno.
A pessoa 8 precisa aprender a aceitar as pessoas exatamente como elas são, com seus egoísmos e limitações, deve aprender a desenvolver a tolerância e o amor incondicional.


NÚMERO 9
Síntese

A pessoa 9 é generosa, humanitária, é atraída e amada por todos, vê o bem em todas as pessoas, tem muita capacidade de doação sem esperar nenhuma recompensa, é como se fosse o irmão mais velho da humanidade ou pelo menos deve ser assim, pois caso contrário poderá sofrer muitas desilusões e decepções na vida.
É uma pessoa de personalidade magnética, encantadora, dotada de mente ampla, idealista, percebe facilmente as dificuldades e necessidades dos outros, é generosa e pacífica, mas torna-se ardente e agressiva quando diante de obstáculos ou é provocada. Precisa sentir-se livre em todos os sentidos e sabe lutar por essa liberdade.
São pessoas apaixonadas, dinâmicas, honestas, sinceras e inspiram confiança e por isso conseguem resultados facilmente em coisas que os outros não conseguem levar avante. São fortes, guerreiras, lutam pelos seus ideais e pelos dos outros.
No amor são generosas e gostam de colocar o ser amado em um pedestal partindo da premissa que a caridade começa em casa e de desvela para isto.
Quando existe um acúmulo de noves num mapa numerológico ou os números não estão equilibrados, fica mais acentuada as dificuldades.
Essas dificuldades e limitações que devem ser superadas são: as crises de raiva, explosões emocionais freqüentes, egoísmo e a impulsividade. Pela lei dos opostos também acontece dessas pessoas serem escondidas e não demonstrarem o seu temperamento fortemente emocional.
A melhor maneira de se conviver bem com uma pessoa 9 é estimular o seu lado positivo sem provocar a sua fúria.
A missão maior da pessoa 9 é dar tudo a todos sem esperar nada em troca, pois só assim será feliz.

Personalidade
Se o 9 é o seu número da personalidade você é uma pessoa de aparência magnética e encantadora, com jeito amistoso, generoso que inspira confiança. É independente, liberal, guerreira e corajosa, com mente ampla, idealista, percebe facilmente as dificuldades e necessidades dos outros.
É geralmente uma pessoa sem preconceitos, quer ajudar a todos indistintamente.
Sua missão de vida e dar tudo a todos sem esperar nada em troca, só assim será feliz.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 9 é filantrópica, humanitária, generosa, pacífica, mas tornas-se ardente e agressiva quando se encontra diante de obstáculos, necessitando sentir-se livre em todos os sentidos e sabe lutar por essa liberdade. Vê o bem em todas as pessoas e é amada por todos.
Deve aprender a controlar sua forte energia emocional que pode ser explosiva se não for bem canalizada.


NÚMERO 11
O 11 é um número que traz muito conhecimento intuitivo, místico e idealista. É uma vibração de extrema sensibilidade psíquica. Dificilmente a pessoa que está sob esta influência tem a segurança suficiente para assumir todo este potencial no início da vida, muitas vezes só a maturidade consegue expressar plenamente o conteúdo de sabedoria que já vem adquirindo de longa data.
No início geralmente existem muitos medos, dúvidas e incertezas em relação aos pressentimentos, intuições, premunições ou outras manifestações extra-sensoriais de que são dotados e fazem parte do seu dia a dia. Somente com muito estudo e dedicação a um trabalho de pesquisa que possa observar e comprovar estes fenômenos, adquirem a segurança necessária para tirarem um bom proveito deste potencial.
Esta vibração incentiva à busca pela paz e a harmonia entre os homens. Induz a liderança pacífica pelos altos ideais humanitários.
Por essas razões a pessoa que tem o 11 no seu estudo numerológico deve tratar com muita seriedade as suas limitações e inseguranças, pois sua responsabilidade como exemplo é grande. Seu lugar é em frente ao público, liderando, fazendo palestras o orientando, ministrando cursos, pois as pessoas percebem a sua sabedoria e gostam de ouvi-lo.


NÚMERO 22
O 22 é um número de mestrado espiritual no plano da matéria. A pessoa que recebe esta vibração é filosófica e idealista como o 11, mas tem um pensamento lógico e teórico, é pratica e organizada. Essa diferença faz com que consiga pôr em prática tudo que prega com mais facilidade que o 11. Tem altas aspirações, mas os pés firmemente plantados no chão. Está capacitada a levar avante seus planos e alcançar as suas metas.
Pode ver as coisas em larga escala. Seu poder e influência ultrapassam as fronteiras do seu meio e tende a tornar-se conhecida nacional e internacionalmente. Tem paciência e perseverança para insistir numa tarefa até obter bons resultados e atingir seus objetivos. É bom diplomata e estaria bem a serviço do governo.
De modo geral estas pessoas não são inseguras como o 11, por isso conseguem se posicionar mais cedo na vida e assumir seu potencial pelo menos parcialmente até a plenitude na maturidade.


NÚMERO 33
Se acontecer de um nome ou data de nascimento somar 33, deverá ser reduzido a um 6, pois esta é uma vibração extremamente elevada para um ser humano comum. São espíritos que vieram com a missão de dedicarem toda a sua vida e seu amor aos necessitados, sem nada esperar em troca.
É uma vibração do nível de Madre Tereza de Calcutá ou Irmã Dulce, que como podemos perceber, não fazem parte dos seres humanos comuns, a não ser que queira seguir uma missão assim tão especial.


NÚMEROS CÁRMICOS
A evolução humana e planetária pode ser percebida na escala evolutiva dos números de 1 a 9, que formam a roda cármica das encarnações.
Segundo estudos, todos os seres durante o seu processo evolutivo neste planeta, precisam passar pelas experiências representadas em cada um dos números desta roda.
Como já sabemos carma é aprendizado, então teoricamente todos os números são cármicos, pois muito temos que aprender com cada um deles.
Existem quatro números no entanto que, por apresentarem um peso maior neste particular, são de fato considerados números cármicos. Assim como os mestres eles permanecem inalterados não devendo ser reduzidos à unidade e são eles o 13, o 14, o 16 e 19.
Quando estes números aparecerem no seu mapa numerológico não devem ser motivo de preocupação, apesar de representarem desafios maiores, podemos transmutar e passarem a representar um grande estímulo ou uma grande adversidade, dependendo da direção que cada um escolher dar a sua vida, a seu destino.

NÚMERO 13
Em primeiro vamos esquecer aquele velho pensamento que o número 13 é um número de azar, maléfico, estamos no terceiro milênio e com idéias bem mais amplas.
O 13 no Tarô representa a morte, mas no entanto não deve ser confundida com a morte física e sim vista como término de um ciclo para o início de outra em qualquer área de sua vida.
Como o 13 corresponde ao 4 pela redução numérica, os desafios são os mesmos, embora mais intensos. A palavra-chave é trabalho no plano material. O aviso dado é no sentido de não nos entregarmos a preguiça, a inércia e a ineficiência. Muitas provas e desafios serão colocados nesta área para que a indiferença pelo trabalho, às desconfianças e as más atitudes não comprometam o nosso potencial positivo, desperdiçando assim as oportunidades de ascensão.
O 13 pode trazer dificuldades financeiras desde a infância, ou a necessidade de trabalhar muito cedo para que seja corrigida alguma distorção de valores trazida pelo espírito.
Se a advertência for devidamente entendida e corrigida a vida transcorrerá normalmente pois o desafio foi superado, caso contrário, as experiências continuarão se repetindo até que se aprenda a lição.

NÚMERO 14
O 14 mostra uma vida passada desregrada em todos os sentidos, tanto no que diz respeito a vícios, prazeres físicos como a aventuras e inconseqüências em relação a bens materiais, como por exemplo perder tudo no jogo e deixar a família na miséria. A mensagem básica do número 14 é equilíbrio.
No Tarô o 14 é a Temperança, que como o nome já o diz devemos evitar os extremos e principalmente exercitar a disciplina o que é geralmente muito duro para um 14 aprender como lição pois tenta sempre ganhar sua liberdade de forma destrutiva ou não se importando com os outros.
O número 14 corresponde ao número 5 reduzido a um único dígito, portanto os desafios também são semelhantes e também de forma mais intensa.
Podem acontecer perdas materiais ou muita instabilidade em todas as áreas, resultando disso que não conseguem construir nada sólido na vida material nem afetiva.
Se a pessoa que tem o 14 no seu mapa do nascimento tiver uma educação rígida e conseguir desenvolver disciplina e sólidos valores morais desde cedo, a vida pode se desenrolar normalmente pois os desafios foram superados, caso contrário haverá perdas e desapontamentos até a lição ser aprendida.

NÚMERO 16
O 16 é o número da derrocada do ego. No Tarô é representado pela Torre e indica que as estruturas montadas sobre falsos valores como a vaidade, orgulho e a posse principalmente no plano afetivo, tendem a ruírem.
Essa estrutura foi construída no passado pela ignorância e pelas ações egoístas indicando carma de antigos amores ilegítimos que podem ter causado muitas dores e prejuízos.
A lição é o desapego em todos os sentidos.
O 16 reduzido a um único dígito temos 0 7 que é regido pelo planeta Netuno que é nebuloso e enganador para obrigar as pessoas que estão sob sua influência a exercitarem a vigilância constante, tanto sobre si própria como também sobre os que as rodeiam para que não fique nenhuma questão duvidosa que possa dar origem a outras interpretações.
A lição, é através da ampliação da consciência de pensamentos límpidos e honestos, mente clara e transparente.

NÚMERO 19
O 19 mostra um passado de poder e tirania, exercido com crueldade e prepotência. A pessoa com este número, principalmente no Eu Interior pode ter envolvimento cármico com pequenos e grandes grupos, seja no trabalho, no lazer, nos estudos ou na família. A Chefia, a liderança e o poder estão sempre na sua direção quer ela queira ou não.
Sua grande lição aqui é a liderança positiva.
Sua tendência geralmente é fugir de qualquer tipo de liderança pelo medo inconsciente de escorregar para a prepotência. Precisa compreender que é somente através do exercício consciente do poder, exercido com justiça e equilíbrio que esta lição será aprendida.
No Tarô o 19 é o SOL, uma força viva e poderosa que serve para aquecer-nos e iluminar o nosso caminho, mas que também pode queimar e cegar aos inconseqüentes.
O 19 adverte que o verdadeiro líder é aquele que vai na frente, iluminando o caminho daqueles que o seguem, e no momento em que esta lição for aprendida, a pessoa poderá sentir-se livre e a vida transcorrerá de forma tranqüila e positiva.

r melhor entre os melhores e está determinada a ter sucesso.

No amor é dinâmica e determinada embora por vezes seja insistente pois não gosta de esperar pelo que deseja tomando a iniciativa de tudo, preferindo um parceiro que seja submisso ou que aparente o ser.

 

Gostam de viver perigosamente não se importando em correr riscos para aprender o que for necessário ao seu progresso constante e para atingir seus objetivos.

Se essas características não estiverem se manifestando, deve examinar qual o problema de ordem emocional ou cármica que a está impedindo de assumir a sua verdadeira identidade.
Quando os outros números do estudo numerológico não estão em equilíbrio, a pessoa pode cair no extremo oposto às suas qualidades que seriam o egoísmo, falta de tato, intransigência, prepotência.

Personalidade
Se o número da personalidade é um, a pessoa tem aparência imponente e correta, principalmente nos pormenores. É absolutamente original e diferente na sua forma de vestir, não gostando de nada que seja padronizado tendo a tendência a ter a sua marca registrada. É dominador, poderoso, criativo e gosta de independência em todas as áreas de sua vida.
Entretanto, deve aprender a desenvolver mais a paciência , o tato e a diplomacia.
Se os outros números estiverem em equilíbrio e estiver predisposto a tomar consciência e superar as suas limitações pode ser um líder confiante, empreendedor e criativo.

Eu Interior
Se o resultado foi 1, você é inovador, pioneiro, criativo, original, quer dirigir pois tem qualidade de liderança, é sempre auto-suficiente e quer ser o melhor entre os melhores.
O número 1 não tem muita paciência, diplomacia e tato, qualidades essas que deve cultivar, sendo inclinado a ser egoísta, crítico e arrogante se os outros números não estiverem equilibrados, mas, é uma pessoa honesta, leal e deseja ser independente para escolher as suas próprias ações.


NÚMERO 2
Síntese
A pessoa 2 é um excelente diplomata, tem paciência, tato e por natureza, dualista, vê com clareza ambos os lados de uma situação, podendo, com isso, ser uma ótima pacificadora. É modesto, pacífico de aparência simples e agradável.
É tímida, sensível e muitas vezes sem confiança em si própria, não sabe dizer não, sofrendo com isso e dando margem ao abuso de outras pessoas, preferindo sempre seguir do que liderar.
A mulher 2 no amor é sensível, delicada, atenciosa, extremamente graciosa, feminina e meiga. O homem 2 é um romântico, apaixonado, um gentleman.
A pessoa que tem o número 2 como Síntese, precisa aprender a cultivar um propósito definido na vida.
As limitações e dificuldades a serem vencidas são: a excessiva passividade, tendência a adiar e protelar as coisas, insegurança, a falta de persistência e uma dificuldade muito grande em dizer NÂO, o que poderá fazer com que freqüentemente prometa algo que não possa cumprir.

Personalidade
Se o número da personalidade é 2, a pessoa tem aparência simples e agradável, tem um jeito modesto, calmo e pacífico. Embora tenha muito bom gosto e senso artístico desenvolvido, não se sente bem com roupas muito suntuosas e elaboradas, preferindo apresentar-se de forma despretensiosa, jovial e informal, apesar de ser uma pessoa refinada e culta, tem tato e diplomacia em qualquer ambiente, preferindo seguir do que liderar.
Deve aprender a cultivar um propósito na vida e ter persistência para levá-lo ao fim.

Eu Interior
A pessoa que tem o eu interior 2 é sensível e emotiva, magoando-se com muita facilidade, preferindo seguir do que liderar, é culta e refinada, tem tato e diplomacia.
Precisa aprender a cultivar um propósito definido na vida. Costuma fazer muitas promessas para agradar as pessoas, mas dificilmente consegue cumpri-las, por isso está sempre se desculpando.
Procura a paz e harmonia, não gosta de dizer não, é amável e delicada por natureza.


NÚMERO 3
Síntese

A pessoa 3 é jovial, alegre e expansiva, tem talento para expressar-se escrevendo, falando ou em áreas artísticas pois é dotada de grande imaginação e criatividade, atraindo com isso grandes oportunidades na vida, tornando-se muito popular nos lugares onde freqüenta. É dotada de ótimo senso de humor e leva sempre consigo a alegria onde quer que vá. Gosta de estar sempre bem informada a respeito de tudo que acontece em todas as áreas.
No amor, é criativa e companheira, adora ser admirada e bem recebida, não gosta de críticas e é muito sensível.
Se encontrar um parceiro ou parceira que a agrade e eleve o seu ego, poderá viver permanentemente em lua-de-mel, gostando muito de criança e animais.
Quando os outros números do estudo numerológico não estão equilibrados tem a tendência a dispersar seus talentos, começando várias coisas e não terminando nada, tornando-se crítica e exigente, sofrendo freqüentemente de dúvidas além de atormentar-se internamente pelas críticas sofridas, e se a pressão for muito grande, foge para as drogas ou álcool, sendo neste caso necessário a ajuda especializada pois é muito sensível e insegura para sair sozinha das dificuldades.

Personalidade
Se o número da personalidade for 3, a pessoa tem a aparência jovem e atualizada, está sempre bem informada a respeito da moda e dos comportamentos de vanguarda, gostando de festas, sociedade e amigos, possuindo ótimo senso de humor e leva sempre a alegria consigo. Gosta de crianças e animais de estimação, tem talento não só para a arte, como para qualquer forma de expressão.
Precisa desenvolver a concentração e aprender a não dispersar seus talentos.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 3 é alegre e expansiva de natureza intuitiva e artística, sempre disposta a ajudar os outros,tem caráter franco e leal, honesta e justa em pensamentos e ações.
Precisa aprender a terminar suas tarefas antes de começar outras, devendo evitar ser tão crítica e exigente, não devendo esquecer que sua imaginação fértil e criativa atrai muitas pessoas à sua volta e muitas oportunidades na vida.


NÚMERO 4
Síntese

A pessoa 4 é uma disciplinadora, tem determinação e tenacidade de propósitos, é prática, analítica e excelente em trabalhos de pormenores e organização sendo mais feliz nos trabalhos que exigem esforço regular e metódico, tem habilidade mecânica e trabalha bem com as mãos, é pontual e responsável sendo a pessoal ideal para ocupar cargos públicos de alta responsabilidade, pois cumpre rigorosamente suas obrigações e é excelente no manejo de assuntos burocráticos, tendo paciência para insistir em uma tarefa até conseguir bons resultados.
No amor é fiel e tranqüila, precisa de afeto,mas muitas vezes deixa de atrair por sua seriedade, procurando cumprir as obrigações no amor como se estivesse no trabalho.
As dificuldades e limitações que deve superar são: a tendência a apegar-se a valores muito limitados e conceitos rígidos, levando muitas vezes à pobreza e ao insucesso, pois tem muita resistência a mudanças, perdendo com isso, ótimas oportunidades, deve também cuidar-se para não tornar-se avarenta pois é muito econômica.
Se essas tendências não forem muito evidentes pode ser pelo predomínio de algum outro número no estudo numerológico.


Personalidade
Se o número da personalidade for 4 a pessoa tem aparência simples e clássica e as vezes excêntrica, gostando de roupas práticas e resistentes, é conservadora, inspira confiança, tem paciência e perseverante para insistir em uma tarefa até conseguir bons resultados, disciplinada, gostas das coisas sistemáticas e metódicas.
Deve aprender a aceitar melhor as mudanças, pode fazer trabalho de rotina e até mesmo trabalho pesado sem desanimar apesar de ter habilidade para trabalhos manuais.

Eu Interior
A pessoa que tem o eu interior 4 é metódica, econômica e organizada, tem habilidade mecânica natural e trabalha bem com as mãos, é pontual, responsável, é a pessoa ideal para ocupar cargos públicos de responsabilidade, pois cumpre rigorosamente suas obrigações e é excelente no manejo de assuntos burocráticos.
Entretanto, muitas vezes comete erro de apreciação dos valores da vida, o que faz com que não consiga êxito financeiro, tem resistência a mudanças, o que faz perder, muitas vezes, ótimas oportunidades.


NÚMERO 5
Síntese

A pessoa 5 é versátil e magnética, tem mente rápida e relaciona-se muito bem, mas, no fundo do coração é uma aventureira, inquieta, nervosa e deseja a liberdade, o que contribui para que a instabilidade faça parte de sua caminhada em todas as áreas, devendo aprender a conviver bem com as mudanças.
No amor é provocante, sensual, apaixonada, adora viagens e novas experiências, detestando a rotina e tudo aquilo que é convencional. De personalidade interessante desperta o interesse do sexo oposto, e dificilmente ficará numa relação durante toda vida, a não ser por uma forte influência cultural ou com a predominância de outros números.
No trabalho não gosta de seguir planos definidos, tem facilidade para assimilar e gosta de serviço externo. Com fortes inclinações filosóficas e culturais ver-se-á constantemente envolvida com tais grupos.
As dificuldades e limitações que precisa vencer são: a ansiedade e a angústia mascaradas pela alegria, tendência à dependência química ou jogos. Sendo muito impulsiva deverá procurar aprofundar-se mais, pelo menos nos assuntos de seu interesse, pois a tendência é ficar sempre na superfície.

Personalidade
A pessoa com o número 5 na personalidade tem aparência atraente e atualizada, acompanhando a moda com interesse e gosta das novidades, tem personalidade interessante e magnética e embora nem sempre perceba, desperta a atenção do sexo oposto pelo charme e magnetismo.
Como têm grande atração pós assuntos filosóficos e intelectuais, verse-a constantemente envolvida com tais grupos.
Não é uma pessoa que goste de envolver-se com trabalhos burocráticos e rotineiros, por isso dará sempre preferência a trabalhos versáteis e com movimento.
Adora viagens, gosta de aventura e novas experiências, devendo ter cuidado com dependências químicas e jogos de azar.
Precisa desenvolver mais a paciência e a concentração.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 5 é atuante e dinâmica, adapta-se facilmente a qualquer ambiente porque é muito versátil, ama as mudanças, viagens e atividades novas, tem inclinações filosóficas e intelectuais, gostando de investigar e promover eventos, portanto, detesta a rotina e pormenores, estando sempre em busca de aventura.
Deve desenvolver mais a paciência e a concentração.
Se os outros números do mapa não estiverem em equilíbrio, poderá ser uma presa fácil do álcool, drogas ou envolver-se freqüentemente em problemas numa tentativa inconsciente de viver perigosamente.



NÚMERO 6
Síntese

A pessoa 6 é honesta, equilibrada, harmônica, ama o lar e a família. Gosta de ambiente confortável e acolhedor, querendo sempre melhorar o seu padrão de vida para dar mais conforto e harmonia a sua família. É emotiva, bondosa, gosta de ajudar os outros e dar conselhos. Amante das artes, da harmonia e da beleza.
No amor é extremamente carinhosa, doce, devotada, calorosa, aconchegante, incansável com o ser amado, geralmente fiel ao casamento e quer uma relação que dure para sempre, pois a família é primordial em sua vida.
O número 6 tem influência do planeta Vênus que rege o amor a beleza e a harmonia.
As dificuldades e limitações a serem vencidas são: teimosia, rigidez em opiniões e idéias, o mau hábito de discutir veementemente, a dificuldade de superar preconceitos, hábitos conservadores e a excessiva preocupação com as pessoas da família.

Personalidade
Se o número da personalidade é 6, a pessoa tem aparência elegante e encantadora, veste-se bem mas prefere as roupas confortáveis, soltas e folgadas. Tem um jeito bondoso e amigável, inspira confiança e acolhimento, adora um lar aconchegante, é extremamente familiar e uma excelente anfitriã.
Tem tendência ao excesso de peso, devendo evitar a teimosia e intrometer-se na vida dos outros.

Eu Interior
A pessoa que tem seu Eu Interior 6 é responsável, honesta, bondosa e digna de confiança, gosta de artes, da harmonia e da beleza. Necessita um ambiente no lar que seja confortável e acolhedor, tem a família como primordial em sua vida.
Como seu foco principal é a família, esforça-se para melhorar seu padrão de vida para dar mais conforto e alegria para sua família.
Gosta de ajudar os outros e dar conselhos, mas deve evitar as discussões, a teimosia e a interferência na vida das pessoas, mesmo que sejam familiares.


NÚMERO 7
Síntese

A pessoa 7 é intuitiva, estudiosa e teórica, busca conhecimento, sabedoria e a perfeição, sendo mais exigente consigo mesmo do que com os outros. Não gosta de trabalhos manuais, da rotina e muito menos do trabalho braçal, gosta de paz e quietude para meditar de preferência em contato com a natureza.
Ama o mistério e procura compreender as leis espirituais porque tem espírito cético e analítico, querendo explicações científicas para tudo.
No amor é introspectiva e misteriosa, mas apesar da aparente frieza, esconde paixões profundas, mas dificilmente é feliz nas relações afetivas.
Não é popular em sociedade porque raras vezes é compreendida, sentindo-se mais a vontade com os bichinhos de estimação do que com as pessoas.
Recebe influência do planeta Netuno, deus do mar e do reino psíquico.
As dificuldades e limitações que devem ser superadas são: a dificuldade de estar com os pés no chão, a dificuldade de encarar a realidade como ela se apresenta e não preferindo enxergar tudo com lentes cor-de-rosa, a tendência à ironia, frieza e depressão.

Personalidade
Se o número da personalidade é o 7 a pessoa tem aparência distinta e refinada, que se vestem com muita sobriedade, são reservadas, intuitivas, observadoras, são atraídas para os mistérios e procuram por isso compreender as leis espirituais pois são de natureza cética e analítica.
Gostam do contato com a natureza e a quietude para meditar.
Devem evitar serem frias e irônicas com as pessoas.
Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 7 é inteligente, intelectual, científica, filosófica e espiritual, gosta de paz e quietude para meditar preferindo para isso o contato com a natureza.
Não gosta de trabalhos manuais nem tampouco de rotinas. São intuitivas e perfeccionistas, buscam o conhecimento e a sabedoria, mas tem a tendência a mostrarem-se frias, irônicas, satíricas com pessoas e situações.


NÚMERO 8
Síntese

A pessoa 8 é uma administradora nata, com excelente tino comercial, capacidade executiva e é eficiente em tudo que faz, perfeccionista, critica, analítica, sempre interessada na expansão em larga escala, quer dinheiro e poder material.
No amor também é empreendedora, deliberada, não aceita respostas negativas, vai a luta até atingir os seus objetivos.
Por outro lado não deve confiar muito na sorte, pois precisará trabalhar muito para progredir na vida.
É uma pessoa intelectual, equilibrada, tem um jeito próspero, eficiente e refinado, não gosta de objetos baratos, tem tendências materialistas, esquecendo muitas vezes de cuidar do lado espiritual e afetivo de sua existência, a não ser que existam outros números que equilibrem esta tendência.
O ideal desta vibração, o ideal é procurar o equilíbrio entre o espírito e a matéria.
Se essas características não são evidentes na vida da pessoa 8, com certeza houve algum problema emocional ou cármico na infância que está interferindo na expressão da sua verdadeira identidade.
As limitações e dificuldades que precisa vencer quando existe um desequilíbrio entre outros números são: a ambição exagerada, mente negativa e materialista, inveja, ciúme e desconfiança.
Personalidade
Se o número da personalidade é 8, a pessoa tem aparência influente e cheia de sucesso mesmo quando está sem dinheiro, gosta de roupas de alta qualidade e dá especial atenção aos acessórios. Tem um jeito próspero, eficiente, refinado, é intelectual, bem equilibrada e perfeccionista.
Sua vida melhora cada vez mais quando começa a buscar equilíbrio entre o espírito e a matéria, e, como é muito perfeccionista e eficiente em tudo que faz deve procurar ser mais condescendente e tolerante com as limitações das pessoas que a rodeiam.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 8 é eficiente, perfeccionista, analítica em tudo que faz, dotada de tato, visão, imaginação para grandes negócios, tem força, coragem e energia para dirigir e não gosta de ser dirigida.
Não deve confiar muito na sorte pois precisa trabalhar muito para progredir na vida, mas o retorno do seu trabalho geralmente é compensador.
Deve buscar o equilíbrio entre o espírito e a matéria pois assim como é muito eficiente em tudo o que faz, tem muitas responsabilidades afetivas e familiares que deve cumprir sem esperar retorno.
A pessoa 8 precisa aprender a aceitar as pessoas exatamente como elas são, com seus egoísmos e limitações, deve aprender a desenvolver a tolerância e o amor incondicional.


NÚMERO 9
Síntese

A pessoa 9 é generosa, humanitária, é atraída e amada por todos, vê o bem em todas as pessoas, tem muita capacidade de doação sem esperar nenhuma recompensa, é como se fosse o irmão mais velho da humanidade ou pelo menos deve ser assim, pois caso contrário poderá sofrer muitas desilusões e decepções na vida.
É uma pessoa de personalidade magnética, encantadora, dotada de mente ampla, idealista, percebe facilmente as dificuldades e necessidades dos outros, é generosa e pacífica, mas torna-se ardente e agressiva quando diante de obstáculos ou é provocada. Precisa sentir-se livre em todos os sentidos e sabe lutar por essa liberdade.
São pessoas apaixonadas, dinâmicas, honestas, sinceras e inspiram confiança e por isso conseguem resultados facilmente em coisas que os outros não conseguem levar avante. São fortes, guerreiras, lutam pelos seus ideais e pelos dos outros.
No amor são generosas e gostam de colocar o ser amado em um pedestal partindo da premissa que a caridade começa em casa e de desvela para isto.
Quando existe um acúmulo de noves num mapa numerológico ou os números não estão equilibrados, fica mais acentuada as dificuldades.
Essas dificuldades e limitações que devem ser superadas são: as crises de raiva, explosões emocionais freqüentes, egoísmo e a impulsividade. Pela lei dos opostos também acontece dessas pessoas serem escondidas e não demonstrarem o seu temperamento fortemente emocional.
A melhor maneira de se conviver bem com uma pessoa 9 é estimular o seu lado positivo sem provocar a sua fúria.
A missão maior da pessoa 9 é dar tudo a todos sem esperar nada em troca, pois só assim será feliz.

Personalidade
Se o 9 é o seu número da personalidade você é uma pessoa de aparência magnética e encantadora, com jeito amistoso, generoso que inspira confiança. É independente, liberal, guerreira e corajosa, com mente ampla, idealista, percebe facilmente as dificuldades e necessidades dos outros.
É geralmente uma pessoa sem preconceitos, quer ajudar a todos indistintamente.
Sua missão de vida e dar tudo a todos sem esperar nada em troca, só assim será feliz.

Eu Interior
A pessoa que tem o Eu Interior 9 é filantrópica, humanitária, generosa, pacífica, mas tornas-se ardente e agressiva quando se encontra diante de obstáculos, necessitando sentir-se livre em todos os sentidos e sabe lutar por essa liberdade. Vê o bem em todas as pessoas e é amada por todos.
Deve aprender a controlar sua forte energia emocional que pode ser explosiva se não for bem canalizada.


NÚMERO 11
O 11 é um número que traz muito conhecimento intuitivo, místico e idealista. É uma vibração de extrema sensibilidade psíquica. Dificilmente a pessoa que está sob esta influência tem a segurança suficiente para assumir todo este potencial no início da vida, muitas vezes só a maturidade consegue expressar plenamente o conteúdo de sabedoria que já vem adquirindo de longa data.
No início geralmente existem muitos medos, dúvidas e incertezas em relação aos pressentimentos, intuições, premunições ou outras manifestações extra-sensoriais de que são dotados e fazem parte do seu dia a dia. Somente com muito estudo e dedicação a um trabalho de pesquisa que possa observar e comprovar estes fenômenos, adquirem a segurança necessária para tirarem um bom proveito deste potencial.
Esta vibração incentiva à busca pela paz e a harmonia entre os homens. Induz a liderança pacífica pelos altos ideais humanitários.
Por essas razões a pessoa que tem o 11 no seu estudo numerológico deve tratar com muita seriedade as suas limitações e inseguranças, pois sua responsabilidade como exemplo é grande. Seu lugar é em frente ao público, liderando, fazendo palestras o orientando, ministrando cursos, pois as pessoas percebem a sua sabedoria e gostam de ouvi-lo.


NÚMERO 22
O 22 é um número de mestrado espiritual no plano da matéria. A pessoa que recebe esta vibração é filosófica e idealista como o 11, mas tem um pensamento lógico e teórico, é pratica e organizada. Essa diferença faz com que consiga pôr em prática tudo que prega com mais facilidade que o 11. Tem altas aspirações, mas os pés firmemente plantados no chão. Está capacitada a levar avante seus planos e alcançar as suas metas.
Pode ver as coisas em larga escala. Seu poder e influência ultrapassam as fronteiras do seu meio e tende a tornar-se conhecida nacional e internacionalmente. Tem paciência e perseverança para insistir numa tarefa até obter bons resultados e atingir seus objetivos. É bom diplomata e estaria bem a serviço do governo.
De modo geral estas pessoas não são inseguras como o 11, por isso conseguem se posicionar mais cedo na vida e assumir seu potencial pelo menos parcialmente até a plenitude na maturidade.


NÚMERO 33
Se acontecer de um nome ou data de nascimento somar 33, deverá ser reduzido a um 6, pois esta é uma vibração extremamente elevada para um ser humano comum. São espíritos que vieram com a missão de dedicarem toda a sua vida e seu amor aos necessitados, sem nada esperar em troca.
É uma vibração do nível de Madre Tereza de Calcutá ou Irmã Dulce, que como podemos perceber, não fazem parte dos seres humanos comuns, a não ser que queira seguir uma missão assim tão especial.


NÚMEROS CÁRMICOS
A evolução humana e planetária pode ser percebida na escala evolutiva dos números de 1 a 9, que formam a roda cármica das encarnações.
Segundo estudos, todos os seres durante o seu processo evolutivo neste planeta, precisam passar pelas experiências representadas em cada um dos números desta roda.
Como já sabemos carma é aprendizado, então teoricamente todos os números são cármicos, pois muito temos que aprender com cada um deles.
Existem quatro números no entanto que, por apresentarem um peso maior neste particular, são de fato considerados números cármicos. Assim como os mestres eles permanecem inalterados não devendo ser reduzidos à unidade e são eles o 13, o 14, o 16 e 19.
Quando estes números aparecerem no seu mapa numerológico não devem ser motivo de preocupação, apesar de representarem desafios maiores, podemos transmutar e passarem a representar um grande estímulo ou uma grande adversidade, dependendo da direção que cada um escolher dar a sua vida, a seu destino.

NÚMERO 13
Em primeiro vamos esquecer aquele velho pensamento que o número 13 é um número de azar, maléfico, estamos no terceiro milênio e com idéias bem mais amplas.
O 13 no Tarô representa a morte, mas no entanto não deve ser confundida com a morte física e sim vista como término de um ciclo para o início de outra em qualquer área de sua vida.
Como o 13 corresponde ao 4 pela redução numérica, os desafios são os mesmos, embora mais intensos. A palavra-chave é trabalho no plano material. O aviso dado é no sentido de não nos entregarmos a preguiça, a inércia e a ineficiência. Muitas provas e desafios serão colocados nesta área para que a indiferença pelo trabalho, às desconfianças e as más atitudes não comprometam o nosso potencial positivo, desperdiçando assim as oportunidades de ascensão.
O 13 pode trazer dificuldades financeiras desde a infância, ou a necessidade de trabalhar muito cedo para que seja corrigida alguma distorção de valores trazida pelo espírito.
Se a advertência for devidamente entendida e corrigida a vida transcorrerá normalmente pois o desafio foi superado, caso contrário, as experiências continuarão se repetindo até que se aprenda a lição.

NÚMERO 14
O 14 mostra uma vida passada desregrada em todos os sentidos, tanto no que diz respeito a vícios, prazeres físicos como a aventuras e inconseqüências em relação a bens materiais, como por exemplo perder tudo no jogo e deixar a família na miséria. A mensagem básica do número 14 é equilíbrio.
No Tarô o 14 é a Temperança, que como o nome já o diz devemos evitar os extremos e principalmente exercitar a disciplina o que é geralmente muito duro para um 14 aprender como lição pois tenta sempre ganhar sua liberdade de forma destrutiva ou não se importando com os outros.
O número 14 corresponde ao número 5 reduzido a um único dígito, portanto os desafios também são semelhantes e também de forma mais intensa.
Podem acontecer perdas materiais ou muita instabilidade em todas as áreas, resultando disso que não conseguem construir nada sólido na vida material nem afetiva.
Se a pessoa que tem o 14 no seu mapa do nascimento tiver uma educação rígida e conseguir desenvolver disciplina e sólidos valores morais desde cedo, a vida pode se desenrolar normalmente pois os desafios foram superados, caso contrário haverá perdas e desapontamentos até a lição ser aprendida.

NÚMERO 16
O 16 é o número da derrocada do ego. No Tarô é representado pela Torre e indica que as estruturas montadas sobre falsos valores como a vaidade, orgulho e a posse principalmente no plano afetivo, tendem a ruírem.
Essa estrutura foi construída no passado pela ignorância e pelas ações egoístas indicando carma de antigos amores ilegítimos que podem ter causado muitas dores e prejuízos.
A lição é o desapego em todos os sentidos.
O 16 reduzido a um único dígito temos 0 7 que é regido pelo planeta Netuno que é nebuloso e enganador para obrigar as pessoas que estão sob sua influência a exercitarem a vigilância constante, tanto sobre si própria como também sobre os que as rodeiam para que não fique nenhuma questão duvidosa que possa dar origem a outras interpretações.
A lição, é através da ampliação da consciência de pensamentos límpidos e honestos, mente clara e transparente.

NÚMERO 19
O 19 mostra um passado de poder e tirania, exercido com crueldade e prepotência. A pessoa com este número, principalmente no Eu Interior pode ter envolvimento cármico com pequenos e grandes grupos, seja no trabalho, no lazer, nos estudos ou na família. A Chefia, a liderança e o poder estão sempre na sua direção quer ela queira ou não.
Sua grande lição aqui é a liderança positiva.
Sua tendência geralmente é fugir de qualquer tipo de liderança pelo medo inconsciente de escorregar para a prepotência. Precisa compreender que é somente através do exercício consciente do poder, exercido com justiça e equilíbrio que esta lição será aprendida.
No Tarô o 19 é o SOL, uma força viva e poderosa que serve para aquecer-nos e iluminar o nosso caminho, mas que também pode queimar e cegar aos inconseqüentes.
O 19 adverte que o verdadeiro líder é aquele que vai na frente, iluminando o caminho daqueles que o seguem, e no momento em que esta lição for aprendida, a pessoa poderá sentir-se livre e a vida transcorrerá de forma tranqüila e positiva.

Cada animal possui uma essência, e assim cada um possui sua própria medicina e sabedoria. Relaciono abaixo alguns dos animais (incluindo os místicos) com seus significados:


Águia - Iluminação, a visão interior, invocada para poderes xamânicos, coragem, elevação do espírito a grandes alturas;
Aranha - Criatividade, a teia da vida, manifestação da magia de tecer nossos sonhos;
Abelha - Comunicação, trabalho árduo com harmonia, néctar da vida, organização.
Alce - Resistência, auto-confiança, competição, abundância, responsabilidade.
Antílope - Cautela, silêncio, consciência mística através da meditação, calma, ação.
Baleia - Registros da Mãe Terra, sons que equilibram o corpo emocional, origens;
Beija-flor - Mensageiro da cura, amor romântico, claridade, graça, sorte, suavidade;
Borboleta - Auto-transformação, clareza mental, novas etapas, liberdade;
Búfalo - Sabedoria ancestral, esperança, espiritualidade, preces, paz, tolerância;
Cabra/cabrito - Determinação para ir ao topo, nutrição, brincadeiras.
Camelo - Conservação, resistência, tolerância.
Canguru - Proteção maternal, coragem para seguir em frente nas fraquezas.
Castor - Novos canais de pensamentos, construção, segurança, conforto, paciência.
Cisne - Graça, fidelidade, ritmo do Universos, ver o futuro, poderes intuitivos, fé.
Coiote - Malicia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.
Coelho - Fertilidade, medo, abundância, crescimento, agilidade, prosperidade.
Condor - Idem a águia, é um dos filhos do Sol no Peru, representa o Mundo Superior.
Coruja - Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga.
Corvo - Guardião da magia, mistério, predições, mensageiro, dualidade, assistência.
Cavalo - Poder interior, liberdade de espírito, viagem xamânica, força ,clarividência;
Cachorro - Lealdade, habilidade para amar incondicionalmente, estar a serviço;
Cobra - Transmutação, cura, regeneração, sabedoria, psiquismo, sensualidade;
Coiote - Malícia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.;
Coruja - Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga;
Doninha - Poderes ocultos, vivencia, poder de esconder, observações, segredos.
Elefante - Longevidade, inteligência, memória ancestral, ancestrais enterrados.
Esquilo - Divertimento, planos futuros, reunião, observar o óbvio.
Esturjão - Determinação, sexualidade, consistência, profundidade, ensinamento.
Falcão - Precisão, mensageiro, olhar a volta, abertura a distância, oportunidades.
Formiga - Comunidade perfeita, paciência, trabalho duro, força, resistência, agressividade.
Gaivota - Voar através da vida com calma e esforço para alcançar objetivos.
Gambá - Campo de proteção, reputação, repelir quem não o respeita, respeito.
Gato - mistérios, poderes mágicos, sensualidade, independência, visões místicas, limpeza.
Galo - Sexualidade, fertilidade, oferendas, cerimônias, altivez.
Girafa - Calma, inspiração para se atingir grandes alturas, suavidade, doçura.
Golfinho - Pureza, iluminação do ser, sabedoria, paz, amor, harmonia, comunicação.
Gorila - Sabedoria, inteligência, adaptabilidade, guardião da terra, habilidade.
Guaxinim - Bom humor, limpeza, sobrevivência, tenacidade, inteligência, folia.
Hipopótamo - Desenvolvimento psíquico, intuição, ligação água-terra, aterramento.
Jacaré - Instinto de sobrevivência, o inconsciente profundo, o caos que precede a criação.
Jaguar - A busca em águas da consciência, mensageiro, interação mente e alma.
Javali - Comunicação entre pares, expressividade, inteligência.
Lagarto - Otimismo, adaptabilidade, regeneração, sonhos, renovação, transformação.
Leão - Poder, força, majestade, prosperidade, nobreza, coragem, saúde, liderança, segurança, auto-confiança.
Leopardo - Conhecimento do subconsciente, compreender aspectos sombrios, rapidez.
Lince - Segredos, conhecimento oculto, tradição, ouvir para o crescimento.
Libélula - Ilusão, ventos da mudança, comunicação com o mundo elementar.
Lobo - Amor, relacionamentos saudáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento.
Macaco - Inteligência, bom humor, alegria, agilidade, perícia, irreverência, amizade.
Minhoca - Regeneração, resistência, auto-cura, transformação.
Morcego - Renascimento, iniciação, reencarnação, habilidades mágicas.
Onça - Espreita, proteção de espaço, silencio, observação. Precisão.
Pantera - Mistério, sensualidade, sexualidade, beleza, sedução, força, flexibilidade.
Pato - Desenvolvimento de energia maternal, fidelidade, nutrição energética.
Peru - Dar e receber, transcendência, dádivas, celebração.
Porco-Espinho - Fé, confiança, inocência, inspiração para realizações, dentro da essência.
Puma - Força, mistério, silêncio, sobrevivência, velocidade, graça, liderança, coragem.
Pica-Pau - Regeneração, limpeza, comunicação, proteção, unido aos Espíritos do trovão.
Pingüim - Viver em comunidade, fidelidade, lealdade nos romances.
Pombo - No cristianismo simboliza o Espírito Santo, paz, comunicação, mensagem.
Raposa - Habilidade, esperteza, camuflagem, observação, integração, astúcia.
Rato - versatilidade, alerta, introspecção, percepção, satisfação, aceitação.
Salmão - Força, perseverança, nadar contra a maré, determinação, coragem.
Sapo - Evolução, limpeza, transformação, mistérios, humor, ligado a chuva.
Tartaruga - Estabilidade, organização, longevidade, paciência, resistência, proteção, experiência, sabedoria, Mãe-Terra.
Tatu - Limites, doas dá a armadura, limites emocionais, protege a saúde.
Texugo - Agressividade, coragem, formar, alianças, persistência, agir em crise.
Tigre - Aproximação lenta, preparação cuidadosa, aproveitar oportunidades.
Touro - fertilidade, sexualidade, poder, liderança, proteção, potencia.
Urso - Introspecção, intuição, cura, consciência, ensinamentos, curiosidade.
Vaga-Lume - Iluminação, entendimento, força de vida, luz e escuridão, maravilhas.
Veado - Delicadeza, sensitividade, graça, alerta, adaptabilidade, coração/espírito, gentileza.

Animais Místicos
Cavalo Alado
- Elevação, transmutação, beleza, viagem astral,aventuras, mistério, fascínio.
Centauro - Instinto animal, ligação homem-animal, anarquia, sexualidade, fertilidade, cura.
Dragão - Potência e força viril, proteção Kundalini, calor, mensageiro da felicidade, senhor da chuva, fecundação, força vital.
Elefante Branco - Força, bondade, escolha de caminhos, ligações extraterrestres, mistério.
Fênix - Renascimento, fascínio, animal do Sol, imortalidade da alma, elevação, purificação.
Sátiro - Libertinagem, divertimento, impulso sexual, instintos, fantasias sexuais.
Unicórnio - Rapidez, mansidão, pureza, salvação, espiritualidade, inofensivo

 


ATIVIDADES: OFICINAS EXPRESSIVAS

Mandalas
A busca interior
Ao começar a exploração das mandalas entre em contato com seu interior e faça-o emergir
A mágica do círculo.
Imagine-se andando por um labirinto de espirais de flores, quando chegar a seu centro silencioso você sente muita paz e harmonia.
 A mágica do círculo.
Imagine-se andando por um labirinto de espirais de flores, quando chegar a seu centro silencioso você sente muita paz e harmonia.
 As Flores interiores
Medite sobre a beleza das flores e como elas refletem as qualidades de seus amigos, reconheça as energias positivas que lhes dão.
Faíscas da Criação
Observe por alguns momentos estas imagens e encontre as chamas da alegria que darão força e energia para sua vida.
Fertilizante Espiritual
Observe as mandalas prestando atenção a sua leveza e imagine o espírito e a luz, assim uma energia magnífica surgirá
Imaginação do Destino.
Ao se concentrar nessas imagens vislumbre a eternidade do tempo e a imortalidade do espírito, permita que esses conceitos penetrem na sua consciência.
O Dom da inocência
Estas mandalas nos remetem as crianças que nascem confiantes e com uma grande energia amorosa. Compartilhe estas sensações no seu dia a dia.
O fluxo criativo do Universo
Renda-se ao fluxo criativo das mandalas. Ao fazê-lo reconheça seu potencial e cultive seus dons e deixe-os desenvolver.
O Uno invisível
Olhe as mandalas, experimente uma sensação de maravilha em relação a tudo o que vê a sua volta e agradeça por tudo em seu mundo que coopera para lhe dar forças.
Para reviver o coração
Visualize as mandalas cuidadosamente, percebendo as complexidades de formas e as gradações sutis de sombras e cores, sinta e distribua o amor.
Plante felicidade
Para encorajar um futuro abundante olhe as mandalas e deseje a realização de um sonho ou de um desejo e receba a energia brilhante para que seu sonho se torne realidade.

Mandala: Um reflexo do Eu
Uma mandala com uma estrutura pré-estabelecida que busca resgatar as características pessoais de quem a executa, fazendo com que reconheça algumas imagens que habitam o seu inconsciente
Uma roda de medicina é um antigo modo de criar um espaço sagrado. Em uma roda de medicina cada direção tem um animal que representa um tipo de energia. Por exemplo:
O Leste tem a Águia que representa direcionamento,
o Sul tem o Lobo, (Serpente ou Coyote) representando a paixão,
o Oeste tem o Urso que representa poder curativo
o Norte tem a tartaruga para fundamentar.

Cada pessoa chama seus próprios animais que conectam ou representam a energia de cada direção


Bibliografia:
BERNARDO P.P.A doce medicina Trabalhando a sabedoria da psique na criação de um conhecimento integrado ao auto conhecimento. 2001. Tese (doutorado) Área. Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Bernardo P.P. A O processo criativo como veículo de trnsmutação do arco íris em ponte – mandala ( a utilização de recursos artísticos no trabalho terapêutico) 1994. Dissertação ( mestrado) área. Psicologia Clínica. Pontifica Universidade Católica, São Paulo.

Cupertino Espaço de Criação em Psicologia: Oficinas na Prática-Cap. XII- O papel das Oficinas de Criatividade a Idosos Institucionalizados- Gaicher T. l : Santesso N . A W.

Dahlke Rudiger Mandalas Formas que representam a Harmonia dos Cosmos e a energia Divina. Ed. Pensamento. São Paulo. 1991.

Edinger, M. Imagens e Símbolos. São Paulo: Martins Fontes, 1991

Fincher, S.F. O autoconhecimento através das mandalas. São Paulo: Pensamento, 1994

Fioravanti, Celina, A Cura pelos Fluidos, 1a Edição, Ed. Pensamento, São Paulo

Franz, M. L Von. Alquimia. São Paulo Cultrix, 1985.

Fioravanti, C. Mandalas como usar a Energia dos desenhos sagrados. Pensamento, São Paulo- 2003

Gombrich E.H> A história da Arte. RJ. Zahar. 1985

JUNG.C>G. Mysterium Conjunctions v.XIV/1 Petropolis: Vozes 1985.

Jung. C.G. Psicologia e Alquimia. Petrópolis. Vozes 1994.

JUNG.C>G> A Natureza da psique. Petrópolis, Vozes 1994, A vida simbólica. Petrópolis. Vozes 1998.v.2

Ostrower, F. Acasos e criação artísticas. R.J, Campos, 1990.

Ostrower A Criatividade e processos de Criação. {etrópolis. Vozes.1987.

CONTATOS

Tels.: 3816-1137 • 3816-3780 • 3814-9396 • 9-9999-0506
wilma.nubiato@yahoo.com.br

COMO CHEGAR

Rua Paulistânia, 593 - Sumarezinho - São Paulo

MENSAGENS

Preencha o formulário abaixo e envie-nos sua mensagem

Psicovia Terapia do Ser - 2016 - Todos os direitos reservados. -

Desenvolvimento