Arteterapia - 4

Reorganização do ciclo de vida através das Mandalas da Alma

Curso de Arteterapia e as Mandalas da Alma

Pesquisado por Wilma Antonia Nubiato

A CURA ATRAVÉS DAS CORES

Definição
A Arte-Terapia distingue-se como método de tratamento psicológico, integrando no contexto psicoterapeutico mediadores artísticos. Tal origina uma relação terapêutica particular, assente na interação entre o sujeito (criador), o objeto de arte (criação) e o terapeuta (receptor).
O recurso à imaginação, ao simbolismo e a metáforas enriquece e incrementa o processo.
As características referidas facilitam a comunicação, o ensaio de relações objetais e reorganização dos objetos internos, a expressão emocional significativa, o aprofundar do conhecimento interno, libertando a capacidade de pensar e a criatividade. (Ruy de Carvalho, 2001)

Crescimento pessoal e expressão criativa
A musicalidade interna, a capacidade de se mover, de dançar, de pintar, de modelar e outros atos criativos, são comuns a todos nós. A criatividade é universal pertencendo ao fenômeno humano e não só a alguns seres talentosos.

Fundamentos teóricos e técnicos
De um ponto de vista lato poder-se-á falar de Artes-Terapias, sendo estas intervenções psicoterapeuticas que recorrem aos mediadores: Pintura, Desenho, Modelagem, Escultura, Colagens, Drama e Jogos Dramáticos, Marionetas, Jogo de Areia, Expressão Corporal, Música, Canto, Poesia, Escrita Livre Criativa e Contos.
O entendimento do fenômeno psicológico em Arte-Terapia deverá ter em conta as perspectivas afetiva-relacional, existencial e cognitiva.
A expressão artística é central nesta psicoterapia. Através do objeto de criação temos acesso a informação e registro sobre o que é, acerca de quê e para quê, como e porquê, sentimentos no momento e após, benefícios para o próprio e para os outros, etc. Assim o objeto de arte tem uma função cognitiva, fornecendo ao sujeito informações sobre si próprio e ao Arte-Terapeuta um registro do processo.
No entanto o objeto de arte não interessa tanto pelo seu valor informativo, ou mesmo estético, mas sim pelo seu valor como mediador da expressão, como veículo de elaboração e como ensaio do processo criativo. O contexto do processo Arte-terapeutico não é usado para análise. O foco desta situar-se-á na relação terapêutica.
É adaptada em Arte-Terapia uma visão holística considerando que \\\\\\\"o todo é maior que a soma das partes.Na Arte-Terapia o papel do processo criativo na mudança é central, pretende-se fomentar nos clientes o uso da criatividade, como meio de entendimento do próprio e dos outros e na resolução da problemática existencial.

 

A função do imaginário é fundamental em Arte-Terapia:
a) Para aceder a pensamentos, sentimentos, memórias, aspectos da personalidade e do self, alguns dos quais sem representação mental consciente e carecendo se serem integrados;
b) Para uma mais intensa e profunda compreensão do sentimento ou situação;
c) Para desenvolver a capacidade de ver e agir através de opções criativas, evitando o recurso a uma cognição prematura e limitada.
A experiência artística pode intensificar a expressão de vivências, bem como incrementar a consciencialização do sensorial e do equilíbrio estético. No contexto da Arte-Terapia, a facilitação de tal tomada de consciência pode ser importante para promover a riqueza, a vitalidade e a qualidade de vida. A expressão mediada possibilita também a mobilização de pulsões reprimidas, facilitando assim uma vida psicológica mais livre. Imagens de transformação e mudança, representadas nas criações artísticas, dão expressão à função reparadora, no decurso do processo terapêutico.

Arte-Terapia Vivencial ou Expressão pelas Artes
Neste tipo de intervenção privilegia-se a Expressão Criativa pelas Artes, facilitando-se a descoberta interior através do imaginário e o desenvolvimento da criatividade. É particularmente indicado para trabalho em instituições, com pacientes de evolução prolongada e com patologias severas, nomeadamente psicoses.

Arte-Psicoterapia Integrativa
Corresponde a uma abordagem não diretiva, podendo ser integrados os diferentes mediadores: Pintura, Desenho, Modelagem, Escultura, Colagens, Expressão Corporal, Música, Canto, Poesia, Escrita Livre Criativa e Contos.
É aplicável a pacientes para os quais possa ser potencialmente limitante a restrição a mediadores específicos,  dificuldades no insight e com um self frágil.
 
Arte-Psicoterapia Analítica-Expressiva
Neste modo de intervenção adapta-se uma perspectiva intersubjetiva. O processo decorre como em qualquer outro analítico, servindo o objeto de Arte como suporte para o aprofundar da compreensão interna e elaboração (Ruy de Carvalho, 2001)

Arteterapia consiste na utilização da Arte como forma de expressão, consciente e inconsciente, do sujeito. Através da arteterapia a subjetividade do sujeito se manifesta, possibilitando fazer pensáveis os conteúdos trabalhados.
Nossos sentimentos e emoções, pensamentos e esperanças, sonhos e desejos podem se revelar com muito mais facilidade através de imagens do que através de palavras para diversas pessoas, pois cada um de nós tem uma modalidade de aprendizagem. A modalidade de aprendizagem é como um idioma que cada um utiliza para entender os outros e fazer-se entender por eles.(1) E essas imagens serão interpretadas juntamente com o terapeuta, que auxilia o sujeito nesse processo de autoconhecimento e mobilização de recursos internos.
Assim, a arteterapia lança mão de recursos artísticos em contextos terapêuticos (de tratamento) ou profiláticos, de prevenção de questões diversas, que variam desde estresse e depressão até inibição e dificuldades de aprendizagem.

O arte terapeuta trabalha com o sujeito individualmente, ou com grupos, desenvolvendo práticas, dinâmicas, vivências que valorizam a Arte em todas as suas manifestações: pintura, escultura, música, desenho, teatro, poesia... Ao realizarmos uma atividade artística, não só interferimos na realidade, como também desenvolvemos competências pessoais que aprimoram a performance, o desempenho da pessoa, o que estabelecerá formas de comunicação entre o real e o imaginário, entre o pragmático e o sensível, transformando o ato criativo em expressão produtiva.
Dessa forma, as pessoas aprendem a construir espaços de autoria; reconhecem-se como autores e desfrutam o prazer de criar, valorizando a invenção de coisas originais e não a mera repetição estereotipada; acrescentando detalhes específicos, comprovadores de que o criar nos faz humanos e nos leva a sair da lógica dual: melhor ou pior.(2) O sujeito artista/artesão aprende a relativizar; a perceber sua obra com diferentes matizes e cada uma com sua beleza única.

As atividades desenvolvidas no processo de arteterapia permitem trabalhar, entre outras, a auto-imagem, a percepção da transformação, a superação de obstáculos, a estimulação da desinibição, que conduzem a uma sensação de integração com o mundo, instigando à resolução de conflitos pessoais. Conseqüentemente, ocorre um aperfeiçoamento na forma de comunicação do sujeito, consigo mesmo e com os grupos com que interage: família, escola, lazer... incentivando o desenvolvimento harmônico da personalidade; a construção de um ambiente saudável, com espaços de autoria que permitem ressituar-se diante do passado.

O ato criativo se faz presente também no artesanato, onde a manipulação de materiais leva à necessidade de representação, à necessidade de produzir uma obra pessoal, característica.
A criatividade está ligada à atividade artística e o artesão pode escolher e experimentar os materiais e as técnicas que melhor atendam às suas propostas de produção. O artesão vai vivenciar o processo criativo com todas as belezas e angústias que o envolvem.

A Arteterapia integra os conhecimentos advindos da Psicologia às atividades artísticas, trabalhando com o potencial terapêutico, pedagógico e de crescimento pessoal contido em todas as formas de Arte, utilizando-se de técnicas expressivas e vivenciais (desenho e pintura, colagem, modelagem e escultura, dramatização, contar histórias, música, dança e expressão corporal, relaxamento e visualização criativa, entre outros) para facilitar o reconhecimento e desenvolvimento de potenciais, o tratamento do sofrimento psíquico, o auto-conhecimento.

A arte relaciona harmoniosamente a realidade e a fantasia, o mundo interno e o externo, dando voz e visibilidade a nossos conteúdos simbólicos, com os quais podemos então dialogar e nos quais podemos nos espelhar, propiciando o auto-conhecimento e o desenvolvimento da personalidade.
Ao trabalhar com elementos que correspondem tanto à natureza humana quanto à planetária, os recursos artísticos utilizados de forma terapêutica promovem uma ampliação da consciência de si, do outro e do mundo, desenvolvendo a nossa capacidade de atuar de maneira responsável e criativa com relação ao nosso momento existencial e ao meio em que estamos inseridos.
Os recursos artísticos podem ser utilizados em diversos contextos (psicoterapia, oficinas de criatividade, reabilitação, educação, trabalho comunitário e institucional, empresas) e com todas as faixas etárias (crianças, adolescentes, adultos e idosos).
Além disso, o caminho da Arte a serviço do crescimento e da vida pode diminuir e/ou neutralizar o impacto da violência que presenciamos atualmente, proporcionando um contato respeitoso e amoroso entre o homem, seu semelhante e seu meio ambiente, proporcionando uma abordagem pacífica e ético-estética da existência.
No trabalho com Oficinas de Criatividade (que podem ser feitas com grupos de crianças, adolescentes, adultos ou idosos, e em consultório, escolas, empresas e instituições), as vivências e atividades expressivas ajudam a pessoa a desenvolver recursos que lhe permitem lidar com as questões da sua vida e de seu momento de desenvolvimento de uma maneira mais integrada, expandindo seus potenciais.
Ao trabalharmos com recursos artísticos, damos voz e movimento às nossas imagens internas, dando forma visível aos nossos sentimentos, desejos e à nossa visão de mundo.
Como resultado final, cada participante tem a oportunidade de conhecer vários materiais e técnicas, proporcionando-lhe um maior conhecimento de si, do outro e do mundo que o cerca, enriquecendo e ampliando suas experiências de vida.

 

MANDALA

Fincher (1994) comenta que a mandala ativa forças integradoras de nossa psique, nos religando à teia da vida e harmonizando nossos aspectos conflitantes, e coloca que ao criarmos uma mandala,
(...) geramos um símbolo pessoal que revela quem somos num dado momento. O círculo que desenhamos contém – e até atrai – partes conflitantes da nossa natureza. Mas, mesmo quando faz um conflito vir à tona, o ato de criar uma mandala produz uma inegável descarga de tensão. Talvez porque a forma do círculo nos recorde o isolamento seguro do ventre. (...) Desenhar um círculo talvez seja algo como desenhar uma linha protetora ao redor do espaço físico e psicológico que identificamos como nós mesmos. (...) Quando fazemos uma mandala, criamos nosso espaço sagrado, um lugar de proteção, um foco para a concentração de nossas energias (1994, p.39).

Na confecção de uma mandala há diversas gradações entre o círculo vazio e a imagem obtida. O círculo inicialmente delimita uma superfície, uma área de abrangência, demarcando um microcosmo análogo ao macrocosmo. Como forma, representa um princípio estruturador de nosso mundo interno. Com a fixação de um centro, transportamo-nos para a dimensão representada pelo círculo. Condensamos num único ponto todas as nossas experiências, expectativas e necessidades.


Com a focalização, mergulhamos numa espécie de caos (onde fervilham as possibilidades, as nossas sementes criativas) e estabelecemos um ponto de partida, uma origem para a criação de uma imagem. O grau de estruturação e complexidade da imagem formada a partir daí relaciona-se com um movimento de diferenciação.
Pode-se, por exemplo, pintar todo o círculo com uma única cor, atribuindo uma certa "qualidade" (conteúdo) à área contida em seu interior (simplesmente diferenciando o "dentro/ fora"), ou então chegar a criar uma complexa rede de forças (usando linhas, cores, formas e volume para isso).
No início do processo grupal, vivencia-se um estado de abertura e auto-exposição ao desconhecido. Da mesma forma, diante do material a ser transformado através do processo criativo (uma folha em branco, um círculo, um monte de argila...) ainda não surgiu nada em que se apoiar: pode-se apenas pressentir a presença de mundos possíveis, passíveis de ser "fecundados", "acordados", o que corresponde de certa forma a um movimento de introversão da nossa energia psíquica.


 Surge então uma motivação, uma "inspiração", deflagrando um processo análogo a uma gestação. Nesse momento, o "dentro" e o "fora" - os processos internos e o trabalho com os materiais expressivos - relacionam-se de uma maneira mutuamente enriquecedora, e a inspiração coordena-se com a transpiração: forma e conteúdo, o real e o imaginário entrelaçam-se num movimento formador e transformador (Bernardo, 1999, p.226).
O caminho que percorremos durante o processo de criação de um trabalho expressivo leva à criação de um mundo que contém mundos. O que estava latente torna-se manifesto e contextualizado. O claro (consciente) e o escuro (inconsciente), o cheio (a potência) e o vazio (a carência), as definições e as sugestões, as presenças e as ausências participam da construção de uma totalidade que favorece a equilibração psíquica, aproximando esses pólos e abrigando em si novos pontos de partida.

Sempre buscando ultrapassar o dualismo mente-matéria, desde o início de seu trabalho Jung se baseou fundamentalmente nas polaridades consciente-inconsciente e natureza-espírito, concebendo a psique como um sistema constituído de pares de opostos que podem intercambiar-se, um pólo é capaz de transformar-se no outro e vice-versa. Assim, enfocando a consciência e o inconsciente com o mesmo valor, Jung visualizou a importância de uma troca entre os dois sistemas. Segundo ele, a pedra fundamental para a construção da realidade objetiva seria essa capacidade de diálogo interior (Grinberg, 1987, p.192).

Segundo Fioravanti (2007) Uma mandala representa uma célula, um disco solar ou lunar, um espaço que lembra um povo primitivo ao redor de uma fogueira, um ovo, uma fruta. É impossível dizer o que inspirou a criação da primeira mandala, mas é certo que encontramos mandalas já nos primórdios da evolução humana, pois, há desenhos de mandalas nas cavernas pré-históricas, ainda que bastante simplificados.

Para analisar uma mandala há alguns elementos que devemos considerar, sua forma circular é uma regra, o ponto central, a repetição ou simetria das formas.
O ponto principal é o centro, ao redor do qual o desenho desenvolve, esse ponto é um foco visual que atrai o olhar , a forma circular que cria o campo de desenvolvimento, fecha o espaço e o divide em parte interior e parte exterior.

Ao desenhar a mandala o individuo coloca em sua criação elementos simbólicos ancestrais, portanto criamos algo sagrado. Portanto o espaço interior onde as formas se desenvolvem é sagrada, aquilo que está fora desse espaço é profano. A linha circular é, portanto, o limite entre o divino e o mundano, entre a consciência e o inconsciente e a inconsciência, entre a alma e a matéria, entre a união e a desagregação. O interior é a essência, os outros elementos podem estar ligado c de certa forma a ele e dependem de ambos, pois se desenvolvem a partir da sua existência, Esse ponto representa uma existência superior a fonte de toda a criação. “DEUS”.

 

Para analisarmos uma mandala devemos levar em conta sua geometria, numerologia e a divisão dos espaços é uma realidade, no qual determinam a vibração da mandala. Essa emanação vibracional tem muita a ver com as cores usadas, no qual seu poder vibratório cria uma força que define grande parte da atuação vibracional da mandala.
Para analisarmos uma mandala devemos levar em conta sua geometria, numerologia e a divisão dos espaços é uma realidade, no qual determinam a vibração da mandala. Essa emanação vibracional tem muita a ver com as cores usadas, no qual seu poder vibratório cria uma força que define grande parte da atuação vibracional da mandala.

Até o presente vimos como as mandalas são importantes a sua geometria que veremos mais tarde, suas formas, suas cores, e seus números.
A Cura através da cor.
O poder curativo das cores nunca deve ser esquecido, ela permite realizar a recomposição dos corpos mais sutis, o que é essencial, todas as perdas de fluídos podem ser compensadas através do tratamento com as cores. Cores que são raios enviados de um plano superior, sua origem é divina, pois cada cor cria um espaço de vibração e quando esse campo entra em contato com as vibrações de outros campos, influencia sua estrutura molecular e promove a cura, realizando alterações e ajustes, seg. Fioravanti.

As cores e seus significados.

O preto está associado à idéia de morte, luto ou terror, no entanto também se liga ao mistério e à fantasia, sendo hoje em dia uma cor com valor de uma certa sofisticação e luxo. Significa também dignidade

O branco associa-se à idéia de paz, de calma, de pureza. Também está associado ao frio e à limpeza. Significa  inocência e pureza

O cinzento pode simbolizar o medo ou a depressão, mas é também uma cor que transmite estabilidade, sucesso e qualidade.

O Bege é uma cor que transmite calma e passividade. Está associada à melancolia e ao clássico.

O Vermelho é a cor da paixão e do sentimento. Simboliza o amor, o desejo, mas também simboliza o orgulho, a violência, a agressividade ou o poder.

O Vermelho escuro significa elegância, requinte e liderança

O Verde significa vigor, juventude, frescor, esperança e calma

O Verde-escuro está associado ao masculino, lembra grandeza, como um oceano. É uma cor  que simboliza tudo o que é viril.

O Verde-claro significa contentamento e proteção.

O Amarelo transmite calor, luz e descontração. Simbolicamente está associado à prosperidade. É também uma cor energética, ativa que transmite otimismo. Está associada ao Verão.

O Laranja é uma cor quente, tal como o amarelo e o vermelho. É pois uma cor ativa que, significa movimento e espontaneidade.

O Azul é a cor do céu, do espírito e do pensamento. Simboliza a lealdade, a fidelidade, a personalidade e subtileza. Simboliza também o ideal e o sonho. É a mais fria das cores frias.

O Azul-escuro, é considerada uma cor romântica, talvez porque lembre a cor do mar, no entanto é uma cor que se associa a uma certa falta de coragem ou monotonia.

O Azul claro significa tranqüilidade, compreensão e frescura.

O Castanho é a cor da Terra. Esta cor significa maturidade, consciência e responsabilidade. Está ainda associada ao conforto, estabilidade, resistência e simplicidade.

O Roxo transmite a sensação de tristeza. Significa prosperidade, nobreza e respeito

O Lilás, significa espiritualidade e intuição.

O Rosa significa beleza, saúde, sensualidade e também romantismo.

O Rosa claro está associado ao feminino. Remete para algo amoroso, carinhoso, terno, suave e ao mesmo tempo para uma certa fragilidade e delicadeza. Está ainda associado à compaixão.

O Salmão está associado à felicidade e à harmonia.

O prateado ou cor prata é uma cor associada ao moderno, às novas tecnologias, à novidade, à inovação.

O Dourado ou cor ouro está simbolicamente associado ao ouro e à riqueza, a algo majestoso.

Propriedades terapêuticas das cores:

Vermelho: Dá energia e vitalidade. Estimula o sangue e libera adrenalina. Combate resfriados sem febre. Dispensa o cansaço e ameniza dores reumáticas.

Alaranjado: Tonifica, combate a fadiga, estimula o sistema respiratório e fixa o cálcio no organismo. Aumenta o otimismo.

Amarelo: Estimula o sistema nervoso central, contribui para a regeneração de problemas ósseos, bom para prisão de ventre, potencializa o fósforo e o sódio. Estimula o intelecto.

Verde: Favorece o equilíbrio hormonal, estimula órgãos digestivos, tem ação refrescantes e anti-infecciosa. Alivia a insônia.

Azul: Calmante, analgésico, indicado nas infecções com febre. Atua no sistema nervoso, vasos, artérias e todo o sistema muscular. Combate o egoísmo e traz a harmonia.

Índigo: Ação coagulante. Atua diretamente na corrente sangüínea. Usado em casos de ferimentos e sangramentos em geral. Estimula os cincos sentidos e a intuição.

Violeta: Ação calmante e purificadora do sangue. Elimina toxinas e estimula a produção de leucócitos. Bom nos casos de pneumonia, tosse seca, asma, irritação da pele e dor ciática. reduz medos e angústias, diminui a irritação.

Efeitos cores...
Branco: Pureza, paz e virtude
Vermelho: Paixão
Amarelo: Ouro
Laranja: Alma humana
Verde: Natureza/ Mata/ Saúde
Azul: Espiritual
Violeta: Devoção e energia
Rosa: Amor
Preto: Isolamento
Marron: Terra

Algumas dicas para as cores da roupa ...
Branco: vista branco quando estiver necessitando de paz, calma e sentir necessidade de estar limpo, puro.
Vermelho: vista vermelho quando precisar de coragem, força de vontade; quando sentir necessidade de atrair alguém. É um estímulo sexual e é muito atraente.
Amarelo: quando necessitar o tonificar o sistema nervoso, para estimular a intuição e atrair dinheiro.
Laranja: para obter sucesso monetário.
Verde: para ganhar presente, para diminuir seu stress.
Azul: para obter harmonia, paz e tranqüilidade.
Violeta: Para buscar inspiração e imaginação.
Rosa: para encontrar a felicidade e obter a simpatia.
Preto: elegância e afastar invejosos.
Marrom: é bom evitar usar roupas desta cor.
Adaptado do livro "Diário de Magia - Manual de Esoterismo" 
de J. Dellamonica, Editora Madras.

Seg. Fincher ( 1998), p. 50) ,embora os significados das cores não sejam sempre e nem toda parte os mesmos, na maioria das culturas eles parecem estar associados com as experiências compartilhadas por toda a humanidade desde tempos imemoriais.
As associações das cores são apenas para ajudá-los na interpretação em suas mandalas. Trata-se apenas de uma sucessão de possíveis significados, às vezes até sobrepostos ou contraditórios. Não há regras estritas para determinar que significado serve para a sua mandala.
Mas há diretrizes quanto à sua colocação, ao olhar para Lea, observe a cor que está no centro. Essa cor simboliza o que é mais importante para você na ocasião, ela está realçando aquilo que mais atrai a sua atenção no momento.
Uma variedade de cores mostra que a sua energia se distribui uniformemente por várias áreas de atenção.A cor do circulo original é um indício do aspecto de si mesmo que você está apresentando ao mundo. Ele representa os limites do seu ego.
Vermelho- mostra sua energia, ou raiva
Verde, a sua capacidade de zelar pelos outros esteja predominando mos seus relacionamentos com o ambiente.
As cores da metade superior da mandala costumam estar relacionada com o processo consciente. O que está disponível para a percepção consciente. Os da metade inferior tendem a mostrar o que se passa em seu inconsciente.
As cores situadas no três e no nove representam idéias que atravessam o limiar entre o consciente e o inconsciente.

Área mais carregada nas cores acentua a mensagem que transmite simbolicamente. Revela emoções fortes relacionadas com o que representa.
Quando aplicada às cores com leveza, mostra uma atitude exploratória que pode ser causada por fadiga, dúvida pessoal , ou mesmo tristeza..
Ao estudar as mandalas, seu eu consciente ou ego passa a conhecer o simbolismo inconsciente expresso nas cores, trazendo informações de níveis inconscientes para os níveis conscientes da personalidade. Levando a consciência a se expandir a serviço da individuação.
A posição de cores e formas pode indicar se aquilo que é simbolismo está próximo da percepção consciente, longe da consciência ou atravessando o limiar da consciência.

PRETO:
Cor da escuridão, do mal, da morte, e do mistério. Refere-se ao vazio, ao ventre e ao caos ativo de tempos primordiais. O que não pode ser conhecido conscientemente.
Momento de profunda mudança, pode simbolizar o início obscuro de qualquer processo.
O mistério do útero, onde uma nova vida se origina e vem a ser é outra dimensão do significado do preto.,
O preto está associado àquilo que não pode ser visto, que está além da percepção.
A cor preta é do deus Saturno, que representava o inexorável desenrolar do tempo. Ou seja a ordem antiga deve desaparecer para dar passagem à nova, o ciclo interminável de morte e renascimento.- Fazes transitórias – representa a renúncia.
Também assinala sentimentos de tristeza, prazer, raiva, voltada para si próprio essa negatividade pode gerar pensamentos suicidas.
Revela também o processo de integração desses nossos aspectos obscuros e sombrios à percepção de quem somos.

BRANCO:
O branco sugere pureza, virgindade e espiritualidade. O branco significa a própria luz, a claridade e a ordem, sugere a capacidade generativa. Pode simbolizar uma penetração nas dimensões transpessoais desconhecidas da psique. E sentimentos concomitantes de espanto e admiração diante de um poder exterior que o ego poderá enfrentar. Seu uso nas mandalas sugere um empreendimento heróico de natureza decididamente feminina. Isso pode indicar iniciativas em termos de saúde, relacionamento ou criatividade. Quando aplicado diretamente ao papel pode-se inferir que há repressão; algo está oculto e excluído, ou interrupção de fortes sentimentos um fluxo de libido para o inconsciente, ou relutância em aceitar as sensações do corpo.
Quando deixado em branco no centro da mandala mostra que o individuo está pronto para uma mudança , algo na obscuridade pode estar oculto, também processo de transformação. Ou assinalar uma intensificação da sensibilidade num novo padrão de memória e significado.. Pode sugerir espiritualidade ampliada, clareza e prontidão para a mudança.
Simboliza uma abertura às dimensões transpessoais da psique que pode ser uma fonte de inspiração, de cura ou de iluminação. Há uma perda de energia, um desafio a percepção de si próprio, ou áreas oculta de intensa emoção. Ou relutância em aceitar a vida no corpo, com seus impulsos, ritmos e fragilidades.

VERMELHO:
Sinal de vida. Despertar de potenciais de cura e de potenciais doadores de vida que se encontram profundamente entrados na psique.. Representa o impulso zeloso e justiceiro que nasce do Deus interior.
A cor vermelha está associada com Marte, o Deus da guerra/.- conferindo paixão, vigor e coragem. Está associado com a masculinidade.
Tem significado positivos relacionados com a energia que precisamos para sobreviver, ter saúde e nos transformar, adquirindo mais sabedoria interior. Os significados negativos da cor vermelha:
Estão relacionados com feridas, com a fúria destrutiva e com o sofrimento, há significação de prosperidade, está associada a energia bruta – libido. Indicam um compromisso com a vida, uma vontade de sobreviver e a aceitação do corpo.

AZUL:
Sugere calma, tranqüilidade e paz.
Azul é o atributo de Júpiter e Juno, o deus e a deusa romana do céu.
Significa altitude e profundidade. Seu uso é um modo de trazer essa imensidão para uma escala que possa ser compreendida pela mente humana.. Está relacionado com os cuidados maternos., zelo e compaixão..

AMARELO:
Luz calor e o poder doador de vida , caráter sereno, alegre, tornaram um símbolo da capacidade der ver ou de entender, sugere a qualidade divina da consciência que possibilita ao homem elevar-se acima do instinto, e pensar, planejar e imaginar coisas que não vê. ‘e um indicador do desenvolvimento da consciência, da percepção de si mesmo e da individualidade.
Simboliza a capacidade de apreender um padrão entre fatos e impressões dispersas, , é a cor do principio ativo e fertilizador da natureza, associado com o masculino.
Esta associada com o desenvolvimento da autonomia, que avança para o futuro buscando o novo, o moderno, o que está em desenvolvimento e o que ainda não foi deformado.
Pode também esconder a sombra ou o oposto escuro, negro, quando em excesso pode estar relacionado com uma polarização de aspectos de luz e escuridão na psique. Ou pode estar mostrando que está forte, cheio de energia, com um sentido bem definido de si mesmo.
A capacidade de ver as coisas com clareza, estabelecer metas realistas e alcançá-las parece estar operante., está pronto para aprender algo novo, aventurar-se pelo mundo com energia e ímpeto em busca de novos projetos.


VERDE:
É a cor da natureza, com o seu odor revigorante, onde proliferam as criaturas que vivem e crescem.
Nos faz lembrar a renovação cíclica do mundo natural, que morre e renasce a cada primavera, nova e cheio de potencial.
Essa cor simboliza o princípio do crescimento natural e saudável e a capacidade de nutrir os seres vivos.
O verde na tradição do círculo mágico é usado como símbolo do sul. No qual exemplifica a inocência de estar próximo da natureza, conhecendo e confiando no próprio coração,
O animal associado com o sul é o camundongo: Uma criatura com um agudo discernimento das coisas que estão próximo.
A sabedoria do sul é a capacidade de acariciar os entes queridos de forma natural e receptiva.
A associação do verde com a natureza , com a realidade concreta explica seu uso freqüente com símbolo da sensação.
O verde esta associado a uma forte energia que mantém o homem “úmidas”de vida. Expressa a presença de Deus nas questões terrenas.
Abrangem atributos tanto masculinos como femininos..
Ou ainda representa os pais arquetípicos em harmonia.,
Na mitologia: O verde- é a mãe ( azul) e o pai (amarelo) unidos.
O verde significa atingimento de um ponto de maturidade em que se introjeta a consciência da mãe e do pai, passando-se a ser o pai e a mãe de si próprio.
O verde é a água de onde emerge Vênus, a deusa da beleza.
Vênus é o planeta que rege todas as coisas belas.
Nativo desses signos ”touro e Libra- gosto pela beleza e afabilidade, confiança e fé”.
Verde a cor dos duendes da água, das ninfas da floresta e das fadas.
O Verde transmite a sensação de harmonia, mas considerado um símbolo de negatividade, pois o verde é o veneno das cobras e verdes escuros são as florestas dos contos de fadas, consideradas um lugar perigoso,.
Nas mandalas: reflete a capacidade de nutrir, cuidar e proteger. Sugere a capacidade de tomar conta de si próprio e, ao mesmo tempo, de oferecer apoio aos outros,
O excesso de verde pode significar que é por demais controlador pelos valores internalizados de seus pais, às custas de uma verdadeira autonomia, rigidez ou tendência de cuidar com exagero das outras pessoas, dominá-las ou super protegê-las.

Verde escuro:
Aponta aspectos ameaçadores daquele que nutre, testemunhando as lembranças da floresta escura onde vive a bruxa. Em termos analíticos, isso se refere aos aspectos assustadores da região pública, da qual somos todos expelidos..
O verde de tonalidade média referem de modo positivo à mistura harmoniosa de forças ativas e receptivas na psique, ao crescimento e à fertilidade.
Verde claro carregado de uma coloração amarela, reflete um superego severo e autoritário, e também um conflito num estágio evolutivo anterior.
O verde é o símbolo da própria mãe natureza, Ela sobrevive no pensamento moderno como um vestígio dos tempos em que se reverenciava o próprio milagre da vida,
O verde nas mandalas talvez seja um lembrete do poder que a vida tem de criar, curar e se renovar.

Laranja
Nos dá uma impressão de calor e alegria, uma vez que representa o matiz do brilho mais intenso do fogo e da radiância mais suave do sol poente.
Sugere energia \do discernimento ou da reflexão, é algo como o fogo dentro de limites estreitos, podemos supor também como energia inserida de uma relação com o pai (amarelo) sendo sua tarefa ensinar as habilidades necessárias para atuar no mundo.
As idéias que no principio eram dele tornam-se suas, portanto a cor laranja tem a ver com auto afirmação, orgulho e ambição. Preocupação com o poder pessoal, ou com a falta dela. Parecem estar implícitas no uso dessa cor nas mandala.
Reflete um esforço ativo, um forte sentido de identidade, e um saudável sentimento de afirmação.
Uma mandala que aparece muita cor laranja reflete um sentimento ambivalente sobre a masculinidade sobre os esforços da sua atitude em relação aos homens.
Geralmente implica apego ao pai, podendo ser também um reflexo de grande auto estima, ambição.

Roxo/Violeta
A cor da realeza, do mar vinho escuro e das violetas ,sinal de vida, florescendo em qualquer lugar.representa identificação.
Estagio mágico em que os desejos são realizados- quer alcançar um relacionamento mágico.
O roxo também está ligado à espiritualidade, o que suscita a idéia de sacrifício e sublimação dos impulsos pessoais em prol das coisas do espírito.- representa a dedicação pessoal à espiritualidade, há ao mesmo tempo indica a autoridade daqueles que governam por direito divino.
Está relacionado ao deus grego Dionísio, deus da generosidade, da jovialidade e do despojamento extático.

Como patrono do crescimento dos frutos e lê estava associado com a morte e com a regeneração anual das plantas. Ou seja a morte e a ressurreição. Portanto pode significar um processo de evolução pessoal.
Expressa a turbulenta energia daqueles que procura tornar-se livre num novo nível de ser.
Seg. Kellogg a cor roxa se refere à unidade psicológica com a mãe, vivenciada por todos antes de o ego emergir da matriz maternal.
A separação psicológica da mãe é revelada pelo aparecimento do vermelho onde antes havia o roxo.
O roxo precede a ourificação do vermelho que simboliza a liberação de energia a serviço de metas individuais.
Nas mandalas o roxo pode reaparecer depôs da separação inicial, quando o individuo procura uma suspensão temporária da independência, ou penetra em níveis profundos da psique como fonte de inspiração.
Como também levar ao desenvolvimento de uma espiritualidade mais genuína e pessoal. Por outro lado pode revelar maior necessidade de apoio emocional..
Além de que utilizar o roxo em mandalas pode ser útil para os esforços criativos, demonstrando capacidade de gerar excitação, atrair atenção para si. Quando lugar de destaque.
Mas também pode significar para algumas pessoas os sentimentos de perseguição e paranóia.
Quando em grandes proporções dessa cor nas mandalas pode revelar que você é egocêntrico.

Alfazema
Essa cor está associada com a virtude, à diligência e a gratidão, mas também está ligada à desconfiança e a precaução.
Alfazema relaciona-se com o planeta mercúrio – cuja influência dota a pessoa de excelente memória e de aptidões para ciências e as artes. Diz que ele regia os sistema nervoso.
Pode-se considerá-lo um símbolo da energia purificado de espiritualidade.
Nas mandalas o seu significado revela propensão para experiências místicas, e um despertar espiritual que produz uns renascimentos psicológicos.
Quando em grande proporção por tiver pouco vermelho transmite a sensação de dissociação do corpo físico.

Muito indica sujeição à fantasia da realidade, como se houvesse desejo de abandonar a encarnação..
Sua escolha nas mandalas sugere condições físicas em que há privação de oxigênio.
Obs; Pessoa que sofrem de doenças respiratórias, ou naquelas criadas por indivíduos cujas doenças põem em risco a própria vida.
Representa também lembrança de uma experiência de nascimento em que houve falta de oxigenação.
Quando encontra num mandala com certeza trata de uma pessoa muita mística, nuns progressos espirituais positivo.

ROSA
Rosa cor da carne, uma mistura de branco com vermelho. O Branco (espírito) impregnado de vermelho (energia).
Sugere uma vigorosa inocência, como uma criança saudável., como também uma conotação de sensualidade, de emoção e juventude.
Está associada tam’bem com o corpo físico.
Nas mandalas revela os prazeres e dores experimentadas no corpo físico, os tons de rosa os seres humanos identificam com os órgãos  tenros e sensíveis, com os músculos e com os tecidos conjuntivos mais suscetíveis às tensões emocionais.
Muito rosa numa mandala pode significar reconhecimento da própria vulnerabilidade, medo de expor-se e necessidade de ser cuidado.
Quando escolhida a cor rosa supõe que as pessoas estejam tendo sintomas físicos em razão de doenças ou tensões, mesmo que esses sintomas não sejam percebidos.,
Nas mulheres parecem ser intimamente influenciadas pelo seu estado biológico e estão cientes, em nível subliminar, do que acontece com seu corpo, geralmente usado quando em período menstrual.
Pode também indicar que sua saúde precisa de atenção. Por ser uma cor feminina ao nascer a menina usam rosas. Mas hoje em dia muitos homens tem usado a cor rosa, talvez isso expresse a integração do feminino pelos homens.

Nas mandalas ambos os sexos quando utilizam a cor rosa pode referir ao princípio de juventude feminina: A criança interior para as mulheres e a anima para os homens.
Nas mandalas pode estar relacionada com a sua vida emocional, com a aceitação da condição humana, ou com os prazeres sensuais da carne..
Também se relaciona na busca do novo e que precisa de proteção em si mesmo.


Pêssego
Se pensarmos que é uma mistura de um pouco de amarelo (consciência) e um pouco de rosa (corpo) sugere sensualidade.
A fruta está relacionada vitalidade feminina que cria a vida e, em nível concreto, representa a genitália feminina, a chave para uma vida longa
Quando aparece nas mandalas, está pronto para um relacionamento sexual rico e significativo, tendo uma conotação da maioridade feminina, liberação de potenciais gerativos da psique.
 Mas também está relacionada com uma indulgência compulsiva em relação à sexualidade, ou positivamente numa visão exagerada romântica do sexo e do lugar que ele ocupa em sua vida..

Pode anunciar a presença da energia feminina gerada a partir das profundezas ocultas do ser..

Magenta:
Um vermelho violáceo brilhante, expressa vitalidade, excitação e inquietude. Atualmente escolhida pelas mulheres para expressar uma afirmação arrojada, individualista, que chama atenção, interpretada como uma afirmação da liberação da energia feminina.
Nas mandalas realizadas pela mulher está estabelecendo sua autonomia, descobrindo sua vocação e ampliando sua visão de mundo, apesar de partir para a ação, mas permanecem enraizadas na sua própria natureza feminina..
Nas mandalas  pode muito bem revelar a presteza para apreender um estudo, iniciar um projeto criativo ou verbalizar as próprias opiniões., incluindo motivação, concentração e vivacidade. Pensando por outro lado da negatividade supomos que podem estar relacionadas à impaciência, o egotismo ou a perda de foco pelo excesso de emotividade. Mas prenunciam também um período produtivo em que se sai para o mundo como individuo.

Marrom.
Apresentam a fertilidade do solo, os campos que foram preparados para o plantio, mas faz lembrar do vazio, lembrança de algo que já esteve lá e que agora se foi. Portanto pode estar associado à renúncia o pesar e a penitência.
Como vem da mistura do vermelho (libido) e o verde (controle, expressa a sensação de estar emperrado entre o impulso de ir e a inibição de não ir. Como também é produzida com o laranja (esforço por autonomia) e o azul (feminino) sugere quando aparece nas mandalas de um conflito no relacionamento com a mãe).
 Também pode estar associado ao abafamento da vitalidade, sugerindo receptividades passivas, semelhantes à dos sentidos do corpo.
Nas mandalas é o símbolo da função sensação, indicadora da necessidade de segurança emocional, experimentada no corpo f físico como sintomas de desconforto. Como também quando usada nas mandalas indica a importância dada às raízes  a família, o lar, a companhia daqueles que pertencem ao mesmo grupo e a segurança gregária e doméstica.
Sugere também a necessidade de libertar-se de uma situação que está ocasionando um sentimento de desconforto, insegurança, de doença física real, ou um ambiente de conflito ou a existência de problemas que o individuo se sente incapaz de enfrentar.
Quando colocado no centro da mandala significa que a pessoa tem pouca auto-estima, sente-se desvalorizada e suja.
Aquilo que é rejeitado dentro de nós pode produzir algumas de nossas qualidades mais autênticas.
Nas mandalas os tons amarronzados revelam sentimentos associados com a identidade sexual.
Nas mandalas de homem chama atenção como desejos incestuosos, Na mulher está relacionada com sentimentos de indignidade, preocupação com o corpo ou disfunções ginecológicas.
Nas mandalas essa cor talvez seja uma mensagem do inconsciente para que se reexaminem velhas feridas que ainda podem estar precisando de alguma atenção para ser curada.
Produzidas na época do outono e com predominância da cor marron é uma tendência ao fim de um importante ciclo de vida, ou perto do final de um processo de cura,.
Podendo também mostrar naturalidade, fertilidade e oportunidade para novos começos, podendo indicar energia encoberta ou obstruída.

Turquesa.
Quando usada nas mandalas e feita meditação é utilizada para a cura, afasta mau olhado e traz saúde,protege contra possíveis quedas, e detém a entrada indesejável de fantasmas através dessas aberturas, quando colocada em janelas e portas.
Nas mandalas essa cor indica que alguma atividade precisa ser ultrapassada de uma antiga para uma nova visão do que ocorreu.
 Começando uma vida nova.
Nas mandalas quando aparece há necessidade de cura para que possa continuar sua vida. Tendo que distanciar dos eventos dolorosos, suprimir a dor da perda, que poderia ameaçar a capacidade do ego de enfrentar as coisas e superar o passado,
Indica o controle da psique sobre o fluxo de lembranças consideradas muito dolorosas.
Turquesa é azul claro ( cuidar maternalmente de modo positivo) e verde ( nutrição controle) expressando uma reorientação do tradicional zelo maternal ( cuidar de outros) com vistas a aumentar a capacidade de  si próprio.
Nas mandalas significa ainda uma lembrança da capacidade da psique de curar-se por meios não conhecidos e não  compreendidos. Indica também tendência a resistências as emoções devido ao medo de despertar imagens inconscientes mais profundas.

Cinza.
Uma cor neutra ligada à expiação – símbolo da depressão, inércia e indiferença. Na velhice conota sabedoria, retrospecção e relativismo.
Mas sugere o equilíbrio dos opostos, falta de sentimento.
Nas mandalas quando apresentado há sentimento de culpa oculto, relacionado também com a falta de esperança e com a depressão ligada ao direito à vida.
Pode estar ligada a raiz da luta pela sobrevivência no ambiente uterino, ou em pessoas que são programadas para aceitar a responsabilidade de impor uma grande dor ,
Nas mandalas talvez o cinza represente um  pedido de exaltação do próprio espaço sagrado do individuo. Ou se está tendo alguma percepção interior sobre a existência humana. Ou esteja vislumbrando a possibilidade da totalidade, ou descobrindo um meio-termo em alguma embaraçosa questão moral. Ou suprimento sentimentos, vivenciando a culpa de ser quem é ou passando por uma depressão que pode ser uma fase natural na peregrinação da vida.

Sistema de Cores.

Nas mandalas elas transmitem uma mensagem de equilíbrio, paz ou cura, assim as cores como as pessoas se relacionam, pois juntas passam uma impressão de harmonia, sendo que outras parecem entrar em choque. Sugerem conflitos, vitalidade ou desarmonia.
Saber suas interações ajudam a entender suas mensagens nas mandalas.
Por exemplo às cores do arco –íris exibindo sempre o mesmo padrão vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta, sendo que denota um sinal de benção dos deuses, criando um sentimento de entusiasmo, expectativa e alegria, pois suas cores são brilhantes, e, no entanto, são uns sinais de que a tempestade se aproxima.
Nas mudanças das estações estabelecem outras família de cores, tons pasteis, rosa, alfazema e amarelo da primavera amadurecem nos verdes e dourados do verão, já no outono traz uma paleta de cores escura e terrosa, cinza escuro, negro e branco do inverno, podendo ser sugerido como as estações da vida humana.

 

As cores laranjas, vermelhas e amarelas expressam, calor, energia e vitalidade.,
 

O círculo das cores foi criado para ajudar a obter harmonia trata-se de um arranjo circular das cores vermelhas, azuis, amarelas, verdes, ;laranja e roxa, Sendo que esse circulo é sub dividido em dois triângulos. Nas pontas de um dos triângulos  colocadas ao longo da circunferência do círculo, ficam o vermelho, o azul e o amarelo, sendo o segundo o roxo nasce da combinação dói vermelho com o azul, o laranja do vermelho com o amarelo, o verde resulta da mistura de azul e amarelo.


Nas mandalas, as cores primárias parecem refletir os impulsos.
O vermelho expressa a libido ou força vital necessária para sustentar a existência de um organismo.
O azul está relacionado com a capacidade de estabelecer vínculos e de agasalhar.
O amarelo revela o potencial para a consciência.
Numa mandalas onde há junção dessas cores indica atuação desses impulsos humanos primários.
O roxo por exemplo tem uma combinação do vermelho e do azul, portanto leve em consideração ao significados dessas cores. Portanto combine as associações delas..
Portanto a cor roxa significaria realeza, autoridade e elevados cumes de montanhas.
O vermelho refere-se a energia bruta, impulso e ira.
O Azul, tranqüilidade, justiça, proteção
O roxo, por detrás das aparências exteriores, distantes e autoritárias, arde uma energia em estado bruto que busca expressão no relacionamento.
Portanto pensando nessa possibilidade resulta da repressão dessa ira e assumindo o papel de protetora, ou estou conquistando nobreza de caráter na minha luta  para manter um difícil relacionamento com uma pessoa na minha vida..
As cores complementares que são vermelhos, verdes, amarelos, roxos, azuis e laranja. Nas mandalas, a proximidade dessas cores pode sugerir a tensão dos oposto.
O vermelho (energia) competiria com o verde (controle)
O amarelo (autonomia), próximo do roxo (ligação com a mãe) pode sugerir o choque entre  o desejo de independência e o hábito de contar com os pais.
O azul (zelo) perto do laranja (empenho) pode simbolizar o conflito entre o desejo de relacionar-se e a ambição da conquista.
Pensando nas cores primárias e secundárias e o choque entre elas podem nos oferecer pistas para entender conflitos pelos quais estamos passando. O ambiente natural, portanto influencia os nossos pensamentos sobre as cores, mesmo que estejamos, na maioria dos casos inconscientes dos seus efeitos sobre nós.
Um exemplo são as cores durante as estações do ano, podendo representar o nosso processo de desenvolvimento psicológico, nossos projetos, preocupações e relacionamentos surgem e se desfazem de acordo com um ritmo natural que reflete o das estações. Associar suas mandalas com as estações é outra maneira de entender as escolhas que você faz..
Na primavera são as cores de tons pasteis vivos e frios, amarelo, rosa alfazema, violeta, verde.
Nas mandalas essas cores podem indicar algo novo, jovem e cheio de potencial.
No verão as cores são verde, amarelo-ouro, laranja, vermelho, pêssego, azul celeste. Essas cores possuem umas características fecundas, cálidas, vibrantes.
Nas mandalas quando aparecem essas cores e no verão procure reparar se elas indicam a realização abundância ou maturidade de algo.
No Outono, marrom, laranja, dourado e castanho, e evocam os sentimentos relacionados com a felicidade pelo amadurecimento e rendimento , ao mesmo tempo a tristeza por ter passado o entusiasmo da estação do crescimento.
Nas mandalas essas cores do Outono podem sugerir que você está colhendo os frutos de um período de evolução pessoal. Mas também podem ser uma advertência para que se dê atenção a esse doloroso processo natural de  pensamento dos modos de ser familiar, a conclusão de projetos ou cumprimentos de obrigações.
No Inverno: preto, branco e o cinza. Mostrando uma certa melancolia nos trazem uma imagem de dias frios com um céu cinza, longas noites escuras .
Nas mandalas expressam um período inativo de repouso, no ciclo interior de crescimento.
Mas há um sinal dos primeiros dias de primavera que começam a despertar .
Se pensarmos no circulo mágico a cada direção é atribuída uma cor, no norte é o branco, o leste é o amarelo, no sul é o verde, e no oeste preto. Portanto cada uma possui suas próprias características próprias,.
Portanto o leste (amarelo) é a direção  da iluminação, como na primavera o raiar do dia e a descoberta incipiente do conhecimento.
O Sul (verde) é o lugar da confiança e da inocência, assemelha ao verão, a plenitude do meio dia  e ao período gerador de vida.
O Oeste (preto) é o lugar da introspecção. Como o outono, a tarde e a meia idade, transmite a necessidade de rever e abandonar.
Norte (branco) é o lugar da sabedoria. Inverno as longas horas da escuridão noturna, iluminada por uma lua brilhante e o precioso tesouro da sabedoria.
Portanto aquele que tem o dom do Norte será um sábio, mas será frio sem sentimentos, e o que vive só no leste terá a visão clara e sagaz da águia, mas nunca chegará perto das coisas. Sentindo à parte, acima da vida, e nunca entenderá ou acreditará que pode ser tocado pelas coisas.
Oeste remoerá o mesmo pensamento repetido vezes e sempre ficará indeciso, .
No sul verá tudo com os olhos de um camundongo, está próximo do chão e será por demais míope para ver qualquer coisa que não esteja à sua frente, tocando a ponta do seu nariz.. Portanto o ideal é trazer dentro de cada um as quatros direções em equilíbrio.

 Nas mandalas quando o branco, o verde, o amarelo ou o preto aparece lembre-se das lições de cada uma dessas cores como ensinado no circulo mágico. Elas são o portão de entrada para penetrar nos ensinamentos.
Significado das cores e sua influencia nas mandalas de acordo com a ioga Kundalini, pois como sabemos são energia invisível que flui pelo nosso corpo, através de certos canais. Sendo que o fluxo energético ascendente que vai da base da coluna vertebral ao alto da cabeça. E que ao longo desse canal há certos pontos nodais que concentram e transformam a energia.
Se pensarmos numa cruz ao Norte (sabedoria) Animal Búfalo cor branca, ao sul Inocência animal camundongo cor verde, ao leste iluminação pássaro águia e a cor amarela e no oeste introspecção animal urso, cor preta.

A importância das cores em nossas vidas

Deus se manifesta no plano físico através das cores e dos sons, portanto so luminantes são o sol e a lua. Os planetas sagrados são Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Um planeta sagrado é uma localização no Universo, onde as vibrações divinas passam para serem adensadas e depois servem direcionadas para o planeta terra com qualidades especificas. Quando esses chegam a terra conduzidos pelos raios do sol físico, já estão qualificados e adensados, por isso podem ser percebidos por nos.


Vejamos:
Marte/ Vermelha ...........................Vermelho é o raio do poder e da vontade
Sol/ laranja .....................................laranja é o raio do estímulo
Mercúrio/ amarelo........................... amarelo é o raio da alegria
Lua/ azul claro ou verde...................verde é o raio da saúde
Vênus/azul intenso............................azul é o raio da harmonia
Júpiter/verde esmeralda/ ou violeta...violeta é o raio da harmonia
Saturno/violeta ou índigo. ...............índigo é o raio da alma

Como utilizar as cores

Para tratar o corpo físico o vermelho e o rosa forte. O vermelho atua na corrente sangüínea, acelera os batimentos cardíacos e aumenta a pressão e aquece o corpo
Ela trata a anemia e dá impulso parta a ação. Pode ser aplicada para dar disposição para o trabalho e para aumentar o interesse pelo sexo. Ë uma cor que providencia o acréscimo de elemento fogo no organismo. Para a aura o vermelho ativa e cria vibração atrativa, facilita resultados materiais. Esta cor é mais adequada para o primeiro e segundo chakras, mas seu uso deve ser controlado , também fortalece as defesas contra ataques de origem espiritual que estão atingindo o corpo físico e a sexualidade, não deve ser usada no sétimo chakra e em pessoas que não controlam sua energia sexual, bem como em pessoas que têm problemas mentais e são agressivas.
Evitar na tensão pré-menstrual, na insônia, na loucura e quando a pessoa é hipertensa.
Evitar quando o problema espiritual for intenso e envolver karma, inimizade de vida passada, mediunidade descontrolada, assédio e obsessão que tornam a pessoa agitada.
Na cor laranja utilização para o corpo físico é para mudar os fluídos da tristeza e da doença, regenera tecidos e apressa a cura de lesões, atuando como reforço para curar fraturas, evita a instabilidade de quem vive doente  ou é muito alérgico, regenera os danos causados no corpo pela emoção, como raiva e ansiedade. Na aura recuperam danos causados pelos atos e palavras, ativa as defesas da aura e imprime impulsos superiores, recarregando o campo áurico e restaurando seu padrão normal de vibrações, como nos chakras sendo o segundo, mas deve usar com cuidado em mulheres quando há menstruação excessiva, tem o poder de energizar e regenerar dando resistência contra energias evasivas. Para a alma estrutura e recupera danos recentes, cria defesas contra energias negativas que atacam o corpo físico e causam descontrole das emoções, imunizando contra os espíritos sem luz. ( podendo ser usando quando há perdas afetivas ou morte de ente querido).
Quando evitar o laranja para pessoas emotivas ou em crise de choro, quando houver descontrole como raiva, revolta contra o karma, ciúme, sentimentos de vingança, atitudes agressivas, emoções fortes depois de regressão de vidas passadas, problemas de mediunidade em ativação descontrolada, assédio ou obsessão que gera muita excitação emocional.

O amarelo para tratar o corpo físico restaura o sistema nervoso e as células, facilitando  a ativação do elemento ar. No cuidado com a aura, atua como carregador, captando fluídos que dão discernimento e facilidade para entender o ambiente e o semelhante, criando assim defesa através da percepção aguçada, clareia a aura escurecida por pensamento sombrios. O mesmo como o  sexto chakra, pois favorece o esclarecimento na funções do pensamento. Num chakra descarregado pode repor energia criando uma reserva para uso futuro. Na alma elimina resíduos energéticos que foram recebidos recentemente e os danos causados por pensamento, ajudando a compreender a linguagem dos símbolos e criando impulsos para a busca da alma. Evitar quando há doença mental, problemas na fala, imaturidade ou desconcentração, não usar quando alguém está assustados com de fenômenos mediúnicos, com assédio ou com obsessão espiritual.
O verde utilizado para o corpo físico pode ser um ativador suave carregando as energias físicas , e tem grande influência sobre as disfunções hepáticas e sobre os intestinos, estomago e vesícula. Ajuda na digestão e na insônia. Acréscimo de elemento terra no organismo. Já para a aura é um ativador das vibrações adormecidas e desperta o dom especial de cada um. É um elemento preventivo e restaurador do campo áurico, serve como isolador no caso de perdas involuntárias de vibrações por convivência física. Para os chakras sendo esse o quarto, impede que sejam desvitalizados e age com rapidez na recuperação, abrindo bloqueios quando estes fecham. Já para a alma reintegra a unidade corpo/alma, pois equilibra as trocas entre os dois, permitindo mão dupla nas trocas energéticas, verde é o remédio para a alma, e impede a perda de energias é veiculo de esperança.
Evitar o uso de verde quando a pessoa tiver medo ou mania de doença, quando tem espasmos dolorosos de fundo nervoso, quando tiver mania de grandeza.
O azul para tratar o corpo físico acalma o sistema nervoso, regula o sistema digestivo e equilibra o sistema circulatório, ajuda na desinflamação e trata a febre, abaixa a pressão sanguínea, alivia dores e pruridos, providência o acréscimo de elemento água no organismos. Já para a aura reestrutura as vibrações num nível ideal, adensa o campo áurico, estimulando as defesas e limpa e ajusta a aura das pessoas fisicamente mais frágeis como idosos, crianças e gestantes. No chakras cria bloqueio contra energias negativas, esfria e acalma o excesso de atividade nos chakras em geral, desacelera um chackra muito ativo.
Para a alma equilibra os efeitos provenientes de ataques espirituais, mantendo em nível satisfatórios as defesas da alma. Ajuda e estimula a paciência e traz equilíbrio às emoções, acalma e abranda os sentimentos.
Evitar quando houver medo intenso, vivências mediúnicas ou regressões, ou em pessoas em estado de como.
O Violeta para tratar o corpo físico ajuda a tratar doenças degenerativas e cuja origem é karmica, é cauterizador  e é um elemento bactericida, que atua bem nas infecções. Para a aura transmuta resíduos negativos em positivos, sejam de origem interior ou exterior, criando harmonia e defesa contra entidades espirituais e encarnados, que são os inimigos da terra. Para os chakras permiti que a energia flua igualmente por todos, se necessário inverte o sentido do fluxo energético, sendo que para tratar a alma paralisa processos degenerativos, anula os ataques, religa a alma com o perispirito. Ajuda na aceitação. Evita aplicar na região da cabeça, ou em místico negativo, com tendência a viajar pelo mundo irreal e da fantasia.
O índigo pra o corpo físico ajuda na calcificação, gorduras e tromboses, atua na coagulação do sangue. Para a aura limpa, imprime calma para receber a força do silêncio e da paz de Deus, energiza harmoniza e defende, se presta a todas as funções regenerativas ao mesmo tempo. Ajuda  a interromper imediatamente a perda de energia pelo chakra quando este está desordenado. Permite correções de erros em que a pessoa se agita . Evitar quando alguma limpeza orgânica estiver se processando.
Essas funções podem ser feitas quando utilizar mandalas para colorir, pois o tratamento cromoterápico é útil e sua cor vibracional é potencializada e ajuda a pessoa a equilibrar e assim alcançar os objetivos que é o seu auto conhecimento, pois somo um, somos uma totalidade.
Lembre quando for usar as cores para tratar uma pessoa escolha uma cor de acordo com o problema que vai ser tratado e depois da melhora sempre use a cor azul para fixar os resultados.

Vejamos um roteiro
Corpo físico
Primeira cor- amarelo- basta e 1 mandala
Segunda cor- a que a pessoa precisa- devem ser aplicadas várias. Até desaparecer o problema, mas sempre utiliza essa seqüência.
Terceira cor azul- 1 mandala
Aura:
Limpar a aura de resíduos energéticos negativos- verde
Para tratar a aura sobre desordem vibratória- corpo que será escolhida pelo terapeuta.
Fixar resultados- violeta.
Roteiro.

  1. verde- basta uma mandala

  2. cor da terapia- várias mandalas

  3. violeta- basta uma mandala.

Para os chakras.
Primeiro ver como o chakra está em movimento. Ele pode estar inerte e precisa ser ativado, mas pode estar ativo e precisa ser acalmado, ou estar desordenado, com movimentos irregulares.
Isso pode ser feito com sua sensibilidade, ou colocar sua mão sobre eles, ou utilizar o pêndulo.

 

Se estiver acelerado utilize o azul Se estiver inerte ou lento use o rosa forte. Se estiver desordenado use o verde.
A segunda cor geralmente é a cor do chakra. E a terceira é a que fará a fixação dos resultados obtidos.
Roteiro.
      1   chakra- vermelho
       2  chakra- laranja
      3  chakra amarelo

  1. chakra verde

  2. -chakra azul

  3.  chakra violeta

  4.  chakra índigo

Primeira cor: selecionar de acordo com a disfunçã0 – 3 mandalas
Segunda cor: a cor do chakras- várias mandalas
Terceira cor: verde basta uma mandalas.
Para a alma a primeira cor é escolhida no caso de haver necessidade de limpar a alma de resíduos energéticos negativos, utiliza o azul, a segunda para tratar a aura é a cor que fará a terapia, essa cor é sempre o violeta, a mais indicada para a recuperação da aura. A terceira ‘é usada para fixar o resultado, índigo.
Roteiro.

  1. azul- basta uma

  2. violeta – várias mandalas

  3. índigo- basta uma.

A tabela abaixo serve para que se possa usar a luz solar para absorver diretamente a vibração de qualquer cor e ajudará no processo.
Azul- das 5 às 7
Verde- das 7 às 9 horas
Amarelo- das 9 às 10 horas
Laranja- das 10 às 12 horas
Vermelho- das 12 às 14 horas
Violeta- das 14 às 16 horas
Ultra violeta das 16 às 17 horas
Laranja das 17 às 18 horas.

Duração das sessões e do tratamento.

  1. Varia entre 15 a 40 minutos, isso é suficiente para que a cor atue. O tratamento um tempo médio de um mês, com sessões diárias de trabalho, mas podem variar se o problema for crônico, ou lentas, em outras situações o resultado é imediata em poucos dias há modificações .

Portanto a junção das cores
vermelho/verde/laranja/roxo/azul/amarelo/preto/branco- expressa a oscilação entre os opostos. Nas mandalas pode indicar a tomada de consciência dos aspectos opostos da psique. Com a constelação da natureza contraditória do individuo vem a possibilidade de solucionar, de forma diferente e mais completa, essas facetas da personalidade.
Nas mandalas reflete um padrão em mudança, o que às vezes precede a capacidade de entendimento.

Portanto a união dos opostos, a coniunctio revela o tesouro almejado, ocorre a diferenciação- espírito/matéria – consciente/inconsciente – bem/mal- foi bem sucedido. Podendo então os opostos reconciliar numa união que permite a continuidade da existência particular de cada um. Psicologicamente a união do corpo com o espírito ou do consciente com o inconsciente pode ser tentada com segurança somente quando ambos tiverem passado por uma purificação  onde são examinados e ordenados.


Portanto as cores associadas com esse casamento dos opostos são:
Vermelho, amarelo, avermelhado ou cremosa-
Transformação do vermelho e do branco em rosa – indica coniunctio
Nas mandalas – significa usufruir de um momento próximo da totalidade, conquistado arduamente em estágios anteriores de progressão pessoal e de sustentação da tensão dos opostos para expandir a consciência.
Preto e o rosa juntos- revelam sentimentos negativos sobre a própria pessoa.
Nas mandala sugere um  sinal para dar início a intervenções que melhorem a saúde e o bem estar físicos e emocionais.
Preto e o vermelho nas mandalas- indicadores de depressão e de raiva- sugere que os sentimentos podem ser exteriorizados de forma explosiva.
Azul e vermelho nas mandalas- assinala conflito.
Roxo substituído pelo azul escuro e pelo vermelho – abrem caminho para o amarelo
Vermelho e o azul escuro separam-se do roxo escuro- quando o conflito é finalmente resolvido o ego e a auto consciência nascem no sol do eu – (amarelo)
Nas mandalas o amarelo com o preto ou azul escuro revela vulnerabilidade à inflação alterando-se com uma baixa auto estima.
O amarelo com o preto ou com azul escuro pode simbolizar um humor que oscila entre os extremos da exaltação e da depressão
Nas mandalas, pode-se considerar a necessidade de um sério trabalho interior para descobrir o verdadeiro eu e o poder da pessoa,
Nas mandalas o vermelho e o verde juntos  indicam conflitos.
Vermelho indica necessidade
Verde controle parental que inibe a expressão dessa necessidade
Na medida que as mandalas se revelam, temos a oportunidade de confirmar nossas intenções e de aprofundar nossa compreensão sobre  as cores expressando nossos sentimentos e assim obter ao longo do processo nosso auto conhecimento.

Atividade realizada com os alunos, aplicação em si próprio, antes aplicar um questionário para saber o que cada um está sentindo tanto no corpo físico, mental emocional e espiritual.


Primeira Atividade:

CONTATOS

Tels.: 3816-1137 • 3816-3780 • 3814-9396 • 9-9999-0506
wilma.nubiato@yahoo.com.br

COMO CHEGAR

Rua Paulistânia, 593 - Sumarezinho - São Paulo

MENSAGENS

Preencha o formulário abaixo e envie-nos sua mensagem

Psicovia Terapia do Ser - 2016 - Todos os direitos reservados. -

Desenvolvimento