Alquimia
Atividade expressiva - Arteterapia

A Alquimia é um processo biodinâmico que utiliza a fermentação ou a putrefação para provocar alterações na matéria, em vez das reações químicas normais. Segundo Jean Dubuis, "conduz ao conhecimento profundo dos mecanismos fundamentais da Natureza mas, ao contrário das ciências profanas que só pretendem atingir o aspecto material desses mecanismos, a Alquimia tem igualmente em conta o aspecto espiritual geralmente invisível à percepção sensorial do operador.

A alquimia é uma arte que se utiliza de grande numero de símbolos, e por isso mesmo muitas vezes há referencia a ela com o nome de Ars Symbolica.

O grande símbolo da alquimia é a borboleta, por causa do efeito da metamorfose.
A borboleta passa por diferentes fases onde se transforma totalmente, mas sem perder sua essência
A figura hemofrodita é um dos símbolos que aparecem nos trabalhos de alquimia.

Nesta atividade foram utilizados pedaço pequenos de galhos secos, folhas, pedras, velas.
Antes cada um observou a mandala, em seguida fizemos a meditação. Após terminar a meditação voltamos a observar a mandala no centro da sala.

Formamos uma grande mandala com todos os elementos, depois faz-se uma meditação
“Sentado calmamente em lugar arejado, dê de presente para si mesmo 10 minutos de sossego”.
Deixe de lado as preocupações de curto prazo e relaxe.

Pense por um instante como a vida pode ser breve, mas é fascinante. Sinta seu coração bater, com fidelidade infalível, e agradeça a ele mentalmente. Perceba o fluxo sempre renovado de sangue pelo seu corpo todo, e agradeça.
Respire fundo, com calma, e congratule-se pelo fato de estar vivo e atento, acordado e alerta.
Reconheça que a vida é preciosa demais para ser gasta em conflitos. Faça um voto incondicional de viver em paz com todos os seres. Estar vivo e atento é uma experiência tão vasta e significativa que não há motivo para ficar alimentando pequenas decepções e ilusões pessoais.

Durante os próximos dias, sorria mais para as pessoas. E para si mesmo. Solte-se e sorria agora mesmo para seu próprio coração e para o centro de paz que há em você.
Seja mais amável com as pessoas nos próximos sete dias, buscando expressar com isso apenas sua alegria incondicional de viver.

Estabeleça uma atitude geral de satisfação com a-vida-como-ela-é e com as-pessoas-como-elas-são. Isso dá a você mais liberdade para administrar suas próprias energias: viver e deixar viver é um princípio da sabedoria
E anote, a cada noite, alguma coisa dos resultados do dia. Abra seus diálogos com as pessoas através de um sorriso e observe o resultado. Observe a sua sensação física, seu estado mental e seu estado emocional quando você expressa uma atitude harmoniosa e sincera com os outros.

Seja firme quando necessário, porque firmeza é tão importante quanto flexibilidade; mas mantenha respeito e equilíbrio em todos os momentos. Deseje o bem dos outros, calma e deliberadamente, e veja como se sente depois. Reflita sobre as consequências desta atitude prática em relação à sua saúde, a curto, médio e longo prazo.

Ao final de uma semana de experiência, faça uma avaliação e decida se vale a pena ser mais amável com todos, independentemente dos altos e baixos da vida.

Ao fechar a meditação, lembre-se:
Felicidade não é ter seus desejos atendidos. É estar contente com a vida a cada momento, e usar para o bem, corretamente, a energia vital de que você dispõe hoje.”

“A verdadeira saúde vem de dentro de cada ser consciente, e elimina, ou reduz, as causas do sofrimento.”
Carlos Cardoso Aveline

A mente é o forno alquímico que elabora a realidade, mas nós, normalmente, não a treinamos e não sabemos usá-la para conquistar nossas metas e objetivos, pois cremos nas coincidências e na sorte. Contudo, Deus, quando nos fez a sua imagem e semelhança, nos deu a capacidade de co-criar, de desenrolar o véu da realidade e construir um universo de abundância, por meio da nossa capacidade de mentalizar e direcionar as energias universais. presta atenção na voz interna de tua alma.

Escuta o som sutil da sabedoria que mora na câmara secreta do coração
"Nenhum ser humano poderá revelar-vos nada senão o que já está meio adormecido na aurora do vosso entendimento."

Após a observação cada um escolheu um elemento, e relataram o que estava sentindo, quais os sentimentos, emoções que emergiram daquele elemento simbólico para realização alquímica de cada um.
Depois falamos das fases alquímicas e onde cada um se encontrava.

Após acendemos todas as velas, e  fizeram a troca (morte) velho pela luz.
Fazendo observação com a chama da vela, qual o significado da transformação, morte representando simbolicamente pelos elementos secos no centro da mandala.

O que a chama pode representar e que símbolo ela observava na chama da sua vela.
Após todos apagaram a vela e foi lido o texto Os dois Filhos-  cap 15- Lucas.

Qual foram as reações diante do texto, com qual personagem identificaram. Em que fase cada um se encontrava.

Depois foi solicitado ao grupo se gostariam de transformar os elementos escolhido no centro da mandala. Veja a transformação Abaixo.

Depois da transformação. Cada um falou do processo o que estavam sentindo e o que puderem tirar dessa transformação.

Para completar a atividade foi retirado uma carta Mandalas construindo caminhos: Um processo Arteterapêuticos Regina Fioressi Chiesa.

Depois cada um abriu aleotoriamente a página do livro Louise L. Hay Ame-se e cure sua vida. Exercícios para sua mudança interior.

Depois da análise de cada um, foi feito o fechamento com as cartas: Coaching do Amor.



Análise dos Círculos ou Mandalas escolhidas.

Se o seu medo é em TONS DE VIOLETA (lilás até o roxo):
A razão desse processo é a falta de domínio que você experimenta perante os objetivos de sua vida, perante as coisas que você quer alcançar ou que você tem que alcançar para você e ou também para todos que de você dependem.

A sensação de "não saber o que", ou de "não saber se quer", ou de "se ter dúvida em conseguir ou em ser capaz de", por vezes, causam desconfortos consideráveis nas pessoas dos medos violetas.
É quase sempre presente uma dúvida:.."até onde aquilo que faço é por mim ou por outras pessoas? Afinal, é "aqui" que posso ganhar dinheiro para me sustentar e, também, àquelas pessoas que dependem de mim, mas o que eu gostaria de verdade era de estar atuando em tal coisa... Aí sim eu me sentiria realizado!... Quem sabe um dia...

A realização pessoal é quase sempre inexistente.
Ainda mais complicado é quando tudo parece bem, mas em alguns casos, a pessoa nutre uma culpa ilógica por se permitir ser feliz naquilo que faz, com aquilo que tem, etc. A sensação, nesses casos, pode ser a de uma auto-reprovação - "como posso ter ou querer algo quando tantos não têm". Parece difícil entender porque as coisas acontecem em sua vida da maneira como acontecem, já que você sempre tenta cuidar para que não seja da forma como normalmente acaba sendo.

Tudo isso acontece porque o desmerecimento é uma característica natural do medo violeta. As necessidades de "ter que sofrer para ganhar", de "se punir para as coisas terem mais valor ou darem certo" e, de "ter que pastar para ganhar os céus"... acabam por acumular idéias e vivências que afloram de preconceitos e negam o merecimento natural. O medo violeta comumente cansa quem o alimenta por causar uma grande sensação de impotência perante os desafios.

Mesmo que, por exemplo, na vida profissional, esteja sendo possível receber um bom retorno financeiro, a realização (gostar pra valer do que faz, ou não ter culpa por fazer o que gosta), e o reconhecimento perante os resultados do trabalho (outras pessoas darem um retorno positivo de seu valor) nunca vêm. Parece que "o mundo" está sempre tentando destruir as pessoas dos medos de cor violeta que comumente, são pessoas inteligentes, interessantes, de presenças marcantes e com força de expressão espiritual.

Essas pessoas acabam adotando uma postura que muitas vezes apresenta certa prepotência e, então, decidem comandar as vidas alheias. Fazem isso com boas intenções e, comumente demonstrando que, assim, estão construindo um mundo melhor para si e para o outro. Quando esse medo violeta se torna uma crença, se instala na vida uma abertura a uma certa mania de perseguição. Em seus pensamentos a espera do momento em que tudo vai estar "pronto" para, então finalmente se poder ser feliz é infinita... Parece que nunca chega esse tal, tão aguardado momento.

Mas essa realidade é um tormento que lhe acompanha desde o momento em que você passou a ter necessidade de provar o seu valor para uma figura masculina que pode ser o seu pai, irmão, um chefe, marido, namorado, ou até mesmo, sua mãe, se for ela a figura forte e de ação dentro de sua casa. É preciso perdoar a si mesmo e, naturalmente, essa figura será perdoada. E nesse caso, o perdão é um requisito básico à sua própria felicidade e à possibilidade de você conseguir se sentir pleno e valorizado como Filho Divino. Esse resgate também eliminará a sensação de que alguma força sobrenatural é a grande responsável pelas vivências indesejadas que você enfrenta.

Sugestão para o medo TONS DE VIOLETA:
Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e lembre-se:
A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.

Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranqüilamente, mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar você completa ciclos de purificação. Sinta-se tranqüilo, relaxado e purificado. Imagine-se à frente de uma escada de sete degraus. Cada degrau tem uma cor e vibra intensa energia naquela tonalidade. Sinta o convite para subir essa escada.

O primeiro degrau que você visualiza é vermelho. No instante em que você coloca seus dois pés no degrau, seu corpo é inundado por essa luz. Imagine, nesse momento, que a luz vermelha envolve você e, ao mesmo tempo, penetra seu corpo pela sola de seus pés.

Faça a mesma seqüência de imagens com uma nova tonalidade a cada degrau seguindo a seqüência abaixo:
O segundo degrau é Laranja
O terceiro degrau é Amarelo
O quarto degrau é Verde
O quinto degrau é Azul Céu
O sexto degrau é Azul Escuro
O sétimo degrau é Violeta.

Quando você atingir o último degrau, o violeta, imagine que você alcançou uma porta que, de frente para você, se abre e o convida a entrar em uma sala que mantém uma intensa vibração energética Branca e Brilhante. Dessa sala você assiste a um espetáculo incrível de explosões contínuas da Luz Banca que permanece explodindo e passa a jorrar o mesmo brilho para você. A cada nova explosão de Luz sinta-se renovado e preenchido, envolvido e protegido. O ambiente produz em seu Ser uma calma maravilhosa, uma sensação de Amor e Certeza que você deve buscar sentir e manter. Quando concluir, ou quando sentir que está bom desça novamente a escada pisando em cada degrau e reveja todas as freqüências inundando você, agora na ordem contrária, do violeta para o vermelho.

Mantenha-se com as sensações experimentadas no exercício. Durante todo o dia. Lembre-se de vez em quando e sinta a explosão de luz em você. Pratique esse exercício no mínimo uma vez ao dia. Quantas mais vezes ele for praticado, mais rapidamente você perceberá resultados e efeitos muito positivos em sua vida.

Informações importantes:
Procure fazer a leitura avaliando sua realidade durante a vivência do medo tingido pela cor escolhida, após esta mesma vivência, na antecedência do que ocorre às sensações que envolvem o medo (fatos ou estímulos) e nos resultados que o processo gera em sua vida. Necessariamente, a descrição aborda diversas possibilidades que terão mais confirmações para você e serão mais coincidentes com a sua realidade, quanto mais intenso for o processo em sua vida.

Se o seu medo é em TONS DE VIOLETA (lilás até o roxo):
A razão desse processo é a falta de domínio que você experimenta perante os objetivos de sua vida, perante as coisas que você quer alcançar ou que você tem que alcançar para você e ou também para todos que de você dependem.

A sensação de "não saber o que", ou de "não saber se quer", ou de "se ter dúvida em conseguir ou em ser capaz de", por vezes, causam desconfortos consideráveis nas pessoas dos medos violetas.
É quase sempre presente uma dúvida:.."até onde aquilo que faço é por mim ou por outras pessoas? Afinal, é "aqui" que posso ganhar dinheiro para me sustentar e, também, àquelas pessoas que dependem de mim, mas o que eu gostaria de verdade era de estar atuando em tal coisa... Aí sim eu me sentiria realizado!... Quem sabe um dia...

A realização pessoal é quase sempre inexistente.
Ainda mais complicado é quando tudo parece bem, mas em alguns casos, a pessoa nutre uma culpa ilógica por se permitir ser feliz naquilo que faz, com aquilo que tem, etc. A sensação, nesses casos, pode ser a de uma auto-reprovação - "como posso ter ou querer algo quando tantos não têm". Parece difícil entender porque as coisas acontecem em sua vida da maneira como acontecem, já que você sempre tenta cuidar para que não seja da forma como normalmente acaba sendo.

Tudo isso acontece porque o desmerecimento é uma característica natural do medo violeta. As necessidades de "ter que sofrer para ganhar", de "se punir para as coisas terem mais valor ou darem certo" e, de "ter que pastar para ganhar os céus"... acabam por acumular idéias e vivências que afloram de preconceitos e negam o merecimento natural. O medo violeta comumente cansa quem o alimenta por causar uma grande sensação de impotência perante os desafios.

Mesmo que, por exemplo, na vida profissional, esteja sendo possível receber um bom retorno financeiro, a realização (gostar pra valer do que faz, ou não ter culpa por fazer o que gosta), e o reconhecimento perante os resultados do trabalho (outras pessoas darem um retorno positivo de seu valor) nunca vêm. Parece que "o mundo" está sempre tentando destruir as pessoas dos medos de cor violeta que comumente, são pessoas inteligentes, interessantes, de presenças marcantes e com força de expressão espiritual.

Essas pessoas acabam adotando uma postura que muitas vezes apresenta certa prepotência e, então, decidem comandar as vidas alheias. Fazem isso com boas intenções e, comumente demonstrando que, assim, estão construindo um mundo melhor para si e para o outro. Quando esse medo violeta se torna uma crença, se instala na vida uma abertura a uma certa mania de perseguição. Em seus pensamentos a espera do momento em que tudo vai estar "pronto" para, então finalmente se poder ser feliz é infinita... Parece que nunca chega esse tal, tão aguardado momento.

Mas essa realidade é um tormento que lhe acompanha desde o momento em que você passou a ter necessidade de provar o seu valor para uma figura masculina que pode ser o seu pai, irmão, um chefe, marido, namorado, ou até mesmo, sua mãe, se for ela a figura forte e de ação dentro de sua casa. É preciso perdoar a si mesmo e, naturalmente, essa figura será perdoada. E nesse caso, o perdão é um requisito básico à sua própria felicidade e à possibilidade de você conseguir se sentir pleno e valorizado como Filho Divino. Esse resgate também eliminará a sensação de que alguma força sobrenatural é a grande responsável pelas vivências indesejadas que você enfrenta.

Sugestão para o medo TONS DE VIOLETA:
Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e lembre-se:
A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.

Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranqüilamente, mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar você completa ciclos de purificação. Sinta-se tranqüilo, relaxado e purificado. Imagine-se à frente de uma escada de sete degraus. Cada degrau tem uma cor e vibra intensa energia naquela tonalidade. Sinta o convite para subir essa escada.

O primeiro degrau que você visualiza é vermelho. No instante em que você coloca seus dois pés no degrau, seu corpo é inundado por essa luz. Imagine, nesse momento, que a luz vermelha envolve você e, ao mesmo tempo, penetra seu corpo pela sola de seus pés.

Faça a mesma seqüência de imagens com uma nova tonalidade a cada degrau seguindo a seqüência abaixo:
O segundo degrau é Laranja
O terceiro degrau é Amarelo
O quarto degrau é Verde
O quinto degrau é Azul Céu
O sexto degrau é Azul Escuro
O sétimo degrau é Violeta.

Quando você atingir o último degrau, o violeta, imagine que você alcançou uma porta que, de frente para você, se abre e o convida a entrar em uma sala que mantém uma intensa vibração energética Branca e Brilhante. Dessa sala você assiste a um espetáculo incrível de explosões contínuas da Luz Banca que permanece explodindo e passa a jorrar o mesmo brilho para você. A cada nova explosão de Luz sinta-se renovado e preenchido, envolvido e protegido. O ambiente produz em seu Ser uma calma maravilhosa, uma sensação de Amor e Certeza que você deve buscar sentir e manter. Quando concluir, ou quando sentir que está bom desça novamente a escada pisando em cada degrau e reveja todas as freqüências inundando você, agora na ordem contrária, do violeta para o vermelho.

Mantenha-se com as sensações experimentadas no exercício. Durante todo o dia. Lembre-se de vez em quando e sinta a explosão de luz em você. Pratique esse exercício no mínimo uma vez ao dia. Quantas mais vezes ele for praticado, mais rapidamente você perceberá resultados e efeitos muito positivos em sua vida.

Informações importantes:
Procure fazer a leitura avaliando sua realidade durante a vivência do medo tingido pela cor escolhida, após esta mesma vivência, na antecedência do que ocorre às sensações que envolvem o medo (fatos ou estímulos) e nos resultados que o processo gera em sua vida. Necessariamente, a descrição aborda diversas possibilidades que terão mais confirmações para você e serão mais coincidentes com a sua realidade, quanto mais intenso for o processo em sua vida.

Se o seu medo é BRANCO

O medo branco fosco demonstra acima de tudo um EVITAMENTO!

Evitamento das situações que envolvem o próprio medo ou evitamento em reviver as situações que geraram o processo desde quando esse medo passou a existir em sua vida. Procure observar e lembrar-se: a partir do momento em que algo ocorreu e, após a própria vivência do fato, existe um cuidado tão intenso para não se vivenciar aquilo novamente, um evitamento tão forte, que parece que tudo sempre leva você a vivenciar a "proximidade" do que se tem tentado evitar.

Os medos brancos demonstram DEFESA!
Uma tentativa de se proteger de alguém ou de algo que possa gerar sofrimento em qualquer área da vida.A falta de domínio perante determinadas situações da vida leva a pessoa do medo branco a procurar se proteger, a evitar confronto ou enfrentamento. A passividade é, comumente, a reação mais natural nos indivíduos que enfrentam um medo deste tipo.

Comumente, o medo branco é parte de um processo de inadequação pessoal que fragiliza e leva a pessoa a perder a confiança principalmente em um fato: ...existe algo maior que protege e dirige nossas ações...
Quando passamos por essa inadequação é inevitável a vivência dos medos de errar, de não dar certo novamente, de falhar, de perder algo ou alguém, de adoecer, enfim, passamos a vivenciar uma roda viva: quanto mais lutamos para evitar e nos defender de perder, mais vibramos a frequência que atrai, exatamente, aquela perda!

Não é incomum que as ideias dos portadores dos medos brancos sejam distorcidas e, por isso, parece difícil a eles expressar suas intenções e sentirem-se compreendidos. Como ao final parece que nem adianta agir de outra forma em algumas situações, resta o tentar ser "bonzinho" para que as pessoas o aceitem e não criem tantos problemas, mas, nesses momentos, a ausência de sua realização interior ou uma forte insatisfação pode causar grande agitação em seu ser.

Os medos brancos podem envolver culpas que aguardam a renovação do perdão! É preciso encontrar tais culpas, pois essa é a chave de resolução desse processo. É preciso procurar lá dentro... No fundo! Coloque muita atenção nisso, porque essas mesmas culpas é que mais contribuem para a vibração freqüencial que leva à repetição do processo e à ampliação do medo.

Muitas vezes é como se, em algum ponto de seu ser, houvesse um medo de não ser aceito, ou perdoado ou acolhido, principalmente por uma figura masculina ou como se, a partir de algum momento no passado se tivesse iniciado uma desaprovação ou interferência interior a partir da ação de alguma figura masculina que, ainda, pode estimular mágoas ou dores e sofrimentos. É preciso sentir que o "pai" aceita e perdoa.
O masculino: o pai terreno, o homem - chefe, marido, irmão ou o Pai Superior.

A proteção espiritual é buscada acima de tudo nos casos em que um medo branco fosco atinge seu portador. E, nesse caso, o branco pode até apresentar certo brilho ao tingir o medo.

Os medos brancos trazem uma sensação de que, por mais que as ações sejam cuidadosas e busquem bons resultados e por mais que se tente, é como se o que retorna nem sempre traz consigo o resultado aguardado, desejado, esperado. Por essa razão, muitos objetivos se desestruturaram porque a sensação predominante é a de que, sempre, tudo exige um grande esforço e nem sempre o retorno do que se faz é aquele que se espera.
A sensação de se ter que fazer muito esforço, de se ter que dar muito para receber - quase sempre - tão pouco, se deve ao fato de que os preconceitos acumulados nas diversas experiências estão bloqueando a naturalidade da recepção do amor, do reconhecimento, da recompensa, dos bens, etc... Isso ocorre, simplesmente, porque a intuição está sendo bloqueada pelos medos brancos e, na maior parte das vezes, num processo inconsciente para o seu portador. Entretanto, a Intuição bloqueada é uma sensação irreal. Falta, sim, uma atenção à essência, fonte dessa intuição... Pois, comumente, as pessoas dos medos brancos são muito sensíveis e intuitivas. Só que o seu contato consigo mesmas é impedido porque elas se previnem excessivamente e acabam desatentas de si mesmas e sempre aguardando que o retorno esperado venha de fora, ou da ação de outras pessoas, ou da vida, ou de Deus.

Acima de tudo, se você é portador de um medo branco, é preciso regatar o poder sobre a vida. Saber que você é a primeira e mais importante pessoa a lutar por você mesma. É preciso confiar, deixar o merecimento aflorar e nutrir-se de mais e mais vida para que a continuidade plena seja possibilitada. Essa tomada de consciência permitirá que sua vida renasça e se mantenha em plena continuidade de florescimentos que logo trarão frutos e nutrientes seguros.
Isso irá gerar a paz almejada por você que é portador dos medos brancos.

Sugestão para o MEDO BRANCO:
Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e lembre-se:
A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.
É importante ressaltar que: basta imaginar! A necessidade de "ver com os olhos fechados" pode criar alguns bloqueios na imaginação. Ao invés de jogar a imagem para os olhos físicos, permita que seu pensamento fique livre, se estruture naturalmente em sua mente e decida sentir cada coisa que for imaginando. Realmente, é só imaginar! A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.
Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranquilamente, mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar o ar você completa ciclos de purificação. Sinta-se tranquilo, relaxado e purificado.

Passe a imaginar que dentro de seu corpo:
- bem no centro de sua cabeça existe uma fonte luminosa na tonalidade violeta,
- em seu coração uma fonte luminosa na tonalidade verde,
- e em seu ventre uma fonte luminosa na tonalidade laranja.

Imagine, escolha e decida que essas três tonalidades contém forças transmutadoras, energizadoras, curativas, purificadoras...

Escolha, também, para imaginar, uma cena de natureza fértil e agradável, numa área circular e decida que você está pisando na terra, bem no centro dessa área.

As luzes se intensificam dentro de seu corpo cada vez mais, aumentando seu brilho e intensidade. Conforme vão iluminando seu corpo, internamente mesclam e vibram essas três tonalidades em seu ser como que empurrando todos os conflitos e dificuldades provenientes do seu medo ou das vivências que o envolvem para a flor de sua pele.

Perceba como se, camadas desses seus sentimentos fossem se acumulando entre seu corpo e as luzes. Como se você passasse a estar inteiramente iluminado, numa silhueta de luzes e brilho que, do lado interno, aprisiona a faixa de sentimentos ruins, entre seu corpo ou sua pele e a própria silhueta de luzes. Nesse momento, sua percepção pode observar, até mesmo, certa pressão em seu corpo de dentro para fora.
Imagine, então, que a temperatura começa a baixar muito rapidamente. Se for difícil imaginar isso, decida que você vai até um local frio, uma câmara de resfriamento ou qualquer coisa assim, e decida que a camada dos sentimentos vai se congelar ao seu redor. Como se conforme fosse se enrijecendo e congelando a faixa de sentimentos pudesse atravessar seu corpo mantendo-se ao seu redor, agora externamente, endurecendo seu corpo e impedindo seus movimentos...

Então, num certo momento e com a capa totalmente endurecida, já do lado de fora de seu corpo, assista no horizonte ao nascer do sol... Receba prazerosamente o calor suave, contínuo e agradável que vai se intensificando e chegando a você levando, inevitavelmente, a capa congelada a se derreter pela ação solar.
Assista toda a capa sendo "descongelada", escorrendo por seu corpo, para baixo e sendo absorvida pela terra. Você vai ficando totalmente iluminado... Leve, tranqüilo e decidido a controlar a situação... É natural. Como se a terra tivesse o poder harmonizador e no momento em que ela, a terra, absorve as dificuldades e conflitos que vêm se descongelando, você começa a sentir-se renovado, purificado, gratificado e agradecido pelo processo de purificação que a mãe terra lhe oferece e proporciona, adequando seu merecimento e abrindo sua capacidade freqüencial em receber o que lhe é de direito!

Ao concluir, visualize-se como um ser de Pura Luz e decida manter, naturalmente, uma força inesgotável e contínua às suas fontes coloridas e internas. Mantenha-se purificado e envolvido por aquelas frequências continuamente. Refaça o exercício, pelo menos algumas vezes na semana até sentir-se com maior domínio e controle sobre seus medos.

Informações importantes:
Procure fazer a leitura avaliando sua realidade durante a vivência do medo tingido pela cor escolhida, após esta mesma vivência, na antecedência do que ocorre às sensações que envolvem o medo (fatos ou estímulos) e nos resultados que o processo gera em sua vida. Necessariamente, a descrição aborda diversas possibilidades que terão mais confirmações para você e serão mais coincidentes com a sua realidade, quanto mais intenso for o processo em sua vida. Se o sentimento não for tão intenso, provavelmente serão menos itens se confirmando, ok?

Se o seu medo é VERDE:
O medo verde demonstra acima de tudo uma perda de direção em relação às situações que envolvem o próprio medo ou em reviver as situações que geraram o processo desde quando esse medo passou a existir em sua vida. Procure observar e lembrar-se: a partir do momento em que ocorreu uma vivência que ocasionou o medo e após a percepção desse fato, existe uma seqüência de pensamentos conflituosos e negativos que sempre levam você a desanimar e a sentir-se sem capacidade de reconhecer metas para atingir seus objetivos.
Os medos verdes demonstram, também, um conjunto de incertezas, ou certezas negativas, que vêm turvando seus objetivos e você já não consegue reconhecer o que quer alcançar em sua vida. Uma tentativa de você acertar sempre desenvolve um perfeccionismo, fazendo-o sofrer para realizar as coisas.

A falta de domínio perante essas sensações faz com que você se sinta meio que forçado a vivenciar todo esse processo com certa dificuldade em demonstrá-lo para o meio. Como se você pudesse se esconder ou como se tivesse que sempre demonstrar uma tranqüilidade perante as pessoas em suas reações, que na realidade, não é bem o que você vem vivenciando em seu dia-a-dia. A entrega a uma seqüência de pensamentos que parecem ter vida própria e que contaminam suas buscas é inevitável é, comumente, a reação mais natural nos indivíduos que enfrentam um medo deste tipo e a de lutar para aperfeiçoar os processos no mundo concreto como se isso pudesse acertar as dificuldades vivenciadas internamente.

Em alguns momentos, por estar difícil saber como agir na continuidade de seus processos pessoais, familiares ou afetivos, o perfeccionismo atinge com constância sua expressão levando-o a exigir muito de si mesmo e, em alguns momentos, também das pessoas de sua convivência.

Os medos verdes precisam ser observados e reconhecidos para que se possa ser menos exigentes consigo e com os outros, pois essa é a base para que se possa reconhecer valores em todas as áreas da vida e nas pessoas de seu convívio. A chave de resolução desse processo está em colocar a atenção em si e, a partir disso, controlar os pensamentos negativos que, comumente, contaminam sua expressão.

Sugestão para o MEDO VERDE:
Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e lembre-se:
A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.

É importante ressaltar que: basta imaginar! A necessidade de "ver com os olhos fechados" pode criar alguns bloqueios na imaginação. Ao invés de jogar a imagem para os olhos físicos, permita que seu pensamento fique livre, se estruture naturalmente em sua mente e decida sentir cada coisa que for imaginando. Realmente, é só imaginar! A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.

Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranqüilamente, mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar o ar você completa ciclos de purificação. Sinta-se tranqüilo, relaxado e purificado.

Passe a imaginar que você se encontra num local de natureza fértil e agradável. Tranqüilamente assista à sua frente uma cena onde muitos pássaros fazem uma revoada e convidam você a voar também. Imagine-se como um deles e perceba que algumas das ações necessárias ao vôo são impossibilitadas a você... nem por isso, lhe é impossível perceber, nesse ato imaginário, as sensações que um pássaro pode ter ao voar...

Essa tomada de consciência pode ajudar você a reconhecer seus limites e a compreender-se, e aos outros, com menos dificuldades, aceitando as limitações humanas e compreendendo as pessoas mesmo com essas limitações. Mesmo aquilo que não podemos realizar, se em algum momento tiver que fazer parte de nossas vidas, podemos experimentar através de alguns poderes superiores que herdamos... Procure exercitar sua imaginação dirigindo seus pensamentos sempre para uma possibilidade de concretizar, sim, o que você precisar. Lute contra as sensações que negam seu poder.

Ao descer de seu vôo, mergulhe numa piscina de luz verde e inspire essa luz mantendo seu corpo envolvido e preenchido por ela, sempre.

Refaça o exercício, pelo menos algumas vezes na semana até sentir-se com maior domínio e controle sobre seus medos.

Informações importantes:
Procure fazer a leitura avaliando sua realidade durante a vivência do medo tingido pela cor escolhida, após esta mesma vivência, na antecedência do que ocorre às sensações que envolvem o medo (fatos ou estímulos) e nos resultados que o processo gera em sua vida. Necessariamente, a descrição aborda diversas possibilidades que terão mais confirmações para você e serão mais coincidentes com a sua realidade, quanto mais intenso for o processo em sua vida

Se o seu medo é em TONS DE VIOLETA (lilás até o roxo):
A razão desse processo é a falta de domínio que você experimenta perante os objetivos de sua vida, perante as coisas que você quer alcançar ou que você tem que alcançar para você e ou também para todos que de você dependem.

A sensação de "não saber o que", ou de "não saber se quer", ou de "se ter dúvida em conseguir ou em ser capaz de", por vezes, causam desconfortos consideráveis nas pessoas dos medos violetas.

É quase sempre presente uma dúvida:.."até onde aquilo que faço é por mim ou por outras pessoas? Afinal, é "aqui" que posso ganhar dinheiro para me sustentar e, também, àquelas pessoas que dependem de mim, mas o que eu gostaria de verdade era de estar atuando em tal coisa... Aí sim eu me sentiria realizado!... Quem sabe
um dia...

A realização pessoal é quase sempre inexistente.

Ainda mais complicado é quando tudo parece bem, mas em alguns casos, a pessoa nutre uma culpa ilógica por se permitir ser feliz naquilo que faz, com aquilo que tem, etc. A sensação, nesses casos, pode ser a de uma auto-reprovação - "como posso ter ou querer algo quando tantos não têm". Parece difícil entender porque as coisas acontecem em sua vida da maneira como acontecem, já que você sempre tenta cuidar para que não seja da forma como normalmente acaba sendo.

Tudo isso acontece porque o desmerecimento é uma característica natural do medo violeta. As necessidades de "ter que sofrer para ganhar", de "se punir para as coisas terem mais valor ou darem certo" e, de "ter que pastar para ganhar os céus"... acabam por acumular idéias e vivências que afloram de preconceitos e negam o merecimento natural. O medo violeta comumente cansa quem o alimenta por causar uma grande sensação de impotência perante os desafios.

Mesmo que, por exemplo, na vida profissional, esteja sendo possível receber um bom retorno financeiro, a realização (gostar pra valer do que faz, ou não ter culpa por fazer o que gosta), e o reconhecimento perante os resultados do trabalho (outras pessoas darem um retorno positivo de seu valor) nunca vêm. Parece que "o mundo" está sempre tentando destruir as pessoas dos medos de cor violeta que comumente, são pessoas inteligentes, interessantes, de presenças marcantes e com força de expressão espiritual.

Essas pessoas acabam adotando uma postura que muitas vezes apresenta certa prepotência e, então, decidem comandar as vidas alheias. Fazem isso com boas intenções e, comumente demonstrando que, assim, estão construindo um mundo melhor para si e para o outro. Quando esse medo violeta se torna uma crença, se instala na vida uma abertura a uma certa mania de perseguição. Em seus pensamentos a espera do momento em que tudo vai estar "pronto" para, então finalmente se poder ser feliz é infinita... Parece que nunca chega esse tal, tão aguardado momento.

Mas essa realidade é um tormento que lhe acompanha desde o momento em que você passou a ter necessidade de provar o seu valor para uma figura masculina que pode ser o seu pai, irmão, um chefe, marido, namorado, ou até mesmo, sua mãe, se for ela a figura forte e de ação dentro de sua casa. É preciso perdoar a si mesmo e, naturalmente, essa figura será perdoada. E nesse caso, o perdão é um requisito básico à sua própria felicidade e à possibilidade de você conseguir se sentir pleno e valorizado como Filho Divino. Esse resgate também eliminará a sensação de que alguma força sobrenatural é a grande responsável pelas vivências indesejadas que você enfrenta.

Sugestão para o medo TONS DE VIOLETA:
Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e lembre-se:
A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade da Vida.
Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranqüilamente, mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar você completa ciclos de purificação. Sinta-se tranqüilo, relaxado e purificado. Imagine-se à frente de uma escada de sete degraus. Cada degrau tem uma cor e vibra intensa energia naquela tonalidade. Sinta o convite para subir essa escada.

O primeiro degrau que você visualiza é vermelho. No instante em que você coloca seus dois pés no degrau, seu corpo é inundado por essa luz. Imagine, nesse momento, que a luz vermelha envolve você e, ao mesmo tempo, penetra seu corpo pela sola de seus pés.

Faça a mesma seqüência de imagens com uma nova tonalidade a cada degrau seguindo a seqüência abaixo:
O segundo degrau é Laranja
O terceiro degrau é Amarelo
O quarto degrau é Verde
O quinto degrau é Azul Céu
O sexto degrau é Azul Escuro
O sétimo degrau é Violeta.


Quando você atingir o último degrau, o violeta, imagine que você alcançou uma porta que, de frente para você, se abre e o convida a entrar em uma sala que mantém uma intensa vibração energética Branca e Brilhante. Dessa sala você assiste a um espetáculo incrível de explosões contínuas da Luz Banca que permanece explodindo e passa a jorrar o mesmo brilho para você. A cada nova explosão de Luz sinta-se renovado e preenchido, envolvido e protegido. O ambiente produz em seu Ser uma calma maravilhosa, uma sensação de Amor e Certeza que você deve buscar sentir e manter. Quando concluir, ou quando sentir que está bom desça novamente a escada pisando em cada degrau e reveja todas as freqüências inundando você, agora na ordem contrária, do violeta para o vermelho.

Mantenha-se com as sensações experimentadas no exercício. Durante todo o dia. Lembre-se de vez em quando e sinta a explosão de luz em você. Pratique esse exercício no mínimo uma vez ao dia. Quantas mais vezes ele for praticado, mais rapidamente você perceberá resultados e efeitos muito positivos em sua vida.

Informações importantes:
Procure fazer a leitura avaliando sua realidade durante a vivência do medo tingido pela cor escolhida, após esta mesma vivência, na antecedência do que ocorre às sensações que envolvem o medo (fatos ou estímulos) e nos resultados que o processo gera em sua vida. Necessariamente, a descrição aborda diversas possibilidades que terão mais confirmações para você e serão mais coincidentes com a sua realidade, quanto mais intenso for o processo em sua vida.

CONTATOS

Tels.: 3816-1137 • 3816-3780 • 3814-9396 • 9-9999-0506
wilma.nubiato@yahoo.com.br

COMO CHEGAR

Rua Paulistânia, 593 - Sumarezinho - São Paulo

MENSAGENS

Preencha o formulário abaixo e envie-nos sua mensagem

Psicovia Terapia do Ser - 2016 - Todos os direitos reservados. -

Desenvolvimento